Google Chrome V39.0.2171.71 já está disponível na rede

Google_Chrome_v39.0.2171.71O Google disponibilizou para download nesta semana o navegador Google Chrome v39.0.2171.71 para Windows e outras plataformas.

O navegador inclui recursos como o suporte para navegação por guias (tabbed browsing), sincronização de configurações via conta do Google, suporte para extensões, corretor ortográfico integrado, suporte para apps disponíveis na Chrome Web Store, acesso rápido aos serviços do Google, como o YouTube e Gmail e outros.

De acordo com o anúncio no blog oficial, o Google Chrome v39.0.2171.71 traz uma nova versão do plugin Adobe Flash Player e correções para múltiplos bugs.

Os usuários do Windows sem o navegador instalado podem fazer o download do Google Chrome 32 bits aqui e do Google Chrome 64 bits aqui. Usuários de outras plataformas podem fazer o download aqui.

Quem já tem o navegador instalado deve receber a atualização para a nova versão automaticamente.

Agradeço ao Domingos e ao Lucas, colaboradores amigos do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Baboo

1 em cada 5 usuários do Android já foi vítima de ataque

AndroidA Kaspersky divulgou nos últimos dias um estudo realizado em parceria com a Interpol que revela que um em cada cinco dispositivos Android sofreu tentativa de ataque por softwares maliciosos. Os dados são de agosto de 2013 a julho deste ano.

Ainda segundo a pesquisa, um milhão de usuários Android no mundo inteiro encontraram tais softwares em seus dispositivos durante o período analisado. Na Europa, o maior tipo de programa malicioso usado foi o Trojan-SMS, com 57%. Em seguida está o RiskTool, com 21,52%, e em terceiro, os Adwares, com 7,37%.

Já na América Latina, a lista tem os mesmos malwares, mas com a ordem distinta. Em primeiro está o RiskTool, seguido pelo Trojan-SMS e depois, o Adware.

O Trojan-SMS é um tipo de programa que envia mensagens SMS a números premium sem que o dono do aparelho perceba. Enquanto isso, o RiskTool é, um programa condicionalmente legítimo, mas que pode ser utilizado com fins maliciosos, como o envio de SMS ou transmissão da localização. No caso dos Adwares, trata-se da chamada “publicidade agressiva”, ou seja, pop-ups e notificações na barra de navegação.

A Kaspersky afirma que os usuários da Rússia, Índia, Cazaquistão, Vietnã, Ucrânia e Alemanha estão entre os principais alvos dos cibercriminosos, já que a maioria da população destes países costuma pagar por conteúdo e serviços por SMS. Na América Latina, o Brasil é o país com mais ataques registrados, seguido por México e Colômbia.

Agradeço ao Vanderlei, amigo e colaborador do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Olhar Digital

Adobe libera nova atualização do Flash Player

Adobe_Flash_Player_v15.0.0.239A Adobe disponibilizou essa semana para download o Flash Player v15.0.0.239 para Windows e outras plataformas. A página listando as mudanças nesta versão está no ar, e sabe-se através dela que esse update traz correções para múltiplas falhas críticas de segurança e correções de bugs.

O Flash Player está instalado atualmente em mais de 750 milhões de computadores e dispositivos móveis com acesso à internet e também é compatível com plataformas 64 bits.

Além de permitir a visualização de conteúdo multimídia, como vídeos, através do navegador, o plugin também permite a execução de aplicações Web (incluindo jogos).

Usuários do Internet Explorer no Windows podem baixar o Flash Player v15.0.0.239 clicando aqui e usuários do Firefox e outros navegadores podem fazer o download da versão 15.0.0.239 aqui. No Google Chrome, o plugin é atualizado junto com novas versões do navegador.

Versões para outras plataformas podem ser obtidas através deste link.

Usuários do Internet Explorer 10 no Windows 8 e Internet Explorer 11 no Windows 8.1 poderão fazer o download do Flash Player v15.0.0.239 através do Windows Update.

Agradecemos ao Lucas, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Baboo

Malware criado por um governo é descoberto

SecurityPesquisadores da Symantec descobriram um malware sofisticado usado para espionar empresas de telecomunicação e que provavelmente foi criado por um governo nacional.

Apesar de ainda ter origem incerta, os Estados Unidos, Israel e China são alguns dos países suspeitos de ter criado o malware, chamado de Regin.

A pesquisa, publicada no último domingo (22), foi feita pela mesma equipe da Symantec que descobriu e desmantelou a Stuxnet, considerada a primeira arma digital do mundo.

A Stuxnet teria sido criada pelos Estados Unidos e Israel para sabotar o programa nuclear do Irã.

De acordo com um post no blog da Symantec, o novo malware tem uma estrutura que revela um “grau de competência técnica raramente visto.”

Os pesquisadores afirmam que o Regin possui uma série de competências que dão acesso a um “quadro poderoso de vigilância em massa” de sistemas.

O malware tem sido usado em uma operação de espionagem que começou em 2008, parou subitamente em 2011, e então voltou a funcionar em 2013.

As invasões foram feitas contra organizações governamentais, empresas, pesquisadores e pessoas físicas.

A sofisticação do Regin e o investimento necessário para criá-lo dão a entender que ele foi desenvolvido por um Estado, segundo os pesquisadores da empresa.

Quase 100 infecções com o Regin foram feitas, a maioria delas (52%) na Rússia e Arábia Saudita. China e Estados Unidos não foram atingidos.

As outras invasões aconteceram no México, Irlanda, Índia, Afeganistão, Irã, Bélgica, Áustria e Paquistão.

A Symantec descobriu o Regin após clientes da empresa descobrirem partes dele em seus sistemas e enviarem o código para análise.

Os ataques do Regin acontecem em sistemas que rodem o Windows e acontecem em cinco estágios, sendo que apenas o primeiro deles é detectável.

Após ele abrir a porta para as próximas etapas, cada uma delas é encriptada e executa a fase seguinte.

Quase metade das invasões aconteceu em provedores de internet, cujos clientes eram os alvos dos ataques. Outras empresas atacadas incluem telefônicas, empresas de energia, linhas aéreas e institutos de pesquisa.

Ainda não se sabe como o malware se espalha de um computador para o outro.

Em um dos casos, a infecção aconteceu pelo Instant Messenger do Yahoo. Em outros, as vitimas entraram em versões falsas de sites conhecidos. Mas os pesquisadores não conseguem chegar a uma conclusão de como o vírus se propaga de um sistema ao outro.

Agradeço ao Davi, amigo colaborador do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Info

Apple que se cuide: Android sai na frente no setor de smartphones

androidDe acordo com um estudo realizado pelo Kantar Worldpanel, a venda de Android teve aumento de 31% no início deste ano. No período entre janeiro e agosto, 77% dos celulares vendidos já vinham com o sistema Android, enquanto em 2013 o número era de apenas 46% nos mesmos meses.

Isso se deve ao grande número de marcas que aderiram ao sistema da Google. Em 2007, teve início uma aliança composta pela Motorola, Samsung, LG, Dell, Intel e HTC com a Google e o seu principal objetivo era universalizar o sistema móvel. De acordo com a ABI Research, em 2014 o Android se consagrou como o novo preferido dos usuários, com 41% de adeptos – contra 31% do iOS, da Apple.

Um dos fatores que contribuem para esse resultado é o fato de sua programação ser baseada em Linux, sistema que pode ser “montado” de acordo com as preferências de seus usuários. Além disso, o Android é um sistema operacional rápido, com código gratuito, sendo uma plataforma livre – características que aproximam usuários e empresas com interesse em produzir aplicativos diferentes.

Recentemente, foi liberada a atualização para a versão lollipop, o Android 5.0. Essa é a maior atualização já feita para o sistema. Assim como o sistema em que foi baseado, o Lollipop é flexível, versátil e pode ser customizado de acordo com suas necessidades. Além disso, é compatível com os diferentes gadgets que estão em fase de lançamento.

A grande desvantagem, porém, é que com tantas vendas cresce o número de malwares criados para o Android. Este software malicioso atua como um vírus e é programado para se infiltrar em sistemas e roubar informações importantes, além de enviar spams com o nome do usuário que teve o smartphone invadido.

Por isso, os usuários devem se conscientizar sobre o uso de antivírus para android em seus smartphones. Ainda, é importante sempre buscar informações sobre os aplicativos disponíveis na Google Store. Existem muitos aplicativos piratas ou infectados com malwares que podem ser descobertos a partir de comentários de outros usuários.

Agradecemos ao colaborador Henrique Vieira pela redação e envio do texto.

Malware Citadel ataca novamente

password_stealUma nova configuração do cavalo de troia Citadel, e que no ano passado infetou centenas de computadores de empresas ligadas ao negócio do petróleo nos Estados Unidos, está novamente atacando um grande número de máquinas sendo que a grande diferença está no fato do malware se focar em atacar os aplicativos chamados “open-source” que fazem gerenciamento de senhas, especialmente os aplicativos KeePass e Password Safe. Além disso, a nova variante do Citadel foi também encontrada no serviço de autenticação e proteção para transações financeiras, o neXus Personal Security Client.

Estas informações foram reveladas pela ArsTechnica e ZDNet que relatam um aviso da detecção desta ameaça liberado pelos investigadores da IBM Trusteer. Este grupo de investigadores explica como esta malware funciona : Ao abrir o gerenciador de senha “open-source” é ativado um keylogger (um software malicioso que registra os toques no teclado permitindo ao hacker saber o que é digitado). Depois disso, o sistema do usuário bem como todos os serviços registados pelo gerenciador de senhas tornam-se vulneráveis.

A equipe da IBM alerta os usuários para que tenham no seu sistema sempre uma proteção contra malware como um antivírus e firewall, sendo que, neste tipo de situação, se evite a utilização de softwares “open-source” para armazenamento das suas senhas.

Agradeço ao Paulo Sollo, amigo colaborador do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fontes: Wintech e IBM

App da Anistia Internacional detecta spywares

human rightsAplicativo gratuito inédito lançado por grupos de defesa dos direitos humanos verifica se o computador é espionado pelo governo

A Anistia Internacional (Amnesty International) e outros grupos de direitos humanos lançaram um aplicativo gratuito anti-spyware que pode verificar se seu computador Windows está sendo espionado pelo governo.

O aplicativo chama-se Detekt, e é inédito. Ele é o primeiro a conseguir rastrear sofware de vigilância, do tipo utilizado por governos, em computadores. O programa foi desenvolvido pelo pesquisador de segurança Claudio Guarnieri e está sendo lançado em parceria com a Anistia Internacional e outras três entidades: Digitale Gesellschaft, Electronic Frontier Foundation e Privacy International.

Segundo o coordenador de atividades de Polícia, Militares e Segurança da Anistia Internacional, Marek Marczynski, “o Detekt é uma ferramenta simples que vai alertar os ativistas no caso de intrusos para que eles tomem providência. Ele é um golpe contra os governos que acham que podem obter informações de forma arbitrária e por meio de vigilância ilegal contra defensores de direitos humanos e jornalistas.”

O Detekt é basicamente um detector de malwares. A diferença é que ele foi projetado para procurar software espiões escondidos no Windows. E, da mesma forma que os programas convencionais, não é totalmente infalível, mas é mais uma ferramenta para ajudar a proteger sua privacidade.

Segundo a Anistia Internacional, o mercado de tecnologias de vigilância tem crescido exponencialmente ao longo dos anos por conta do crescimento também exponencial de sua adoção. A Coalizão Contra Vigilância Ilegal (Coalition Against Unlawful Surveillance Exports), grupo do qual a Anistia Internacional é membro, estima que o faturamento anual desse mercado seja da ordem de US$ 5 bilhões, e em crescimento.

Agradecemos ao Davi, amigo colaborador do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: IDG Now!
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 507 outros seguidores