Botnet PushDO está ativa e já infectou 11 milhões de PCs

bot

Uma das mais famílias de malware, a botnet gera Cavalos de Tróia para desencadear ataques de negação de serviço ou roubo de credenciais

A botnet PushDO, uma das mais antigas famílias de malware em atividade, pode ter infectado 11 milhões de máquinas em 24 horas recentemente, segundo a empresa de segurança digital Bitdefender. As botnets – redes de computadores infectados que funcionam como “zumbis – permitem que cibercriminosos controlem os computadores remotamente e realizem roubo de credenciais, fraudes e acesso a informações valiosas.

O número de 11 milhões de máquinas é resultado de análise recente dos especialistas da Bitdender em dois domínios usados pelo PushDO. Detectado em 2007 na sua primeira variação, o PushDo gera cavalos de Tróia capazes de mobilizar ataques de vários tipos, como o de Negação de Serviços (DDoS) ou de roubo de credenciais, sendo responsável por espalhar malwares financeiros como ZeuS e SpyEye.

A rede também tem seu próprio mecanismo de distribuição de spam, chamado Cutwail, que é responsável direto por uma grande parte do tráfego diário global de spam.

“O grande problema dos malwares é que muitos deles podem ser negociados na Internet, através de sites criminosos, espalhando-se rapidamente pelo mundo e fazendo grandes estragos para os negócios, já que a maioria dos usuários e empresas possui pouca proteção para tantas variedades”, afirma Eduardo D´Antona, Diretor da Bitdefender no Brasil e da Distribuidora Securisoft.

Ainda segundo D´Antona, apesar do PushDo ser bem conhecido, ele está longe de ser erradicado. O executivo recomenda o emprego de sistemas de segurança com atualização online e monitoramento permanente para que as empresas possam se precaver contra os riscos oferecidos pelos Botnets.

Pelos dados do FBI, divulgados em julho, a infecção por botnets em geral atinge 500 milhões de máquinas por ano, ou cerca de 18 sistemas por segundo, representando perdas globais da ordem de US$ 110 bilhões para os cidadãos e as empresas.

Agradeço ao Davi, amigo e colaborador do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: PC World

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: