Internautas não se cuidam ao fazer compras na rede

compras-onlineQuase um terço daqueles que compram em lojas virtuais não seguem regras de segurança básicas ao realizarem pagamentos, de acordo com uma pesquisa recente da empresa em segurança, Kaspersky Lab.

Segundo a companhia, mais de 18 mil participantes responderam a um teste online, que os colocou em situações potencialmente perigosas que são com frequência encontradas na Internet.

O estudo também descobriu que apenas metade deles checou se um site era autêntico antes de dar suas informações financeiras.

Participantes foram pedidos para selecionarem um de quatro sites fictícios de bancos para darem detalhes sobre suas contas. A companhia disse que apenas metade conseguiu reconhecer o site que era verdadeiramente seguro com um nome não modificado (mudanças do nome de uma organização são uma forma comum de phishing) e o prefixo https, que indica uma conexão criptografada.

Além disso, 5% dos participantes selecionaram sites com erro de digitação, o que sugeria que confiariam potencialmente em páginas falsas criadas para roubar dados financeiros de seus usuários.

Depois, foi perguntado a usuários quais passos eles tomariam antes de informar seus dados financeiros para fazer um pagamento online.

Apenas 51% disseram verificar a autenticidade de um site, 21% deles usam um teclado virtual para proteger suas senhas de interceptação por malware, 20% checam se o antivírus está funcionando propriamente e um alarmante 29% defende que nenhuma ação adicional é necessária por que “sites de grandes e respeitadas companhias são protegidos o suficiente”.

“Essas amostras reforçam o que há tempo tem sido observado, que muitos usuários não apenas se colocam sob riscos assim como colocam seu dinheiro, mas também bancos e negócios de pagamento que usam”, disse Andrew Mamonitis, diretor da Kaspersky Lab.

“Lidar com incidentes, mesmo se forem causados por usuários inexperientes, pode consumir consideráveis recursos e têm um impacto negativo na reputação da companhia. Isso significa que o uso de segurança especializada contra roubo online está se tornando uma necessidade”, acrescentou.

De forma alarmante, muitos usuários empregam ações que oferecem nenhuma proteção para suas informações financeiras.

11% dos participantes usariam o modo “anônimo” para proteger seu pagamento

4% recorreria a um anonymizer – aplicação que permite navegação anônima na Internet, ocultando endereço IP do usuário

7% informa e apaga dados para “confundir” malware

A Kaspersky diz que alguns usuários estão sendo descuidadosos sobre seus detalhes de pagamento como o fazem no mundo real, com 20% vendo nenhum problema em deixar seu cartão do banco longe de suas vistas enquanto pagam uma conta no restaurante.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa matéria.

Fonte: IDG Now!

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: