Cuidado: existem Apps falsos presentes em loja do Windows

apps_falsos_lojaLista de alguns dos apps falsos publicados na loja do aplicativos do Windows (acima).

A loja de aplicativos do Windows, usada para distribuir apps para Windows 8.1, 10 e Windows Phone, está distribuindo diversos aplicativos falsos, contendo conteúdo diferente do prometido ou pacotes de publicidade.
O alerta é da companhia de antivírus Avast e foi publicado nesta terça-feira (6/10).

A empresa detectou versões falsas do próprio antivírus da companhia para Windows Phone há dois meses. Agora, a lista de aplicativos fajutos inclui o WhatsApp e o Facebook Messenger, além de supostos aplicativos de sites de notícias, como a BBC e a CNN. Outros apps falsos prometem conteúdo de futebol e downloads de músicas. Os apps apareciam cadastrados por dois supostos desenvolvedores: Ngetich Walter e Cheruiyot Dennis.

Esses aplicativos falsos são enviados por indivíduos mal-intencionados que querem pegar “carona” nos aplicativos populares que seus apps sejam instalados. Em alguns casos, os apps são versões modificadas dos apps verdadeiros, contendo espaços de publicidade.

Em comunicado, a Microsoft disse que leva essa questão “muito a sério” (veja o comunicado da empresa na íntegra ao final do texto).

Mas, em alguns apps, o conteúdo é bem diferente do oferecido. O aplicativo falso da CNN, por exemplo, traz mensagens cristãs e não as notícias da rede de TV norte-americana.

Nenhum código malicioso foi encontrado nos apps. Eles não parecem roubar dados do telefone, por exemplo. Mas, segundo a Avast, a chegada de golpistas para a loja do Windows mostra que as lojas Google Play e App Store estão se tornando alvos difíceis. Com isso, o número de ataques contra Windows Phone pode aumentar, apesar da baixa popularidade da plataforma.

A listagem de aplicativos na loja do Windows traz um link para que usuários denunciem o app para que ele seja removido, mas, segundo a Avast, os aplicativos ainda ficam até meses online.

Leia o comunicado enviado pela Microsoft às 17:44 h do dia 07/10:

“Estamos cientes de recentes alegações de “esquemas”ou versões não autorizadas de certos aplicativos e jogos que estão sendo vendidos na Windows Store. Nós levamos alegações de violação de propriedade intelectual muito a sério e analisamos de acordo com os nossos procedimentos padrões. Também continuamos a rever o conteúdo de nossa loja periodicamente, conforme descrito no nosso blog post sobre o tema, enquanto trabalhamos para oferecer uma excelente experiência para os clientes e fornecemos políticas justas e transparentes para desenvolvedores.”

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: G1

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: