Você e seus dados estão seguros no Instagram?

instagramCaso você não tenha naufragado igual ao Tom Hanks no filme, provavelmente já ouviu falar do Instagram. A mídia social fotográfica do Facebook possui mais de 400 milhões de usuários ativos por mês. Cerca de 80 milhões de fotos são publicadas por dia e ganham 3,5 bilhões de curtidas.

Nem precisamos dizer que ela é bem popular. Uma publicação de nossos colegas no Threatpost discutiu uma réplica entre pesquisadores. Além disso, um bug reportado ao Programa de Caça à Bugs do Facebook fez com que nosso time do Kaspersky Daily discutisse como usar o Instagram e como ele é outro lugar no qual os usuários estão compartilhando demais.

Nesse ponto da conversa Sege M. mencionou que quando faz o login vê mais fotos do filho de um amigo do que seriam necessárias para montar uns 20 álbuns de família.

Continuando, logo nos perguntamos o quão seguros esses usuários estavam a respeito das configurações de privacidade de um dos maiores aplicativos do mundo. Então, ao invés de buscar pessoa a pessoa, nosso time decidiu oferecer alguns conselhos gratuitos de como se manter seguro em nosso site de compartilhamento de fotos favorito.

Senha
Uma regra que não podemos nunca esquecer é de que as senhas são como roupas de baixo: você deve trocá-las frequentemente e nunca usá-las novamente. Qualquer serviço em particular pode ser uma porta de entrada para outras redes sociais ou acesso a contas de e-mail e já que reutilização de nomes de usuário é algo bem comum em mídias sociais, torne sua senha forte e única.

Privacidade
Você é exibicionista? Gosta que as pessoas vejam o que você faz 24 horas por dia? Se sim, pule essa dica. No entanto, se você for como muita gente por aí que prefere compartilhar imagens e informações, apenas com pessoas que conhece.

Então, caso você queira manter seu Instagram assim, selecione “Conta privada” em “Opções”. Recomendo que qualquer pai que compartilhe fotos dos filhos como uma forma de se manter conectado com os amigos e família pelo mundo que marque essa opção.

Não sou seu pai, logo não irei dar uma palestra sobre o que você compartilha e com quem, mas é meu trabalho dizer que tem um cara bizarro com “Doces” escrito do lado da van que pode ver a foto de sua filha na aula de balé, ou do seu filho no judô ou na creche; ou ainda que você trabalha na Unicorn Park Dr 5000 por 9 horas ao dia compartilhando imagens do escritório ou que viaja duas semanas por mês.

Sei que estamos tentando assustá-lo, mas é inegável que existe gente muito esquisita por aí. Recomendamos que apenas defina como “público”, o perfil de pessoas que precisam estar sob o olhar constante dos seguidores, sem ter escolha no assunto graças a TMZ ou marcas, como a Kaspersky Lab.

Compartilhar é se importar?
Como muitas outras mídias sociais, existem produtos e ferramentas que se anexaram a interface do Instagram. Geeralmente ,isso é visto como uma forma de tornar o compartilhamento bem mais fácil, repostando a foto de outra pessoa ou entrar em um concurso. A pergunta real aqui é:

Você sabe o que você está compartilhando?

Ou ainda mais importante: a companhia X realmente PRECISA dessa informação?

Se não sabe a resposta – e provavelmente não (ninguém lê essas coisas) – você deveria entrar na sua conta do Instagram e verificar quais aplicativos que logou com sua conta.

Uma das coisas que se destaca no Instagram é ele ser bem rígido com as permissões para aplicativos. Porém, ao usar um aplicativo de terceiros, você estende a vulnerabilidade na sua conta. O que ocorreu recentemente no último novembro com o InstaAgent.

Não seja enganado pelos robôs
Tenho uma conta privada no Instagram. Isso significa que, se quiser me seguir, terá que me mandar uma solicitação e terei de aprová-la. Contudo, mesmo com essa configuração recebo VÁRIAS solicitações de mulheres lindas (palavras delas, não minhas), procurando por namorados, amantes maduros e ricos, chamando para bate-papos por vídeo e outras coisas bizarras. Amigos – são fembots. Não são mulheres de verdade. Não as envie mensagens, ou clique em links que mandarem.

SOCORRO! Fui hackeado
Ninguém gosta de descobrir que foi comprometido. O Instagram é popular no que diz respeito a hackear contas – mais de 1,3 milhão de resultados aparecem no Google e há até um tópico no Quora que vai em sites para aprender a hackear as contas das pessoas (não seja babaca – não faça isso).

Dito isso, existem algumas coisas nas quais você deve pensar caso sua conta seja comprometida. A primeira é tentar entrar na sua conta pela Internet ou celular e ver se consegue mudar a senha e opções. Se isso não funcionar ou se tiver sido trancado para fora da sua conta, o melhor a fazer é visitar a Central de Ajuda do Instagram. De lá, pode reiniciar sua senha.

Na Central de Ajuda, você pode reportar contas Spams, de discurso de ódio ou auto-flagelação que você pode encontrar por aí.

Siga essas dicas e você estará um passo mais próximo de uma mídia social segura de predadores covardes.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa matéria.

Fonte: Kaspersky blog

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: