Windows mais seguro (sem permissões de administrador)

windows_adminO Windows é o sistema operacional que mais problemas de segurança tem apresentado ao longo dos anos. A Microsoft trata de resolver todas essas questões, garantindo que a segurança volta a este seu sistema.

Para levar ao conhecimento de todos, o ano de 2015 e os seus principais problemas de segurança surgiu um relatório que mostra o volume de vulnerabilidades da Microsoft. E a maioria dos problemas está nas permissões de administrador do Windows.

Este relatório, criado pela Avecto, compilou as principais falhas de segurança que ameaçaram o Windows e os restantes produtos da Microsoft, e a conclusão a que se chegou é bem conhecida da maioria dos usuários.

O excesso de permissões de Administrador no Windows

As permissões de administrador são a principal razão que possibilitam que o malware e os vírus se propaguem de forma tão simples no Windows. Caso estas permissões não estivessem presentes e acessíveis, 82% das falhas que afetaram o Office e o Windows 10 não teriam acontecido. No caso do Edge e do Office 2016 esse número teria subido para 100% caso estas permissões especiais não estivessem presentes.

A análise deste relatório mostra também que 85% das vulnerabilidades que levavam à execução de código arbitrário tiveram também origem no excesso de permissões de administrador que os utilizadores tinham.

Outras vulnerabilidades

Mas há muito mais para ver deste relatório completo sobre as falhas de segurança que afectaram o Windows durante 2015. Vejam abaixo a lista de vulnerabilidades reportadas.

  • 433 vulnerabilidades foram reportadas no Windows Vista, Windows 7, Windows RT, Windows 8 / 8.1 e Windows 10.
  • 238 vulnerabilidades reportadas no Internet Explorer (IE), da versão 6 à 11.
  • 62 vulnerabilidades reportadas no produtos do Office.
  • 429 vulnerabilidades no Windows Server.
  • 18 vulnerabilidades reportadas no .NET Framework.
  • O número de vulnerabilidades cresceu 52% em comparação com 2014.
  • O número total de vulnerabilidades cresceu de 345 para 524.

O excesso de permissões que os usuários têm nas suas contas é a primeira e a principal porta de entrada para os problemas no Windows. Se por um lado se obtém uma maior facilidade na utilização do Windows, isto depois acaba se convertendo em falhas de segurança.

A principal conclusão da Avecto mostra que se estas permissões não estivessem presentes, 63% das vulnerabilidades não teriam sido exploradas e o Windows teria se mostrado um sistema mais seguro.

Na verdade este é até um sistema bastante seguro, o problema está, como é normal, na forma como os usuários o usam e como o expõem a todos os problemas que surgem.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: pplware e Avecto

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: