Por uma Internet mais segura (guia prático)

segurançaAqui vai um guia prático um guia com as principais recomendações para quem busca navegar na rede correndo menos riscos:

Mantenha o sistema operacional atualizado
Os sistemas operacionais Windows, Mac OS X e Linux podem estar vulneráveis, e ter as suas falhas exploradas por hackers ou algum tipo de praga virtual. O ideal é sempre que possível instalar as atualizações disponibilizadas pelos desenvolvedores do sistema. O mesmo se aplica para dispositivos móveis.

Evite instalar programas piratas
A instalação de programas piratas pode ocasionar na instalação de vírus de computador, principalmente quando o meio habilitação da licença de uso for por intermédio de “cracks”. Geralmente esse tipo de recurso contém programas maliciosos que podem comprometer a segurança e a integridade das informações armazenadas no computador.

Use uma ferramenta de segurança no PC
Os usuários do sistema operacional Windows e Android são os principais alvos de pragas virtuais. Para evitar problemas no PC o ideal é instalar um antivírus, e principalmente mantê-lo atualizado. Nos dispositivos móveis, é recomendável instalar apenas aplicativos disponibilizados na Google Play. Em caso de roubo, programas como o Prey Project permitem localizar smartphones, tablets e computadores perdidos.

Instale apenas programas de fontes confiáveis
Existem milhares de programas disponíveis para download na internet, porém boa parte deles podem vir acrescidos de programas complementares que comprometem a estabilidade do sistema operacional, ou roubar informações do usuário. E por esse motivo, é recomendado evitar baixar programas de sites desconhecidos.

Acompanhe a vida digital das crianças
É cada vez mais precoce o ingresso de crianças nas redes sociais, mesmo que na maioria dos casos a idade mínima de 13 anos não seja respeitada. Não é recomendável simplesmente proibir o acesso á internet, pois sempre haverão formas de burlar eventuais mecanismos de restrição de acesso. Por essa razão, é apropriado verificar se todos os contatos são mesmo crianças, assim como saber mais detalhes sobre o amiguinho ou amiguinha. E principalmente manter um diálogo franco sobre o assunto.
– Evitar o excesso de exposição por meio de fotos, vídeos ou postagens que possam dar indicações precisas da localização, hábitos, e lugares que são frequentados com assiduidade. Serviços que compartilham a localização devem ser evitados ou usados com extrema cautela pelas crianças;
Menores de 13 anos não podem ter perfis em boa parte das redes sociais, devido a uma lei federal dos Estados Unidos – o Ato de Proteção à Privacidade Online Infantil, ou COPPA. Por isso, é extremamente recomendável verificar se os menores da idade permitida não estão usando informações falsas. Lembre-se: a educação começa em pequenas atitudes.

Evite compartilhar boatos
Com a produção independente de conteúdo para internet, a eventual monetização através de anúncios acaba servindo como estímulo a muitos sites publicarem informações não verificadas apenas para atrair a atenção de leitores. E em alguns casos, o compartilhamento de boatos pode causar constrangimentos, e incitar a violência. Aqui no blog já foram apresentados sites que auxiliam a identificar informações falsas divulgadas na internet.

Não compartilhe fotos, vídeos de pornografia e violência
O compartilhamento de fotos e vídeos íntimos tem se tornado cada vez mais frequente, principalmente em grupos de redes sociais e WhatsApp. Boa parte desse material é divulgado sem o consentimento de pelo menos uma das partes envolvidas. Essa prática é ilegal de acordo com a legislação de Crimes na Internet. Também é preciso levar em consideração as consequências que a exposição vexatória pode causar. Em caso de vídeos de brigas, a repercussão pode incentivar a incidentes ainda mais violentos para ganhar protagonismo nas redes sociais.

Fraudes e comércio eletrônico
Pequenas ações podem ser decisivas para evitar fraudes na internet, além dos cuidados com o computador mencionados acima. Pouco irá adiantar se o leitor também não fizer a sua parte:
– Evite acessar internet banking usando redes de acesso à internet públicas;
– Só informe dados pessoais a sites conhecidos;
– Desconfie de preços praticados muito abaixo do mercado. Se o site de comércio eletrônico é novo, procure verificar se existe uma empresa registrada e ativa na receita federal por meio da consulta de CNPJ. Antes de finalizar a compra, verifique se existe algum contato de atendimento ao consumidor. Em transações que envolverem o uso do cartão de crédito, o endereço do site deverá ser acessado usando o protocolo “https”, além das referências mencionadas acima.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa matéria.

Fonte: G1

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: