Internautas estão deixando de usar os browsers IE e EDGE

browsersO domínio da Internet sempre foi associado ao Internet Explorer.
Muito por culpa do próprio Windows, este controle se estendeu pelas muitas versões lançadas do navegador.

Mas a chegada de novos browsers veio mudar este cenário e criar novas alternativas para um mercado que tinha se estagnado. Os navegadores da Microsoft parecem agora ter chegado a um mínimo histórico de preferência e o que mais vem se observando é justamente a troca deles por outros.

Mês a mês vem se confirmando que a Microsoft está perdendo terreno no mercado dos navegadores.
Este não é um movimento novo, que se iniciou há uns anos, mas que tinha obtido alguma resistência, grande parte às empresas e aos seus sistemas que apenas funcionavam atrelado a esses browsers.

A perda de usuários do Internet Explorer e do Edge

Os números apresentados agora, vindos da bem conhecida e confiável NetApplications e referentes ao mês passado de Junho, mostram uma posição muito negativa para os navegadores da Microsoft. Foram mais de 33 milhões os internautas que deixaram de usar os dois navegadores que a Microsoft tem no mercado.

Se este é um número de peso, apenas se junta ao valor conhecido desde o início do ano, de aproximadamente 200 milhões de usuários. Este número corresponde a uma quebra de 17,3% do mercado, o que coloca neste momento o IE e o Edge com 36,7% de porcentual.

Como se está a comportar a concorrência

Alheio a isto tudo, e a recebendo os usuários que deixam de usar os outros browsers, está o Chrome. O navegador do Google tem crescido de forma sustentada e tem já quase metade do mercado, com 48,65%. Provavelmente, no final deste mês, vamos ver o Chrome ultrapassar a barreira dos 50%, que há apenas 12 meses era do Internet Explorer.

Tanto o Opera como o Safari continuam o seu crescimento, mas de forma mais tímida.
Não sendo browsers com números expressivos, conseguem também cativar os seus usuários.

O problema do Firefox

O Firefox era um dos navegadores que mais prometia, até há alguns anos. A chegada do Chrome, com as suas novas tecnologias e alguns problemas que o Firefox teve, colocaram um freio nas expectativas que se tinha sobre este browser.

Os dados da NetApplications mostram que o Firefox voltou a perder terreno, tendo terminado o mês de Junho com uma redução de 0,9%, o que o coloca agora perto dos 8% de fatia do mercado.

Caso continue este ritmo de quebra, o Firefox deverá atingir a marca dos 5% em Outubro deste ano. Esta é uma marca que pode colocar em perigo este projeto, que depende das pesquisas realizadas pelos usuários para se manter ativo.

Os números da NetApplications contrariam os que a StatCounter apresentou recentemente, que mostravam que o Firefox tinha ultrapassado o IE e o Edge, mas confirmam o domínio do Chrome e o declínio dos browsers da Microsoft.

Esperava-se que a chegada do Windows 10 e do Edge contrariasse esta tendência mas, a verdade é que, cada vez menos usuários querem fazer uso deles, recaindo suas escolhas nas alternativas, em particular no Chrome.

O gráfico da pesquisa pode ser acessado aqui.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: pplware

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: