Muito cuidado com as suas atividades financeiras online

Internet BankingQuase todo mundo já encarou atividades cibercriminosas em um momento ou outro. Você provavelmente já recebeu um SMS mágico que dizia algo como: “Você ganhou!!! Sua Ferrari e 1 milhão de reais esperam sua ligação! Ligue agora mesmo para XXXX-XXXX” Até agora esses truques manjados tem funcionado surpreendentemente bem. Mesmo que você nunca tenha caído nessa armadilha, você provavelmente conhece alguém que caiu.

Essas pessoas (ou você) não estão sozinhas. Funcionários de grandes corporações também foram vítimas de esquemas de cibernéticos. Por exemplo, ao longo de dois anos, a cibergangue Carbanak roubou fundos de dezenas instituições financeiras ao redor do mundo chegando a 1 bilhão de dólares. Também desenvolveram um tipo de malware voltado para aplicativos de mobile banking.

Pelo dinheiro fácil, hackers desenvolvem malware específicos que substituem o aplicativo legítimo do banco copiando sua interface. No entanto, antes de roubar seu dinheiro, um malware precisa ser instalado no seu dispositivo. Então, como ele acha uma brecha?

Um teste recente conduzido pela Kaspersky Lab, mostra que muitos usuários não seguem regras básicas de segurança quando fazem pagamentos online ou conectam-se ao sistema de seus bancos. Metade dos participantes da pesquisa não verificam a autenticidade dos sites dos bancos ou sistemas de pagamento. Eles não prestam atenção no prefixo https que indica uma conexão encriptada e alguns dos pesquisados selecionaram sites com os nomes escritos incorretamente, um sinal óbvio de phishing.

Infelizmente, a cada segundo mais cibercriminosos acham novas vítimas: apenas um quinto dos entrevistados preferem usar o teclado virtual para proteger suas senhas. Na pesquisa, outros alegam usar o modo anônimo para proteger o pagamento, ou utilizam um programa de ocultação do perfil específico, ou ainda digitam e apagam os dados repetidamente antes de entrar de modo a “confundir o vírus”. Infelizmente, nenhuma dessas táticas protegem as informações financeiras do usuário.

O mais surpreendente é que 20% dos usuários não pensam em proteger suas contas até mesmo offline. Por exemplo, em um restaurante essas pessoas não veem problema em entregar seu cartão para uma garçonete simpática ou um garçom educado para que esse seja levado para longe do seu campo de visão.

Isso é uma péssima ideia. Por favor, lembre-se: se os vigaristas tiverem acesso só ao seu cartão bancário, mesmo que por um minuto, eles podem clonar todos os seus dados completamente.

O bancos não podem garantir 100% de proteção porque a eficiência da segurança depende profundamente do comportamento do usuário. Além disso, nem todos os sistemas de pagamento se importam como deveriam com a cibersegurança. E é por isso que os usuários, especialmente aqueles menos alfabetizados digitais deveriam instalar soluções de segurança específicas para pagamentos online.

Fonte: Kaspersky blog

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: