Sextortion: adolescentes são o principal alvo

sextortionChantagem é um crime muito antigo e as tecnologias de hoje favorecem esse tipo de ataque. Os criminosos roubam suas vítimas de diversas formas, mas o hacking de comunicações como mensagens de texto e webcams trazem uma eficiência cruel a um tipo de crime altamente pessoal, conhecido como sextortion.

O sextortion, ou chantagem sexual, consiste na ameaça de revelação de informações íntimas a menos que a vítima pague o criminoso. Na era digital, essas informações podem incluir screenshots de mensagens com conteúdo sexual, fotos íntimas ou até vídeos. Criminosos exigem dinheiro na maioria das vezes, mas em alguns casos estão a procura de mais material comprometedor.

Algo que chama atenção nessa prática criminosa é que grande maioria das vítimas são adolescentes – grupo que normalmente não possui muito dinheiro disponível. Ainda assim, são as vítimas perfeitas do sextortion.

Os anos que compõem a adolescência são repletos de novos relacionamentos e descobertas e não há qualquer guia ou mapa durante essa jornada. É também nessa fase que começam a trilhar o próprio caminho e questionar autoridade, sem muitas vezes ter o entendimento adulto sobre as possíveis consequências.

O resultado é o sonho de qualquer criminoso: muita informação sensível e desprotegida pertencente a pessoas emocionalmente vulneráveis. Talvez por isso, 70% das vítimas são adolescentes. A maioria são mulheres, mas o fato de ser um homem adulto não significa estar fora da mira.

O criminoso pode tanto obter a informação por meio da invasão de dispositivos ou ainda ganhar a confiança da vítima ao ponto de convencê-la a enviar esse tipo de material diretamente. A próxima etapa é ameaçar tornar esse conteúdo público.

As vítimas obedecem. Essas pessoas enfrentam o medo do escárnio público, já que pedir por ajuda significa revelar o segredo que tanto querem manter guardado. Adolescentes são especialmente vulneráveis. Esse tipo de crime pode levar a sérios traumas psicológicos e até tentativas de suicídio.

Com tantos problemas podendo afetar adolescentes, comunicação é a resposta dessa questão, mas não se trata de uma solução fácil. Ainda assim, trata-se de um problema de cunho tecnológico, de modo que nesse aspecto podemos ajudar a manter os mais jovens seguros.

Proteja você e seus filhos do sextortion

  1. Entenda que qualquer coisa compartilhada online pode se tornar pública, explique isso aos seus filhos adolescentes. Enfatize que isso pode ocorrer por meio de hackers ou por algum destinatário confiável – que pode ou não ter tido o computador ou o telefone hackeado. Conversar com estranhos aumenta o risco, mas de forma geral, considere que qualquer coisa que você envia, pode ser exposta aos seus amigos, professores e até avós. É uma boa prática de auto-preservação.
  2. Use boas práticas de cibersegurança. Use senhas robustas e autenticação de dois fatores para ajudar a proteger suas mídias sociais, programas de mensagem e e-mail. Mantenha seus softwares atualizados. O Kaspersky Internet Security protege sua webcam de acessos não autorizados.
  3. Fique antenado e aprenda sobre novas ameaças. Crimes como o sextortion são um problema de todos. Compartilhe informações sobre ameaças.
  4. Converse com seus filhos sobre golpes na internet e cibercrime. Por mais que seja difícil falar com os mais jovens sexo e chantagens, eles precisam saber. Descubra como a escola lida com cibersegurança e educação digital, talvez você possa dispor de algum material que o auxilie a discutir esse problema em casa.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Kaspersky blog

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: