Mais de 2.600 ataques eletrônicos ao dia com foco no FGTS

Ataques de phishing visando contas de FGTS estão longe de acabar no Brasil, segundo análise da empresa especialista em segurança virtual Kaspersky Lab. Seus especialistas divulgaram que têm bloqueado cerca de 100 domínios maliciosos por semana e mais de 2.600 ataques do tipo por dia.

“Com a Medida Provisória (MP) 763/2016, recentemente aprovada assegurando os saques do FGTS para as pessoas nascidas entre setembro e dezembro, não há previsão de que os ataques acabem tão cedo”, escreveram representantes da empresa. Eles são realizados por meio de páginas falsas, domínios maliciosos e posts em redes sociais.

Em março deste ano, a Kaspersky registrou o pico deste tipo de ataque – eles começaram a ser recorrentes em janeiro. Como isca, hackers utilizam páginas clonadas do FGTS e da Caixa Econômica Federal e mensagens do tipo “evite o bloqueio do seu FGTS”.

Ao acessar as páginas, vítimas inserem números do CPF/PIS/PASEP e a senha do cartão cidadão. Esses números são utilizados pelos criminosos para sacar as quantias relativas ao FGTS da vítima. “A grande quantidade de incidentes de vazamentos de dados pessoais, somados aos ataques massivos de phishing, tem possibilitado aos golpistas efetuarem os roubos sem grandes dificuldades, lesando vítimas inocentes e roubando o dinheiro do FGTS”, afirma Fabio Assolini, analista sênior da Kaspersky Lab que tem monitorado de perto os ataques com esse tema.

Caso detectem saques ilegais, os contribuintes deverão comparecer a agências da Caixa para tentar reverter os danos. O próximo lote de saques, para nascidos entre setembro e novembro, tem data prevista de abertura para o dia 16 deste mês. Depois, no dia 14 de julho, poderão sacar trabalhadores nascidos em dezembro.

Entram na lei de saque contas do FGTS referentes a períodos de trabalho terminados até 31 de dezembro de 2015, em casos de pedido de demissão e de demissão por justa causa. Nos demais casos, pode-se sacar o FGTS inativo há mais de 3 anos ou em demissões sem justa causa.

Para se proteger dos ataques a Kaspersky recomenda algumas providências:

  1. Prefira os canais oficiais: tentativas de consultas do saldo do FGTS, calendário de pagamentos e outros assuntos relacionados ao pagamento devem ser feitas somente no site da Caixa, digitando o endereço do site diretamente na barra do navegador, evitando buscar o site em motores de busca. Criminosos compram anúncios em buscadores para colocar o site falso entre os primeiros resultados.
  2. Cuidado com dados pessoais: jamais informe seu nome completo, CPF, PIS/PASEP ou algum outro dado pessoal em sites, perfis em redes sociais ou qualquer outro meio eletrônico que não pertença as instituições responsáveis pelo pagamento. Se tiver dúvida é melhor parar o processo do que entregar suas informações nas mãos de sites desconhecidos.
  3. Desconfie de SMSs: como este canal de comunicação é bastante usado pelos Bancos para se comunicar com seus clientes, criminoso brasileiro tem abusado dessas mensagens para disseminar links maliciosos para sites de phishing. Desconfie de mensagens SMS com links, na dúvida entre em contato com seu banco.
  4. Cuidado com apps móveis: instale apenas o app de consulta ao FGTS oficial da Caixa, evite instalar apps de terceiros e fornecer seus dados neles.
  5. Use uma boa solução de segurança.

Abaixo, confira uma lista com sites maliciosos já detectados pela equipe da empresa:

Fonte: Tecmundo

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: