Fraudes de identidade ganha feições de epidemia

Níveis epidêmicos: é assim que o serviço de prevenção de fraudes Cifas se refere ao problema de fraudes de identidade no Reino Unido. A companhia afirma que já são 89 mil casos apenas considerando 2017, um aumento de 5% em relação ao mesmo período do ano passado.

Os criminosos utilizam os dados roubados para conseguir empréstimos em bancos e fazer compras online. Por mais que o número de fraudes relacionadas à abertura de contas em bancos e clonagem de cartões tenha caído, os fraudadores estão conseguindo mais informações das pessoas nos ambientes online.

O detetive superintendente Glenn Maleary, diretor do setor de crimes econômicos da cidade de Londres, alerta que as pessoas devem ter cuidado a quem elas entregam suas informações.

“Sempre considere se é necessário ou não dividir esses detalhes. Pedimos a todos, tanto em casa quanto no trabalho, que garantam estar com as configurações de segurança corretas em todos os seus dispositivos. Esteja ciente a respeito de fraudadores de identidade e use nossas sugestões de proteção para ajudar a parar suas atividades”, explicou em um comunicado.

Nos Estados Unidos, analistas da Javelin Strategy & Research fizeram um levantamento e revelaram que as perdas decorrentes de fraudes de identidade atingem a marca de US$ 16 milhões.

Fonte: Tecmundo

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: