Windows 10 cresce e está cada vez mais próximo de superar Windows 7

Caso tendência do último ano seja mantida, PCs Windows 10 devem superar o sistema antigo já no próximo mês de agosto. macOS, da Apple, alcança marca de 10%.

O Windows 10 ganhou mais usuários em janeiro de 2018 do que em qualquer outro mês desde o meio de 2016, segundo a empresa de análises Net Applications revelou na última semana.

Dados publicados pela companhia em 1º de fevereiro mostram que o Windows 10 acumulou 1,4% de participação no mercado em janeiro, fechando o primeiro mês do ano com 34,3% de presença nos PCs do mundo – e 39,1% de participação em todos os sistemas rodando Windows. (O segundo número é maior porque o Windows respondeu por 88,8% de todos os sistemas em janeiro, não 100%.)

Esse foi o maior crescimento do Windows 10 desde agosto de 2016, se deixarmos de lado a queda de 2,7% de novembro do ano passado. Esse declínio foi parte de uma renovação dos dados pela Net Applications, com a intenção de se livrar do tráfego falso com origem em bots criminosos, e que não representava uma prova de uma corrida pelo Windows 10.

Enquanto isso, o Windows 7, ainda o principal sistema usado nas empresas, perdeu 0,7% em janeiro, caindo para uma participação de 42,4% de todos os PCs – e 48,3% nos sistemas rodando Windows.

Esses movimentos são de extrema importância para a Microsoft, uma vez que a empresa planeja encerrar o suporte para o Windows 7 em janeiro de 2020. Durante os próximos dois anos, a companhia de Redmond vai fazer o máximo para que os usuários migrem do antigo Windows 7 para o Windows 10.

Tendências

Ao levantar as médias de quedas e crescimentos do Windows 7 e 10 nos últimos 12 meses, a Computerworld dos EUA revisou a sua previsão anual para as plataformas. Desta forma, a expectativa é que o número de PCs com Windows 10 supere o número de máquinas Windows 7 já em agosto, um mês antes da previsão anterior. Segundo as tendências do último ano, a participação do Windows 10 em agosto deverá alcançar os 41,3%, enquanto que o Windows 7 vai cair para 41,2%.

Ainda seguindo essa projeção linear, o Windows 7 deverá contar com nada menos do que 32% dos usuários de PCs em janeiro de 2020, quando a Microsoft deverá encerrar o suporte para o sistema – o Windows 10 teria 59% de participação então.

No entanto, é improvável que os ritmo reais de expansão do Windows 10 e de queda do Windows 7 sigam esse modelo por tanto tempo: os sistemas não são adotados ou descartados de um modo tão simples. Em vez disso, as taxas de migração costumam acelerar à medida que se aproxima o fim do ciclo de um sistema antigo.

Mesmo assim, os dados da Net Applications ilustram o problema representado por essa “teimosia” do Windows 7. Caso a previsão da empresa esteja pelo menos um pouco próxima do real, isso significa que milhões de máquinas ainda estarão rodando o Windows 7 em janeiro de 2020, quando a Microsoft vai liberar o último update de segurança para o sistema, deixando assim muitos e muitos usuários vulneráveis a possíveis novos exploits criados por hackers que nunca serão corrigidos pela companhia.

Apple sobe

Além desses números todos sobre o Windows, os dados de janeiro da Net Applications também mostram que o macOS, da Apple, cresceu 0,9% em janeiro, um aumento que a empresa de Cupertino não registava desde abril de 2016. Esse impulso colocou a plataforma da Apple para computadores na casa dos 10% de participação de mercado.

Fonte: IDGNow!

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: