Criptomineradores estão tomando o lugar de ramsomwares

A Kaspersky fez uma previsão no final de 2017 que se concretizou neste ano: os criptomineradores roubaram o primeiro lugar dos ransomwares na lista de ameaças mais temidas entre consumidores e empresas.

“Podemos afirmar que os ransomware estão em declínio”, comentou a empresa. “Apesar de continuarem com seus impactos dramáticos e grande potencial de assustar as vítimas, que vão desde usuários domésticos manipulados por ameaças de arquivos ilícitos e constrangedores em seus computadores até empresas pressionadas a pagarem grandes valores para recuperar acesso a arquivos críticos”.

Alguém que usa secretamente seus recursos eletrônicos pode esconder suas intenções, mas não é possível agir em total sigilo

Segundo dados da Kaspersky, o número de usuários atacados por criptomalwares caiu quase pela metade, de 1,1 milhão em 2016/2017 para 751 mil em 2017/2018. Dessa maneira, os criptomineradores assumiram o lugar: o número de detecções subiu de 1,9 para 2,7 milhões, assim como a proporção de ameaças detectadas, de 3% para 4%.

“Enquanto o ransomware aparece e aterroriza suas vítimas, os criptomineradores fazem de tudo para ficarem escondidos — quanto mais tempo trabalharem, maiores os lucros dos criminosos — e, como resultado, as vítimas podem não notá-los por um tempo”, afirma a Kaspersky. “Se você quiser testar a mineração de criptomoedas, deve levar em conta o impacto. Alguém que usa secretamente seus recursos eletrônicos pode esconder suas intenções, mas não é possível agir em total sigilo. Um computador ou dispositivo móvel que esteja executando esse tipo de atividade pode refletir algumas mudanças sutis ou mais óbvias”.

Se você quiser saber quais são as mudanças que um criptominerador pode causar no seu PC ou smartphone, veja abaixo:

  • A capacidade de resposta do sistema vai ficar mais lenta — já que a memória, o processador e o adaptador gráfico do dispositivo estão atolados para completar as tarefas de mineração
  • As baterias vão acabar muito mais rápido do que antes e os dispositivos podem superaquecer
  • Se o dispositivo tem um plano de dados, os usuários vão ver esse uso disparar

Já para se proteger, melhores práticas:

  • Atualize regularmente o seu sistema operacional e todos os programas. Sugerimos que comece agora
  • Desconfie sempre dos anexos de e-mail. Antes de clicar para abrir um anexo ou seguir um link, reflita: é de alguém que você conhece e confia? É esperado? Está limpo? Passe o mouse sobre os links e anexos para ver como estão nomeados ou para onde realmente direcionam
  • Não instale programas de fontes desconhecidas. Podem conter, e frequentemente contêm, criptomineradores maliciosos
  • Utilize uma boa solução de segurança.
Fonte: Tecmundo

Deixa aqui o seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: