Mega vazamento: 2,2 bilhões de senhas circulam pela rede

No começo do mês, o pesquisador de segurança Troy Hunt revelou que um vazamento, batizado de Collection #1, tinha exposto os e-mails de 773 milhões de pessoas e mais de 21 milhões de senhas. Em seguida, o pesquisador de segurança da informação Brian Krebs informou que existiam outros pacotes de credenciais, o Collection #2 até o Collection #5, que tinham até dez vezes o tamanho do vazamento original. Agora, diferentes pesquisadores de segurança da informação tiveram acesso e analisaram esses últimos quatro pacotes de dados. A conclusão é de que eles abrigam os nomes de usuários e senhas de 2,2 bilhões contas únicas, quase três vezes mais do que o primeiro pacote.

“Essa é a maior coleção de credenciais que já vimos”, disse à revista Wired Chris Rouland, pesquisador de cibersegurança da empresa Phosphorus.io. Boa parte desses arquivos é velha, composta por material de outros vazamentos, como do Yahoo, LinkedIn e Dropbox. Esses dados já vinham circulando na internet em fóruns e programas de torrent – apenas uma fração seria inédita. Ainda assim, o Hasso Plattner Institute, na Alemanha, afirmou que 750 milhões das credenciais não faziam parte do seu catálogo de informações vazadas. Já Rouland 611 milhões de credenciais não faziam parte da Collection #1 – é comum que em grandes compilações de dados exista informação duplicada.

Os pesquisadores também chamam a atenção para a livre circulação do material na internet. É comum que vazamentos inéditos sejam vendidos por valores altos na rede e percam valor conforme envelhecem, dando tempo para que seus proprietários ou empresas tomem ações para combater invasões. Segundo os pesquisadores, a fácil disponibilidade indica que as credenciais perderam apelo, mas não significa que não possam ser úteis para para hackers menos habilidosos, que ainda podem tentar descobrir se as senhas e logins funcionam.

Rouland não revelou quais companhias foram afetadas pelo vazamento, mas disse estar tentando contato com elas e que também está aberto a conversar com representantes de empresas que acreditam terem sido afetadas.

Troy Hunt publicou em seu site – haveibeenpwned.com – uma ferramenta em que usuários podem checar se foram afetados pelo vazamento Collection # 1. O recurso também mostra se um e-mail já foi afetado em outras falhas de segurança, como a da rede social Myspace ou a do serviço de música Last.fm. A recomendação dos especialistas é que as pessoas troquem as senhas das contas caso elas estejam listadas na ferramenta de Hunt. Os pesquisadores da Plattner Institute em Potsdam criaram uma outra ferramenta para que usuários descubram se fazem parte do segundo pacote em diante.

Fonte: Estadão

One Response to Mega vazamento: 2,2 bilhões de senhas circulam pela rede

  1. José Pinheiro says:

    Caro amigo Victor, ainda bem que tomo as devidas precauções e tenho a proteção do Bitdefender Total Security. O negócio tá feio, hein?

%d blogueiros gostam disto: