Python: linguagem fácil e poderosa

pythonA linguagem de programação Python tem ganhado popularidade nos últimos meses entre programadores. Segundo índice da Tiobe, empresa que avalia a qualidade de software, Python já é a quarta linguagem mais utilizada, atrás apenas de Java, C e C++.

Mas por que o Python pode ser considerada a melhor linguagem para iniciantes na área?

Além de ser um requisito em desenvolvedores de grandes empresas, ela permite que você trabalhe com data science e machine learning, e em muitas outras áreas que hoje em dia são essenciais nas organizações de grande porte. É o que explica a plataforma de cursos on-line Udemy, que listou os principais motivos para que Python seja considerada a melhor linguagem de programação para inciantes. Confira:

Facilidade

Python é uma linguagem ágil, fácil e objetiva, o que democratiza seu ensino e a faz ser procurada cada vez mais. É uma linguagem orientada a objetos criada em 1991 e a sua simplicidade é sua maior característica. Conta com um modelo comunitário de desenvolvimento, que é aberto e sem fins lucrativos.

Democrática É também uma linguagem para todos os públicos: crianças, universitários, desenvolvedores, entusiastas da programação etc. Se você tem um projeto a ser desenvolvido, precisa de uma ajudinha de linguagens de programação, mas não sabe muita coisa sobre o assunto, o Python é o que você procura.

Simplicidade

Por ser uma linguagem de alto nível, o Python não requer conhecimentos de outras linguagens para que se possa trabalhar com ele. A lógica da programação pode ser aplicada diretamente ao código, o que faz com que seu aprendizado seja simples e rápido. É, também, uma linguagem que requer menos código para concluir tarefas que são básica. Com apenas uma linha de código, você pode determinar uma sequência e montar uma lista. Python é uma linguagem de fonte livre e aberta, com uma grande comunidade de apoio para seus desenvolvedores.

Robustez

Apesar de sua simplicidade, o Python pode ser aplicado em projetos robustos. Back-end de sistemas web, ciência de dados, machine learning, simulações etc. são alguns exemplo de projetos em que o Python pode marcar presença. Os setores de tecnologia de empresas como Google, YouTube, Disney e IBM estão repletos de funcionários que dominam o Python. Não é à toa que são as empresas responsáveis pelo crescimento desse mercado – e é justamente por isso que você deve dar uma chance para essa linguagem.

Eficácia

Para quem não quer encontrar regras difíceis de serem entendidas e executadas, o Python também não decepciona. A sintaxe dessa linguagem é fácil de aprender, e um comando termina quando uma linha acaba. Isso significa que as exigências do Python são reduzidas, e que uma linha de código é suficiente para a realização de tarefas que exigem mais de três linhas de código em outras linguagens. Assim, o programador tem menos chances de errar. Por ser uma linguagem interpretada, e não compilada, o Python tem seu código-fonte lido por um interpretador e convertido em código executável por uma máquina. Por não ser processada por um compilador para um formato específico, a linguagem roda em diferentes plataformas – basta ter um interpretador para processar o código. Isso torna o Python uma linguagem multiplataforma.

Fonte: IDGNow!

Windows 10: mais problemas depois do último update

win10_wallpaperOs problemas com a mais recente atualização do Windows 10 não param. Depois de problemas com o update que apagava arquivos dos usuários, agora, a atualização de outubro da plataforma tem causado outro incômodo: o brilho da tela é reduzido toda vez que a máquina é reiniciada.

Relatos no Reddit e no fórum da Microsoft dão conta que o problema apareceu na versão 1809 do Windows 10 October 2018 Update e reduzia brilho do display em até 25% sem qualquer ação manual do usuário. Em alguns casos, como com usuários do Surface Go, o sistema de controle do brilho simplesmente não funcionava mais, como relata o site Windows Latest.

Após reclamações, a Microsoft agiu para solucionar o problema e já disponibilizou uma correção para participantes do programa Insider (Windows 10 19H1 Build 18262), que, em breve, chegará a todos os usuários do sistema operacional.

Opinião do seu micro seguro: pra quem já se cansou dos bugs do Windows, minha dica é partir para o mundo Linux. Tem muitas distros fáceis de usar e com uma ótima variedade de softwares para uso no dia a dia. Além disso, no universo Linux vírus são uma verdadeira raridade. Estou no ambiente Linux há mais de 1 ano e por enquanto é só alegria!

Fonte: Tecmundo

Como evitar o rastreamento dos seus e-mails

person using macbook pro on brown wooden deskNinguém gosta de ser rastreado e ter suas fotos e conversas remexidas — mesmo que, infelizmente, muitas pessoas prefiram menos privacidade em troca de uma suposta segurança.

Segundo os pesquisadores da Universidade de Princeton, que analisaram por volta de 1 mil e-mails marketing, 70% das mensagens enviadas continham rastreadores de anúncios. Isso significa que a maioria dos e-mails baixavam elementos automaticamente, como imagens invisíveis, “que não apenas informam o remetente sobre quando e quantas vezes o usuário abriu aquele conteúdo, mas também transmitiam dados pessoais (endereço de e-mail, por exemplo) na QueryString. E mais, a query rastreadora do domínio revelava o endereço do IP, a partir do qual a localização aproximada do dono da conta poderia ser determinada”, explica o pessoal da Kaspersky Lab.

Objetivo: te vender produtos

Na maioria dos casos, os desenvolvedores de e-mails marketing utilizam essas ferramentas para segmentar as mensagens com maior assertividade — além dos Testes A/B para determinar assuntos que atraem mais os destinatários. Porém, essa funcionalidade pode armazenar os cookies no navegador e, dessa maneira, reconhecer o destinatário em outros sites além das plataformas de e-mail.

No final das contas, todo rastreamento serve para te vender produtos. Com mais informações sobre os usuários, os anúncios podem ser melhor direcionados. Se você usa o Gmail, pode se considerar o “menos azarado”, nota a Kaspersky.

“Esse provedor (e, possivelmente, alguns outros) baixa todas as imagens da mensagem para os seus servidores antes de repassá-las para sua caixa de entrada. Isso significa que as redes de anúncios não podem armazenar cookies em seu navegador ou mesmo descobrir se leu a mensagem — a não ser que paguem o Google por essa informação”, explica a Kaspersky. “Usuários de outros provedores de e-mail também têm uma boa notícia: ferramentas usadas para bloquear rastreadores de sites funcionam muito bem para e-mails, e você pode usar uma VPN para esconder seu verdadeiro endereço de IP”.

Para evitar o rastreamento, é interessante desabilitar o download automático de imagens em seu email e baixar imagens apenas de remetentes confiáveis. Além disso, você pode usar uma ferramenta própria para bloqueio e uma VPN que ajude a esconder o seu endereço de IP.

Fonte: Tecmundo

Outubro Rosa fake no WhatsApp: cuidado!

Outubro-RosaSegundo a Kaspersky, criminosos podem obter ganhos de diversas formas, incluindo visualizações na página e instalação de programas maliciosos.

Cibercriminosos estão usando a campanha Outubro Rosa, que tem o objetivo de alertar sobre a prevenção do câncer de mama e de colo de útero, para enganar brasileiros pelo WhatsApp. As informações são da Kaspersky Lab.

Conforme a empresa de segurança, o golpe envia mensagens falsas para os usuários pelo app de mensagens afirmando que diversas lojas do país se uniram para distribuir camisetas para apoiar a campanha.

Como em outros casos do tipo já registrados, os criminosos afirmam que para ganhar uma camiseta as vítimas precisam responder a um questionário, dividido em três etapas, e compartilhar a suposta ação promocional com 10 contatos pelo WhatsApp.

No entanto, feito isso, o usuário é direcionado a um site falso que solicita a instalação de uma rede privada virtual, ou VPN, já em uma tentativa dos golpistas de monetizarem a ação enganosa.

“Podemos ver que o criminoso ganha de muitas formas, seja pelos milhares de page-views no site da enquete com propagandas, seja em um esquema de pay-per-install ou até mesmo com a instalação de programas maliciosos, como já vimos anteriormente”, explica o analista sênior de segurança da Kaspersky Lab, Fabio Assolini.

Entre outras coisas, a companhia diz que os usuários devem ficar atentos e desconfiar de ações promocionais e ofertas recebidas via WhatsApp, não clicar em links, especialmente recebidos de desconhecidos, e manter uma solução de segurança atualizada no smartphone.

Fonte: IDGNow!

Microsoft age em favor do Linux

ms_loves_linuxEm um movimento considerado surpreendente por muitos, a Microsoft anunciou no dia 10/10 à sua entrada na Open Invention Network (OIN). Com isso, a empresa vai compartilhar praticamente todo o seu portfólio de patentes com outras empresas e desenvolvedores de projetos de código aberto, protegendo especialmente quem trabalha com o Linux de processo judiciais envolvendo propriedade intelectual.

Para isso, a Microsoft abriu mais de 60 mil de suas patentes, tendo mantido fechadas apenas aquelas referentes ao Windows desktop e algumas aplicações também desenvolvidas para esse segmento. Dessa maneira, deixará de ganhar bilhões de dólares com licenciamento de patentes para fabricantes de smartphones Android, por exemplo.

Só em 2014, a empresa de Bill Gates lucrou US$ 3,4 bilhões com o licenciamento de patentes de software para empresas como a Samsung. Com sua participação na OIN, a empresa deixará de ganhar essa receita, mas também terá acesso gratuito às centenas de milhares de patentes de outras companhias.

A cereja do bolo

A Microsoft vem apoiando a comunidade de desenvolvedores de software livre nos últimos anos, mas as plataformas da empresa voltadas para esse público são sempre encaradas com ceticismo. Isso porque, em décadas passadas, a empresa teve incontáveis brigas judiciais com empresas que trabalhavam com Linux e conseguiu ganhar muito dinheiro com isso.c

Nós disponibilizamos todo o nosso portfólio de patentes para o sistema Linux. Isso não é apenas referente ao kernel do Linux

Dessa maneira, deixar de cobrar de fabricantes de aparelhos Android uma boa soma de seus lucros por conta de patentes era a última grande ação que a Microsoft poderia fazer para provar que de fato é uma aliada, e não mais uma inimiga.

“Nós disponibilizamos todo o nosso portfólio de patentes para o sistema Linux. Isso não é apenas referente ao kernel do Linux, mas também para outros pacotes construídos a partir disso”, disse Erich Andersen, chefe do departamento de PI da Microsoft, em comunicado oficial.

Mudança filosófica

A Microsoft passou de “principal inimiga do Linux” e de empresas que desenvolvia projetos abertos baseados nesse SO para uma de suas principais aliadas. Mais de 2,5 mil funcionários da companhia estão no GitHub e compartilham constantemente projetos de código aberto com a comunidade de desenvolvedores.

Nós mostrados com nossas atitudes que estamos comprometidos com o software livre

Falando em GitHub, a Microsoft comprou a plataforma em 2018 e, diferente do que pensavam os mais pessimistas, a empresa não acabou com a comunidade, tampouco está caçando infratores de suas patentes.

“Nós viemos de uma posição em que não éramos nada amigáveis com a comunidade de software livre”, disse Scott Guthrie, líder do setor de computação em nuvem da Microsoft ao ZDNet. “Mas você deveria observar nossas ações nos últimos cinco ou seis anos. No fim das contas, nós mostrados com nossas atitudes que estamos comprometidos com o software livre”.

Fonte: Tecmundo

USBNinja: o malware que se esconde nos cabos

usbninjaPendrives infectados não são novidade para ninguém, contudo, uma nova forma de ataque USB reside nos cabos de conexão: é a USBNinja. Segundo um grupo chamado RFID, um cabo USB “comum” pode abrigar um controle Bluetooth e descarregar um malware no PC conectado. Agora, o RFID está financiando a USBNinja na internet.

O RFID teve sucesso ao desenvolver um cabo USB equipado com a antiga vulnerabilidade BadUSB — um que código consegue infectar o firmware de pendrives. No seu exterior, o cabo é comum, contudo, uma unidade Bluetooth também é adicionada na terminação, permitindo a transmissão de energia e dados de maneira remota. Dessa maneira, um malware é descarregado no computador.

Vale notar que o USBNinja está em financiamento pelo CrowdSupply, com preço mínimo de US$ 79

Para ativar o USBNinja, um atacante precisa estar fisicamente próximo do dispositivo a ser infectado, em uma distância máxima de 100 metros. Além de um controle remoto, um aplicativo também oferece a possibilidade de ativar a infecção.

“A USBNinja é uma ferramenta de teste de segurança e penetração de informações que parece e funciona exatamente como o cabo USB normal (energia e dados) até que um controle remoto sem fio dispare para fornecer a carga de ataque à máquina host. Em essência, o USBNinja é o próximo passo na evolução do BadUSB, incorporando o ataque no próprio cabo USB”, explica o RFID.

Vale notar que o USBNinja está em financiamento pelo CrowdSupply, com preço mínimo de US$ 79. Os desenvolvedores também montaram versões USB-C, MicroUSB e Lightning, para infectar dispositivos Apple.

Mais detalhes podem ser vistos no vídeo abaixo:

Fonte: Tecmundo

Atualização problemática do Windows 10

w10_bugA grande atualização “October 2018” que a Microsoft vem trazendo para o Windows 10 desde o início do mês causou problemas para vários usuários, que registraram sumiço de arquivos. Em seguida, a própria companhia lançou um update cumulativo, justamente para corrigir isso. Mas, ao que parece, a solução não caiu bem para quem usa máquinas HP: diversos relatos na web afirmam que a instalação KB4462919 para Windows 10 v1803 tem causado a famosa “tela azul da morte” em PCs e laptops da HP.

Disponibilizada na última terça-feira (9/10), o que deveria ser uma solução tem causado um conflito com o arquivo C:\Windows\System32\drivers\HpqKbFiltr.sys, que é um driver para teclado e faz parte do software HP Quick Launch Buttons — ferramenta para configurar botões de início de programas no Windows.

De acordo com as reclamações de vários consumidores, quando o update KB4462919 começa a rodar nas máquinas HP elas travam e exibem o erro fatal com a mensagem “Seu PC teve um problema e precisa ser reiniciado”, junto do código WDF_VIOLATION. Algumas pessoas dizem que o próprio driver sumiu depois disso e há até quem tenha encontrado a falha também em produtos da Dell.

Como corrigir a WDF_VIOLATION nas máquinas HP?

Felizmente, o site Bleeping Computer encontrou uma forma de contornar essa situação, enquanto a Microsoft pausa novamente a distribuição dessa correção e investiga o que aconteceu. O jeito é deletar ou renomear o arquivo HpqKbFiltr.sys após o reinício do sistema.

Ao abrir o Windows 10 novamente, é preciso escolher a opção “Solução de Problemas”. Depois disso, siga em “Opções Avançadas” e em seguida “Prompt de Commando”. Assim é possível renomear o HpqKbFiltr.sys para HpqKbFiltr.bak e recomeçar normalmente o sistema. A gigante de Redmond ainda está trabalhando em mais um ajuste e a HP por enquanto não comentou esse problema.

Fonte: Tecmundo