Metade das empresas ainda usa o Windows XP

Apesar de a Microsoft ter encerrado oficialmente o suporte para o Windows XP em 2014, uma pesquisa lançada pela Spiceworks revelou um número um tanto quanto assustador: 52% das empresas ao redor do globo ainda utilizam o sistema operacional em pelo menos um de seus computadores. O estudo mostrou também que cerca de 9% das companhias também rodam pelo menos uma instância de suas redes com o Windows Vista — cujo suporte está programado para acabar em abril de 2017.

No entanto, de acordo com o estudo, o encerramento próximo do suporte para o Windows Vista deve impulsionar um maior número de corporações a realizar a atualização de seus sistemas. Ao menos é o que acredita Peter Tsai, analista sênior de tecnologia da empresa que desenvolve softwares para o mercado de TI.

Porém, o fato de tantas empresas ainda confiarem no Windows XP não significa que elas estejam mantendo redes sem segurança. O estudo mostra que, ao contabilizar o percentual de cada sistema operacional relativo ao número total de computadores em toda a rede da empresa, o Windows 7 representa 69% em todo o mundo, sendo seguido pelo Windows XP, com 14%. Na sequência, aparecem o Windows 10 com 9%, o Windows 8 com 5%, e, por fim, o Windows Vista com 1%. Em resumo, as versões antigas estão presentes nas máquinas, mas não são maioria.
O cenário deve mudar

De acordo com a companhia, a adoção do Windows 10 deverá crescer até julho de 2017, quando pelo menos um computador estará rodando o sistema em 73% das empresas ao redor do mundo. “Apesar de alguns departamentos de TI não serem capazes de atualizar seus sistemas em tempo devido a falta de tempo ou de orçamento, é crítico que profissionais de TI consigam mais recursos, dados os riscos de segurança ao se rodar sistemas operacionais com vulnerabilidades não corrigidas”, explica Tsai.

Fonte: Tecmundo

Microsoft força a barra para que usuários façam upgrade para o Windows 10

Não é novidade que a Microsoft quer fazer com que mais consumidores estejam com seus sistemas operacionais atualizados — saindo de versões mais antigas e migrando para o Windows 10, no caso. E uma prática que já era esperada acaba de começar a ser utilizada.

De acordo com informações obtidas pelo ArsTechnica, a partir deste mês os sistemas Windows 7 e Windows 8.1 não vão mais ser compatíveis com processadores mais recentes. Ou seja: computadores com chips de gerações mais novas vão parar de receber atualizações no sistema operacional — não vão ficar inutilizados, mas terão menos suporte.

Ainda segundo a fonte já citada, isso vai acontecer em computadores com processadores AMD Ryzen e também Intel Core — todos os de sétima geração (Kaby Lake) e alguns modelos ainda não listados dos chips da sexta geração (Skylake).

Quando consumidores com hardware incompatível tentarem atualizar os PCs, vão receber alertas de que o chip instalado foi criado para a “última versão do Windows”, havendo o bloquei das atualizações logo em seguida.

Fonte: Tecmundo

Cuidado: não é apenas o Windows 10 que está coletando dados dos usuários

privacidade_dados

É Domingo, dia para se desfrutar de descanso e falar sobre amenidades, mas não posso deixar para amanhã para comentar com vocês sobre esta notícia que está sendo motivo de preocupação mundo afora.

Desde que o Windows 10 foi lançado que têm surgido informações sobre a a coleta, não declarada, de informações de dados de seus usuários.

Se muitos optaram por permanecer nas versões anteriores do Windows, a verdade é que nem aí estão protegidos! O Windows 7 e 8.1 também já estão recolhendo esses dados.

Não foi bem recebida pelos internautas a informação de que a Microsoft passou a recolher, no Windows 10, informações sobre os usuários e os seus hábitos de utilização do Windows.

A decisão de muitos deles foi a de simplesmente ignorar o upgrade para esta nova versão do Windows, permanecendo fieis ao 7 ou ao 8.1. Mas a verdade é que nem assim estão protegidos.

Quatro novas atualizações lançadas para estes dois sistemas operacionais trazem agora a mesma coleta de dados, mais uma vez de forma discreta e sem que os usuários sejam informados desse rotina.

Estas vêm mascaradas como forma de melhoria da experiência de utilização e implementação de telemetria, mas na verdade vão recolher dados sobre a utilização do Windows.

Mas quais são essas novas atualizações?

Eis a lista dos novos updates que chegaram ao Windows 7 e 8.1, e que iniciam a implementação do processo de coleta de informação. Tal como no Windows 10 esta obtenção de dados é agressiva e bastante detalhada, não sendo declarada aos seus usuários.

KB3068708 Update for customer experience and diagnostic telemetry – This update introduces the Diagnostics and Telemetry tracking service to existing devices. By applying this service, you can add benefits from the latest version of Windows to systems that have not yet upgraded. The update also supports applications that are subscribed to Visual Studio Application Insights. (Windows 8.1, Windows Server 2012 R2, Windows 7 Service Pack 1 (SP1), and Windows Server 2008 R2 SP1)

KB3022345 (replaced by KB3068708) Update for customer experience and diagnostic telemetry – This update introduces the Diagnostics and Telemetry tracking service to in-market devices. By applying this service, you can add benefits from the latest version of Windows to systems that have not yet been upgraded. The update also supports applications that are subscribed to Visual Studio Application Insights. (Windows 8.1, Windows Server 2012 R2, Windows 7 Service Pack 1 (SP1), and Windows Server 2008 R2 SP1)

KB3075249 Update that adds telemetry points to consent.exe in Windows 8.1 and Windows 7 – This update adds telemetry points to the User Account Control (UAC) feature to collect information on elevations that come from low integrity levels. (Windows 8.1, Windows RT 8.1, Windows Server 2012 R2, Windows 7 Service Pack 1 (SP1), and Windows Server 2008 R2 SP1)

KB3080149 Update for customer experience and diagnostic telemetry – This package updates the Diagnostics and Telemetry tracking service to existing devices. This service provides benefits from the latest version of Windows to systems that have not yet upgraded. The update also supports applications that are subscribed to Visual Studio Application Insights. (Windows 8.1, Windows RT 8.1, Windows Server 2012 R2, Windows 7 Service Pack 1 (SP1), and Windows Server 2008 R2 SP1).

Os locais da Internet (vortex-win.data.microsoft.com e settings-win.data.microsoft.com) para onde estes dados são enviados está registrada de forma definitiva no Windows e não pode ser alterada com alterações no arquivo de hosts.

Como os usuários podem se proteger?

A forma mais simples dos usuários do Windows 7 e do Windows 8.1 se protegerem é simplesmente não instalarem estas atualizações do Windows.

Mas caso já o tenham feito, podem sempre removê-las do Windows, através do Painel de Controle. Como alternativa podem ser executados os comandos apresentados abaixo, numa janela do DOS e com permissões de Administrador:

wusa /uninstall /kb:3068708 /quiet /norestart
wusa /uninstall /kb:3022345 /quiet /norestart
wusa /uninstall /kb:3075249 /quiet /norestart
wusa /uninstall /kb:3080149 /quiet /norestart

Depois de executarem esses comandos devem acessar ao módulo de Atualizações do Windows e ocultar as atualizações que foram removidas.

Depois de toda a indignação e comentários menos positivos sobre a forma como a Microsoft implementou o recolhimento de dados sobre os usuários e a forma como utilizam o Windows 10, esta novidade será certamente é um motivo a mais para alimentar a indignação e a revolta por parte dos usuários que veem a sua privacidade invadida pela ação do fornecedor do sistema operacional.

Agradecemos ao Paulo Sollo, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: pplware