Serviços que irão te ajudar a não ser enganado na Black Friday

Black-FridayA Black Friday não é exatamente muito querida pelos consumidores brasileiros. Isso porque as promoções nem sempre são realmente atrativas e muitas lojas aumentam seus preços semanas antes para oferecer “descontos” no tal dia. Para você não ser enganado por ofertas do tipo “metade do dobro”, pode ser interessante usar alguns destes sites:

JáCotei

O JáCotei é um site que permite que o consumidor acompanhe o preço de diversos produtos nas mais variadas lojas da internet.

A página se destaca por fornecer um gráfico que exibe quanto o produto custou desde que começou a ser comercializado por aqui. Assim é possível ver se houve algum aumento repentino de preço nos dias que antecedem a Black Friday. Outra possibilidade interessante é ganhar milhas aéreas com as compras feitas usando os serviços do site.

Zoom

A Black Friday é também conhecida como o dia das filas. Lojas ficam entupidas de pessoas e até quem tenta comprar online acaba precisando enfrentar a concorrência de outros internautas.

Por isso, além de também permitir visualizar o histórico de preços, o Zoom oferece uma funcionalidade bastante interessante que te avisa quando uma página está com uma grande quantidade de usuários. Basta pesquisar pelo produto desejado e observar se há a inscrição “Tráfego Intenso”. Se isso acontecer, pode ser melhor optar por comprar o produto em outra loja.

Baixou Agora

A grande peculiaridade desta página é a possibilidade de economizar algum dinheiro ao usar cupons de desconto em sites de varejo. O próprio serviço faz a busca pelos cupons e testa se eles realmente funcionam.

O que pode ser encarado como uma desvantagem em relação aos concorrentes é o fato de que o Baixou Agora exige a instalação de uma extensão própria no navegador para funcionar. Depois de instalada, a aplicação faz a busca por cupons exclusivos dos sites que você acessa e os aplica nas compras que serão feitas. Tudo automaticamente.

Busca Descontos

O site tem funcionamento simples e permite que o usuário busque pelo menor preço e os maiores descontos oferecidos por algum produto de sua preferência.

Ele se destaca por permitir que o internauta visualize quais lojas estão oferecendo descontos no momento. No entanto, esses descontos são informados pelas próprias lojas. Por isso, há sempre a possibilidade de que as ofertas não sejam tão vantajosas assim.

Buscapé

O Buscapé talvez seja um dos sites mais conhecidos quando o assunto é comparação de preços. Ele permite checar o histórico de valores e também criar alertas que avisam o internauta quando um produto está com o preço baixo.

Uma boa diferença em relação aos outros sites é que o Buscapé trabalha também com aplicativos para Android, iOS e Windows Mobile. Assim você pode pesquisar os melhores preços sem precisar acessar o site em seu smartphone ou tablet.

Fonte: Olhar Digital

Black Friday chegando….cuidado com as compras!

black_friday_2016A Black Friday, Cyber Monday, juntamente com o Natal, constituem a alta temporada de caça para os cibercriminosos. Enquanto você está tentando conseguir uma TV novinha ou uma calça jeans pelo preço de meias, bandidos estão tentando roubar seu dinheiro. Por exemplo, nossas estatísticas mostram que o número de páginas de phishing que tem por alvo dados financeiros aumenta em um terço nesta época.

Como se proteger e ainda se divertir fazendo compras na Black Friday? Temos dicas, mas primeiro deixe-nos descrever os tipos mais comuns de golpe a sua espera nessa temporada.

Fique de olho nas lojas falsas

A questão que mais impressiona com compras online é que basicamente você está trocando dinheiro pela promessa de que algo será entregue. Pense bem, durante um período de 1 a 7 dias, seu dinheiro já foi embora e tudo que você tem é um e-mail dizendo que seus bens estão a caminho.

Lojas falsas não têm porque manter promessas. Elas pegam seu dinheiro ou seus dados de cartão de crédito e desaparecem. Essas lojas tendem a ter três coisas em comum:

  • Você nunca ouviu falar delas;
  • Dependem muito de propaganda;
  • Oferecem descontos absurdos; como um iPhone novinho por R$ 400.

Se você der de cara com um negócio que parece bom demais para ser verdade, não caia. Tanto na Black Friday quanto nos outros dias, melhor comprar em sites que você já tenha tido alguma experiência.

Mais uma coisa: criminosos também tentam se passar por lojas populares para roubar dados de cartão de crédito. Então preste bastante atenção na URL. Se for algo como MarcadoLivre.com no lugar de MercadoLivre.com, não faça nada no site, especialmente inserir dados financeiros.

Não seja enganado por mensagens de entrega falsas

O phishing depende muito de engenharia social e para ela funcionar, depende da sua vontade de ter algo ou de estar acostumado a algo. Então, se você pediu um monte de coisas e está só esperando os pacotes aparecerem – como muita gente nessa época – um e-mail “Informações sobre seu pedido” ou “Confirmação de entrega” pode até parecer legítimo, e importante o suficiente para que você o abra, baixe um anexo ou clique em um link.

Esse cenário simples é a essência dos golpes de engenharia social envolvendo compras de fim de ano. O e-mail não é necessariamente legítimo. Pode ser enviado por criminosos que estão tentando te atrair para baixar malwares como banking Trojans ou ransomware, ou fazê-lo enviar seus dados pessoais. Então, antes de abrir, tenha certeza de que o remetente é legítimo.

Conheça seus contatos

Então, a Black Friday e a Cyber Monday foram cheias de oportunidades para comprar um monte de coisas úteis. E então você recebe uma mensagem que parece ser do seu banco informando que detectou atividades suspeitas em seu cartão de crédito. A mensagem orienta que você faça uma ligação para verificar se tem conhecimento de todas as compras.

É bastante fácil de acreditar, considerando quantas coisas você comprou em vários lugares, mas não se apresse para ligar para esse número na mensagem – ela pode levá-lo a cibercriminosos. Em vez disso, encontre o número oficial de seu banco e ligue para confirmar a autenticidade da mensagem. Se realmente houve atividade suspeita, vão orientá-lo.

Outras armadilhas

As possibilidades de phishing durante as vendas da Black Friday parecem infinitas, e os criminosos investem muito tempo para criar estratégias. Outro exemplo, um site falso pode oferecer cartões de presentes gratuitos em troca de suas informações. Claro, não há cartões. Não existe almoço grátis.

Outro site pode atrair vítimas com cupons baratos, incentivando quem quer economizar – essa é a promessa. Naturalmente, os sites legítimos de cupons existem, mas há também os mal-intencionados.

Esses truques são apenas a ponta do iceberg; Os cibercriminosos têm lançado novas ideias com bastante frequência, fazendo como vítimas desde heavy-users até usuários pouco frequentes. Fizemos uma lista com dicas que podem protegê-lo.

Mantenha-se alerta

Não estamos sugerindo que se torne paranoico, mas comprar online requer alguns cuidados. Pode parecer estragar a diversão, mas perder dinheiro é muito pior. Recomendamos que mantenha os olhos abertos o tempo todo. Sugestões:

  • Entenda o que é phishing e como evitá-lo.
  • Não clique em links suspeitos – podem levá-lo a malwares.
  • Sempre confirme se páginas online, cartas e mensagens de texto são verdadeiras.
  • Conte com uma solução de segurança confiável.
Fonte: Kaspersky blog

Guia para quem vai às compras na Black Friday brasileira

compras-onlineEsta semana, a Black Friday acontece pela sexta vez no varejo online brasileiro. Todo ano é a mesma coisa: lojas aumentam os preços antes do evento e depois oferecem “desconto”. Ou, mesmo que a oferta seja real, o site não aguenta a demanda e fica instável.

Felizmente, as pessoas estão mais atentas a isso. E você poderá encontrar boas promoções, já que esta será a última grande oportunidade de comprar smartphones e PCs com isenção fiscal. Siga os três passos abaixo para aproveitar melhor a Black Friday.

1) Essa oferta é boa mesmo?
Você pode descobrir se as lojas inflaram os preços para fingir desconto. Há diversos sites onde você pode conferir o histórico de preços:

JáCotei: mostra a variação dos preços mínimo e máximo de cada produto, e só reúne os preços de lojas grandes e estabelecidas. Para usar, encontre o produto, vá em “Gráfico de Preços” e confira o valor mínimo alcançado nos últimos meses. Se o preço na Black Friday estiver maior, então a “oferta” é cilada.black_fridayBizoo: este site mostra em um gráfico a variação do preço mínimo para cada produto; basta encontrar determinado item e a variação de preço estará lá.bizooTambém há um gráfico que mostra o histórico de preço de cada loja, se você descer a página e clicar em “Histórico de Preço”. Você pode escolher diferentes períodos: últimos 7/30/60/90/120 dias, por exemplo.

Buscapé: oferece um gráfico que acompanha o preço mínimo de um produto durante os últimos 30 dias. Encontre o produto e desça a página até a seção Histórico de Preço (ou clique em “Veja os preços dos últimos 30 dias”). O preço mínimo pode ser oferecido por lojas menos confiáveis, no entanto.buscapeBaixou: neste site você verá o preço mínimo dos produtos em cada loja, mas não o preço mínimo geral (englobando todas as lojas).baixou

O Baixou também oferece uma extensão para saber se você encontrou o menor preço do mercado: o Baixou Agora está disponível para Chrome, Firefox, Safari e Internet Explorer.

2) Essa loja é confiável?
A oferta pode até valer a pena, mas se a loja não for confiável, você não vai receber o produto. Em quem confiar?

Para descobrir a reputação atual de uma loja, visite o Reclame Aqui ou o Reclamão.com. Não se assuste caso haja muitas reclamações – dependendo do tamanho da loja, isso é esperado. Mas fique de olho no número de reclamações não-atendidas, e em quantas pessoas “voltariam a fazer negócio”.

reclameaquiDê uma olhada também no motivo das reclamações: é atraso na entrega? Problema no reembolso? Isso ajuda a entender melhor a reputação da empresa. E mesmo que você conheça a loja, vale a pena conferir o status dela em reclamações, porque isso pode mudar com o tempo. Às vezes, uma loja confiável passa a dar dores de cabeça alguns meses depois.

Além disso, fique de olho no link da compra para garantir que você está em um site confiável. Veja na barra de endereços do navegador se o “https://” e o cadeado estão presentes.

3) Você conseguiu fazer a compra com sucesso?
A Black Friday tradicionalmente é uma chance de as lojas desovarem produtos, e elas não trabalham com estoques enormes. Por isso, as ofertas costumam esgotar bem rápido – e você precisa ser rápido também. É preciso ter paciência e insistir, já que os sites costumam ficar congestionados.

Se o preço mudar durante a compra, você pode se proteger fazendo capturas de tela e registrando sua reclamação na empresa. Assim, você poderá ter direito ao cumprimento da oferta – a loja precisa responder em até cinco dias.

Durante o processo de compra, guarde capturas de tela sempre que possível: no Windows 8 ou 10, pressione as teclas Windows + PrtSc; no OS X, use Command+Shift+3; em outros sistemas, pressione a tela PrintScreen e depois cole a imagem em algum programa de imagens (como o Paint).

Se tudo der certo, salve tudo que possa comprovar a compra, incluindo o seu pedido, comprovante de pagamento e anúncios. Se a loja estourar o prazo prometido, você pode cancelar a compra ou trocar a mercadoria. Registrar sua queixa no Reclame Aqui ou Reclamão.com também ajuda. E caso você se arrependa da compra, pode cancelar o pedido em até sete dias – a empresa tem que devolver 100% do valor, incluindo frete.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Gizmodo

Vem aí a Black Friday e o crecimento dos ransomwares

ransomwareA temporada de compras de fim de ano está prestes a começar, e a expectativa do mercado é de que as compras online continuarão a desempenhar um papel importante nas vendas. Mas, embora a Black Friday e a Cyber Monday sejam, geralmente, vistas como o início da temporada de compras de fim de ano, os especialistas em segurança da F-Secure alertam que os criminosos podem executar campanhas de ransomware e malware durante todo o mês de dezembro, e não somente nos dias com o maior volume de vendas.

“A Cyber Monday é apenas a ponta do iceberg das compras de fim de ano. Os criminosos estão à espreita das pessoas 365 dias por ano, mas os ataques se tornam mais constantes durante o fim do ano, porque mais pessoas fazem compras online. A Cyber Monday não é mais nem menos segura do que qualquer outro dia do ano. Ainda assim, as pessoas devem se conscientizar de que sites poluídos de anúncios pode resultar em surpresas desagradáveis”, diz Sean Sullivan, F-Secure Security Advisor.

O ransomware é um software malicioso que permite ao criminoso impedir o acesso ao computador da vítima até que ela pague um “resgate”. A F-Secure Labs observou um significativo aumento das detecções de diversas famílias de ransomware entre novembro e dezembro de 2014, incluindo um aumento de aproximadamente 300% da família Browlock* de ransomware, destacada como uma das dez maiores ameaças no mais recente relatório de ameaças da F-Secure.

O Browlock é um subconjunto de ransomware que os pesquisadores denominam “ransomware policial”, pois ele impede o acesso aos computadores das pessoas usando uma tela de bloqueio que alega agir em nome da lei. As detecções de ransomware policial aumentam significativamente antes e depois do fim de ano, mas os demais tipos de ransomware seguem outras tendências, em conformidade com a diferença de infraestrutura por trás deles.

O subconjunto Cryptowall, que utiliza técnicas de criptografia para bloquear o acesso a conteúdos como imagens e documentos, usa agentes humanos para ajudar as vítimas a completarem seus pagamentos e desbloquear seus dispositivos. Apesar de ter pouca incidência, é mais um perigo a ser considerado durante o fim de ano. Segundo Sullivan, a atividade do Cryptowall sofreu uma queda repentina no início de janeiro do ano passado,** indicando que as pessoas que executavam campanhas de Cryptowall durante a temporada de fim de ano estavam, muito provavelmente, saindo de férias.

“O ransomware policial usa muito mais automação do que as famílias que realmente criptografam dados; vale destacar que a maioria dessas famílias de ramsonware não desbloqueia os dispositivos após a vítima pagar”, comenta Sullivan. “Mas o Cryptowall e famílias semelhantes empregam pessoas em call centers para ajudar as vítimas a fazerem seus pagamentos, e essas pessoas tiram férias como todas as outras. No ano passado, o Cryptowall encerrou as operações por volta de 6 de janeiro – o Natal na Rússia; por isso, muito provavelmente elas estavam gastando o dinheiro que arrecadaram em dezembro para as suas próprias férias.”

Três dicas para compras online seguras neste fim de ano

Qualquer pessoa infectada com o Browlock ou outro ransomware policial pode consultar o F-Secure Labs’ removal guide (Guia de remoção da F-Secure Labs) para saber como remover o malware sem ter de pagar o resgate. Mas, ainda assim, a melhor defesa é que as pessoas evitem se expor a ameaças. Há algumas maneiras para minimizar os riscos ao fazer compras online.

1.Usar um iPad ou outro dispositivo móvel: Embora os dispositivos móveis sejam tão populares quanto os PCs, a maior parte do malware é projetada para comprometer PCs baseados em Windows; por isso, usar um dispositivo móvel para navegar nas ofertas de fim de ano pode minimizar os riscos. Sullivan diz que usa um iPad com o F-Secure Freedome para verificar as ofertas de fim de ano e obter ideias de presentes.

2.Fazer transações financeiras com um PC seguro: “Dispositivos móveis são muito convenientes, mas isso não os torna mais seguros”, diz Sullivan. Muitas pessoas têm, em seus dispositivos móveis, apps com permissões confusas ou invasivas; alguns até salvam dados em serviços de armazenamento na nuvem sem o conh ecimento das pessoas. Embora a maioria das ameaças de malware funcione em Windows, os PCs tradicionais oferecem às pessoas mais maneiras de gerenciar as configurações que controlam as informações armazenadas, o que é importante quando se utiliza cartão de crédito ou informações bancárias online.

3.Cuidado com clickbait: Propagandas maliciosas são uma maneira comum de fazer um download acidental de malware ou de entrar em websites maliciosos; por isso, pense antes de clicar em qualquer propaganda ou oferta por e-mail que pareça boa demais para ser verdade.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Convergência Digital

Conheça as lojas online a serem evitadas

comprasA Black Friday acontece na sexta-feira da próxima semana, 27/11. Por isso, é mais do recomendado ficar de olho em quais sites devem ser evitados para evitar roubadas na data promocional.

Um bom jeito de fazer é simplesmente consultar a chamada “lista negra” do Procon-SP, que reúne quase 500 sites de e-commerce não recomendados para quem quer fazer compras pela Internet, seja na Black Friday ou no dia-a-dia.

A lista em questão traz páginas que ainda estão no ar e outras tantas que já foram retiradas do ar, mas vale como um bom guia de lojas online a serem evitadas.

A lista de sites apresenta, além do nome da loja virtual, o endereço eletrônico, razão social e número do CNPJ ou CPF do dono da página.

Confira aqui a “lista negra” do Procon-SP, que já está no ar há alguns anos e foi atualizada mais recentemente no dia 10/11.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: IDG Now!

Black Friday: cuidado com a escolha das lojas onde for comprar

Black-FridayO comércio brasileiro está em polvorosa com a Black Friday, prometendo grandes descontos durante a próxima quinta e sexta-feira. Mas e se o preço variar durante o processo de compra? E se a loja demorar muito para entregar o produto? O Procon-SP ensina como proceder.

Antes de tudo: se você tiver algum problema ao fazer sua compra, ou se encontrar alguma loja com preços enganosos, pode reclamar com o Procon através destes canais, a partir das 19 h de 27:

Telefone: 151 – somente cidade de São Paulo
Site: www.procon.sp.gov.br/atendimento_texto.asp
Facebook: www.facebook.com/proconsp
Twitter: @proconspoficial

Dicas
A primeira dica é acompanhar o preço dos produtos antes de comprá-los. Como ensinamos aqui, você pode visualizar o histórico de preços através de sites como o JáCotei, Buscapé ou Baixou. Assim você evita aquelas promoções “tudo pela metade do dobro”, com preços inflados para o desconto parecer imperdível.

Caso o site da loja fique instável, ou se o preço mudar durante a compra, “salve as informações e registre sua reclamação na empresa”. Sempre que possível, guarde uma captura de tela: no Windows 8, pressione as teclas Windows + PrtSc; no OS X, use Command+Shift+3; em outros sistemas, pressione a tela PrintScreen e depois cole a imagem em algum programa de imagens (pode ser até o Paint).

Outra dica importante é salvar tudo o que possa comprovar a compra, incluindo “oferta, pedido, comprovante de pagamento, contrato e anúncios publicitários”.

Seus direitos
O Procon lembra que “o preço promocional não anula seus direitos“: a empresa não pode desrespeitar você só porque cobrou barato por um produto. Se você tiver algum problema, reclame: a loja tem que responder e resolver o problema em até cinco dias.

Se você comprou um produto no calor do momento, mas depois se arrependeu, saiba que você tem até sete dias para cancelar o pedido. A empresa deve estornar 100% do valor, incluindo frete.

E se a entrega demorar? E se o produto vier danificado? O Procon diz que “você pode cancelar a compra ou trocar a mercadoria”; examine-a assim que chegar para notar quaisquer problemas.

No estado de São Paulo, você pode solicitar a entrega agendada sem pagar a mais por isso, escolhendo inclusive o período do dia (manhã ou tarde). No entanto, o prazo para entrega nesse caso é geralmente muito maior. (A entrega agendada também está disponível em outros estados, porém pode custar mais caro.)

A última dica é acompanhar a lista “Evite esses sites” do Procon-SP, com lojas online onde você jamais deve comprar: elas receberam muitas reclamações de consumidores e não responderam a notificações do órgão. No total, estão listados 449 sites, porém a maioria já está fora do ar. Estes 39 sites, no entanto, continuam na ativa – evite-os!

adorocompraronline.com
aikade.com
anabolizantesmaromba.com
baratinhomesmo.com.br
bazardevantagens.com.br
bazarimportado.com.br
bestinformatica.com.br
blocosuperbateria.com.br
bolsadevantagens.com.br
cestacheia.com.br
cosse.com.br
curtiucompra.com
digitalnex.com.br
eumeinteresso.com.br
facildecomprar.com.br
fostonbrasil.com.br
freecomprascoletivas.com
infinityeletroshop.com
jogos3ds.com
kmisetas.com.br
liquidabay.com
lojadoanabol.com
lojadosete.com.br
lucrepelaweb.com
maisbaratomaisbarato.com
menteurbana.com.br
moda4you.com.br
morangao.com.br
ofertasprime.com
oncomprascoletivas.com
pescariaurbana.net
printline.com.br
reidosanabols.com
revendavictoriassecret.com.br
tablet.com.br
topveste.com
totalclique.com
trevoeletro.com.br
uzzetop.com

Agradeço ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Gizmodo

Black Friday está chegando: muito cuidado nas compras

black-fridayApesar das reclamações sobre maquiagem de descontos em 2012, o Black Friday, dia de megapromoções – cópia da tradição norte-americana – caiu no gosto do consumidor brasileiro. Com destaque para o comércio eletrônico, as vendas na data por aqui crescem ano após ano. Alguns varejistas prometem descontos de até 80% nesta sexta-feira 29 de novembro, e se preparam para apagar a imagem de ‘Black Fraude’ que ficou do ano passado.

Ao consumidor, cabe, de qualquer forma, tentar se proteger de maus negócios. Uma das dicas é consultar o CNPJ da loja onde pretende comprar e evitar golpes. A Serasa oferecerá o serviço gratuitamente durante o fim de semana da Black Friday, fornecendo informações sobre a situação da empresa, razão social, ocorrência de protestos, cheques sem fundo, ações judiciais, endereço, falências e a existência legal da companhia consultada.

O CNPJ da empresa se localiza em geral no rodapé do site ou nas seções ‘quem somos’ ou ‘fale conosco’. Desde maio deste ano, o decreto federal 7.962/13, que regulamenta o Código de Defesa do Consumidor, obriga as lojas virtuais a exibirem em suas páginas na internet dados como nome, endereço e CNPJ.

Outra dica é a lista do Procon-SP com 325 sites que não são recomendados para compras online. Essas lojas de e-commerce acumulam queixas de consumidores e apresentaram irregularidades, principalmente a falta de entrega do produto. Antes de comprar, portanto, cheque as informações sobre o fornecedor.

O Proteste alerta, em sua cartilha do comércio eletrônico, que o consumidor tem o direito de se arrepender em até sete dias após a entrega. É um direito garantido pelo artigo nº 49 do Código de Defesa do Consumidor.

Por fim, como medidas adicionais, o consumidor deve seguir alguns procedimentos, como evitar compras por impulso; checar todas as características dos produtos, como cor, dimensões, funções, voltagem etc; comparar marcas e sobretudo preços; verificar se há juros nos pagamentos parcelados; e os prazos de entrega. Montar uma lista prévia também ajudará o consumidor a se organizar durante as compras.

O número de lojas virtuais participantes do Black Friday aumentou: de 77 em 2012 para 120 este ano. Entre as novidades está o maior número de lojas que vendem itens de moda pela internet e a inclusão de prestadoras de serviços, como academias de ginástica, salões de cabeleireiros e até seguradoras.

Agradeço ao Lucas, amigo e colaborador do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Info