Chrome 55 prioriza o HTML 5

chrome_55O Chrome 55 já em sua versão final já foi disponibilizado para os sistemas Windows, Mac e no Linux. A principal novidade é o fato de o HTML5 ser o responsável pela reprodução de vídeos em diversos sites, proporcionando um carregamento mais rápido, além de trazer melhorias de segurança e reduzir o consumo de energia.

Também foi mencionado que sites que suportam apenas o Flash e outros mais populares (como YouTube, Facebook, Yahoo, Twitch e Amazon) estão isentos dessa obrigatoriedade por um ano, sendo que todos os demais vão exibir uma mensagem perguntando se os usuários querem ativar o HTML5 para a reprodução de conteúdo em vídeo.

Somado a isso, a nova versão também traz algumas correções para falhas e outros adicionais que prometem melhorar ainda mais a experiência dos usuários.

Fonte: Tecmundo

Vem aí: Chrome muito mais leve e já tem data de estreia

chrome_fastMesmo que o Google já tenha reconhecido algumas vezes que o Chrome pode usar excessivamente os recursos de computadores, até o momento a companhia não conseguiu solucionar totalmente esse problema. No entanto, uma atualização programada para dezembro deste ano promete tornar o navegador mais leve ao diminuir o consumo de memória RAM.

O Chrome 55 deve introduzir uma engine JavaScript aprimorada que vai reduzir significativamente os recursos de memória utilizados. Segundo a empresa, testes internos revelaram que há quedas de até 50% na quantidade de RAM necessária para navegar por sites modernos em relação ao resultado apresentado pelo Chrome 53.

Infelizmente, vamos ter que aguardar até o dia 6 de dezembro deste ano para poder conferir a atualização que afeta a versão do Chrome para desktops. Vale notar, no entanto, que as melhorias de desempenho devem ser notadas principalmente por quem possui uma máquina com RAM limitada ou quando você tem muitas abas abertas.

A atualização não deve marcar o fim dos esforços da Google para tornar seu software mais otimizada e versátil. O time responsável pelo desenvolvimento está trabalhando em incrementos futuros e está particularmente interessado em deixar o programa mais leve para dispositivos de entrada com 1 GB de RAM ou menos.

Fonte: Tecmundo