WiFi sempre ligado: prós e contras

Desligar o WiFi do smartphone assim que você termina de realizar alguma tarefa é uma ação natural para a maioria das pessoas. É sabido que esse tipo de conexão gasta bateria, e nossos aparelhos inteligentes da atualidade não são considerados campeões em autonomia.

Mas se é assim, existe alguma razão para manter o WiFi do celular sempre ligado?

Você pode achar que não, mas existem sim algumas boas razões. Confira algumas delas.

1. O consumo não é mais tão alto

A primeira de todas é o fato de aparelhos mais modernos não desperdiçarem mais tanta bateria quanto um ou dois anos atrás com esse tipo de conexão. Novas antenas, chips e melhoramentos de software são os responsáveis por isso.

Além do mais, em aparelhos atuais, a rede de dados da sua operadora costuma consumir mais bateria do que o próprio WiFi e não o contrário. Redes 4G são especialmente conhecidas por exigirem mais dos smartphones.

2. Localização

Além de oferecer conexão normalmente mais rápida e, agora, gastando menos energia, o WiFi também pode substituir o GPS do aparelho para oferecer localização geográfica. Claro que esse recurso do WiFi nem sempre é muito preciso, mas funciona razoavelmente bem.

Quando você está em locais fechados, essa vantagem se torna ainda mais interessante, uma vez que qualquer cobertura mais elaborada em um edifício já é suficiente para sumir com o sinal dos satélites GPS. Em resumo, você ganha dois por um.

3. Em espera

Quando o WiFi do seu smartphone não está ligado a nenhuma rede, ele entra em um modo de economia de energia que pode ser considerado bastante eficiente atualmente. Quando ele enfim encontra uma rede para se conectar, o seu plano de dados é automaticamente desconectado e economiza o pacote da sua operadora. Portanto, desligar o WiFi enquanto você sai do trabalho rumo à sua casa pode não ser tão necessário se você tiver redes nesses dois locais.

Os contras de manter o WiFi sempre ligado

É claro que existem benefícios para encorajar você a manter seu WiFi sempre ligado. Mas existem também malefícios bem importantes.

1. Segurança

Redes WiFi são muito mais inseguras que a rede de dados da sua operadora. Ao passo que um roteador tem apenas um ou dois níveis de segurança antes de ser invadido, tenha certeza de que sua operadora de celular tem muito mais cuidados nesse sentido. Tanto é que raramente se ouve falar que alguém invadiu a rede de determinada operadora a espionou os clientes. Já com WiFi, isso é tão frequente que nem chama mais atenção.

Essa dimensão da segurança fica ainda mais evidente se você deixar seu smartphone se conectar automaticamente a redes sem proteção por senha. Isso é pedir para ter dor de cabeça.

2. Disponibilidade

Usar o WiFi em vez do 3G/4G pode ser mais econômico para a bateria quando você passa por vários pontos de acesso durante o dia. Se você estiver em locais mais isolados em que uma rede WiFi é rara, a situação da economia se inverte. Mesmo o WiFi consumindo pouca energia em espera, ele ainda consome alguma coisa. Se você não vai encontrar nenhum WiFi no seu caminho, não faz sentido manter isso ligado.

Impressões erradas

Vale lembrar também que a nossa impressão de que o WiFi gasta mais bateria é também fruto de um costume que nem percebemos. Quando você liga o WiFi para fazer alguma coisa deliberadamente, normalmente a intenção é realizar uma atividade intensa, que por si só consome bastante energia. Ou seja, nem sempre é culpa do WiFi e sim das outras atividades.

Apesar disso, é impossível afirmar que tudo isso que falamos até aqui é válido para todos os smartphones e tablets que existem por aí. Os mais antigos, especialmente, lidam com o gerenciamento de energia de maneira bem mais arcaica. Os mais modernos, por sua vez, possuem componentes de hardware mais elaborados e softwares mais atualizados.

Fonte: Tecmundo

Serviços que irão te ajudar a não ser enganado na Black Friday

Black-FridayA Black Friday não é exatamente muito querida pelos consumidores brasileiros. Isso porque as promoções nem sempre são realmente atrativas e muitas lojas aumentam seus preços semanas antes para oferecer “descontos” no tal dia. Para você não ser enganado por ofertas do tipo “metade do dobro”, pode ser interessante usar alguns destes sites:

JáCotei

O JáCotei é um site que permite que o consumidor acompanhe o preço de diversos produtos nas mais variadas lojas da internet.

A página se destaca por fornecer um gráfico que exibe quanto o produto custou desde que começou a ser comercializado por aqui. Assim é possível ver se houve algum aumento repentino de preço nos dias que antecedem a Black Friday. Outra possibilidade interessante é ganhar milhas aéreas com as compras feitas usando os serviços do site.

Zoom

A Black Friday é também conhecida como o dia das filas. Lojas ficam entupidas de pessoas e até quem tenta comprar online acaba precisando enfrentar a concorrência de outros internautas.

Por isso, além de também permitir visualizar o histórico de preços, o Zoom oferece uma funcionalidade bastante interessante que te avisa quando uma página está com uma grande quantidade de usuários. Basta pesquisar pelo produto desejado e observar se há a inscrição “Tráfego Intenso”. Se isso acontecer, pode ser melhor optar por comprar o produto em outra loja.

Baixou Agora

A grande peculiaridade desta página é a possibilidade de economizar algum dinheiro ao usar cupons de desconto em sites de varejo. O próprio serviço faz a busca pelos cupons e testa se eles realmente funcionam.

O que pode ser encarado como uma desvantagem em relação aos concorrentes é o fato de que o Baixou Agora exige a instalação de uma extensão própria no navegador para funcionar. Depois de instalada, a aplicação faz a busca por cupons exclusivos dos sites que você acessa e os aplica nas compras que serão feitas. Tudo automaticamente.

Busca Descontos

O site tem funcionamento simples e permite que o usuário busque pelo menor preço e os maiores descontos oferecidos por algum produto de sua preferência.

Ele se destaca por permitir que o internauta visualize quais lojas estão oferecendo descontos no momento. No entanto, esses descontos são informados pelas próprias lojas. Por isso, há sempre a possibilidade de que as ofertas não sejam tão vantajosas assim.

Buscapé

O Buscapé talvez seja um dos sites mais conhecidos quando o assunto é comparação de preços. Ele permite checar o histórico de valores e também criar alertas que avisam o internauta quando um produto está com o preço baixo.

Uma boa diferença em relação aos outros sites é que o Buscapé trabalha também com aplicativos para Android, iOS e Windows Mobile. Assim você pode pesquisar os melhores preços sem precisar acessar o site em seu smartphone ou tablet.

Fonte: Olhar Digital

Novidades do Windows 10 que já existiam no Linux

A Microsoft apresentou o Windows 10, seu novo sistema operacional para computadores. Há diversas novidades no sistema, mas muitas delas já existiam em algumas distribuições do Linux, que é um software livre e oferece formas relativamente simples de personalização para desenvolvedores ou mesmo curiosos.

Confira a seguir algumas novidades do Windows 10 que já existiam em gerenciadores de janelas do Linux.

desktopsMúltiplos desktops

Enquanto a Microsoft esperou até 2015 para oferecer múltiplos desktops como padrão aos usuários do sistema, o gerenciador de ambiente gráfico GNU/ Linux KDE 1.0 conta com o recurso desde 1998. A diferença totaliza 17 anos.

unificacao-de-codigoUnificação de código

Enquanto o Ubuntu oferece a partir de 2014 um ambiente amplo devido a uma única base de código, o que inclui o sistema móvel Ubuntu Touch, a Microsoft passará a adotar o modelo em 2015.

pesquisa-na-webPesquisa na web

A pesquisa na web feita diretamente pelo sistema é um recurso presente no Windows 10 que existe no Unity Desktop desde 2011.

task-viewTask view

O recurso de visualizar todas as janelas abertas em uma interface simples e agradável é uma novidade do Windows 10. Já o Ubuntu tem esse recurso há alguns anos, tanto no Unity quanto no Gnome 3.

janelas-sem-bordasJanelas sem bordas

As janelas sem bordas estão entre as novidades do Ubuntu 2014, apresentado em abril deste ano. O mesmo padrão de visual é encontrado no Windows 10.

Fonte: Info

Outlook.com vs. Gmail

gmail-outlook

A Microsoft implementou uma integração com o Skype, além das conexões com redes sociais e com o SkyDrive. Mas ainda falta muito para o serviço da gigante ficar a par do Gmail

A grande migração do Hotmail acabou. A Microsoft anunciou recentemente o encerramento do serviço de e-mail e todos os usuários foram transferidos para o Outlook.com – que agora conta com mais de 400 milhões de membros em todo o mundo.

Em seu auge, o Hotmail era o “queridinho” dos serviços de e-mail (com concorrentes como o Yahoo). Isso mudou por volta de 2005, quando os fãs foram, inevitavelmente, convidados a experimentar o Gmail a partir de um de seus amigos. O Google provou ter um serviço de Webmail superior, e muitas contas do Hotmail começaram a enfraquecer.

Agora, a Microsoft está tentando desviar a bola para a sua quadra novamente com o Outlook.com.

Além da sua elegante interface e da integração com mídias sociais, a gigante de Redmond tem implementado o serviço com uma porção de novos recursos, incluindo um aplicativo Android muito melhor, um calendário no estilo da interface Modern, pré-visualização de chamada de vídeo do Skype, envio SMTP e integração com o SkyDrive.

Mas será que o novo serviço de email da Microsoft está pronto para substituir o Gmail em tempo integral? Será que ele é bom o suficiente para atrair multidões de usuários do Hotmail que deixaram o Gmail há tempos e voltar a ter seus antigos lugares cativos?

Eu diria que ele está muito, muito perto. Mas o Outlook.com ainda não está completamente pronto. Aqui estão as características que o e-mail ainda precisa implementar, se quiser ficar “de igual para igual” com o Gmail.

Melhor busca
A busca do Gmail é simplesmente melhor que a do Outlook.com. Isso pode parecer óbvio, mas o Google só recentemente melhorou a pesquisa do seu serviço de e-mail para além de uma consulta na caixa de entrada padrão.

O mais notável são os resultados de pesquisa instantânea, que recomenda buscas diferentes enquanto você digita. Você também pode pesquisar dentro de anexos, encontrar documentos do Google Drive, e rapidamente chegar a uma busca padrão na web.

O Outlook oferece atualmente uma busca bastante básica na caixa de entrada. Existem algumas características interessantes, incluindo um recurso de pesquisa instantânea, que permite pesquisar rapidamente por remetente, destinatário, ou assunto. Mas não é tão bom quanto o Gmail oferece, especialmente sem uma integração de pesquisa com o Bing e SkyDrive.

Mais integração com o SkyDrive
A integração do Gmail com o Google Voice, Talk, e Hangout é nada menos que incrível. Para combater essa ameaça tripla, o Skype está lentamente sendo liberado aos usuários do Outlook.com – a começar pelo o Reino Unido, em seguida, EUA e Alemanha. É bastante, mas ainda não está a par com a oferta do Google, no entanto.

No lançamento, você só será capaz de iniciar chamadas de vídeo com contatos do Skype e do Messenger. Recursos pagos do Skype, como chamadas de telefonia móvel e fixa, ainda não estão disponíveis. Outras ferramentas do Skype também não estão disponiveis, como o envio de arquivos via mensagens instantâneas, chamadas de áudio e vídeo com amigos do Facebook e compartilhamento de tela. Mas esses recursos podem chegar algum dia ao Outlook.com.

“Continuaremos a melhorar a qualidade e a disponibilidade de recursos ao longo do tempo”, disse um porta-voz da Microsoft à PCWorld no início da semana. “Enquanto isso, encorajamos você a baixar as versões de desktop ou móvel do Skype para apreciar toda a colaboração e ferramentas de produtividade que você conhece e ama.”

Personalização
Você pode mudar a cor do tema no Outlook.com de azul para outra cor lisa no estilo Modern, mas só isso. Já o Gmail permite que você adicione imagens de fundo personalizadas, enquanto gadgets e plug-ins do Labs adicionam funcionalidade opcional – o que não existe no Outlook.com.

Talvez não seja o estilo da Microsoft nesta nova era de UI Modern simplificada adicionar uma superabundância de recursos em seu serviço de e-mail. No mínimo, add-ons que oferecem uma visualização rápida de seus documentos mais recentes do SkyDrive ou seus compromissos do calendário seriam adições bem-vindas.

Filtros completos
O melhor recurso de produtividade do Gmail são os filtros, que permitem automatizar ações para tipos específicos de mensagens. Você poderia, por exemplo, canalizar todas as mensagens de john@johnsmith.com que possui anexos com uma “etiqueta” específica, ou encaminhá-las para um outro endereço de e-mail ou apagá-las imediatamente. As opções são praticamente infinitas.

Os filtros do Outlook não possuem metade dessa funcionalidade. Se você quiser filtrar mensagens de um remetente específico no Outlook.com, você começa selecionando suas mensagens. Aparecerá a opção “Limpar” na parte superior da caixa de entrada.

Em seguida, você verá as opções para “Mover tudo de…” ou “Excluir tudo de…” Ao escolher “Mover tudo de…” o usuário pode canalizar mensagens passadas e futuras do remetente selecionado para uma pasta específica no Outlook.com. Mas é isso. Sem opções para responder, arquivar, excluir automaticamente ou qualquer uma das outras opções disponíveis com os filtros do Gmail.

Tapando buracos
A Microsoft tem feito um grande trabalho com o Outlook.com e o ritmo alucinante que a empresa está definindo atualizações e novos recursos significa que podemos ver mais coisas legais chegando ao serviço em breve. Por enquanto, porém, o Gmail ainda tem uma vantagem sobre o webmail da Microsoft, mas a diferença de recursos entre os dois está se fechando rapidamente.

Agradeço ao Davi e ao Lucas, amigos e colaboradores do Seu micro seguro, pela referência a esta notícia.

Fonte: IDG Now!