Bloqueio de anúncios pelo Chrome começa em 15 de Fevereiro

O Google anunciou nas últimas semanas que vai começar a bloquear anúncios no seu navegador Chrome a partir de 15 de fevereiro.

Os sites que quiserem evitar o “martelo” do Chrome podem se livrar de várias categorias amplas de anúncios online ou pagar um consórcio de anunciantes, associações comerciais de publicidade e empresas de tecnologia, incluindo Google, Microsoft e Facebook, para se tornarem “certificados”.

“A partir de 15 de fevereiro, em linha com as diretrizes da Coalizão, o Chrome vai remover todos os anúncios de sites que possuam um status ‘deficiente’ (‘failing’, no original)”, afirmou o Google em seu site, em referência à Coalition for Better Ads (CBA), um grupo que promete limpar a web dos seus anúncios mais irritantes.

A linha do tempo de bloqueio de anúncios do Chrome corresponde ao que o Google anunciou há seis meses, quando confirmou que iniciaria o controverso esforço no início de 2018. No meio de fevereiro, a maioria dos usuários do browser estarão rodando o Chrome 64, com lançamento previsto para a semana de 21 a 26 de janeiro. A atual versão do navegador é o Chrome 63.

No desktop, o Chrome vai bloquear quatro tipos de anúncios (de seis considerados), enquanto que no mobile (iOS e Android) o navegador irá barras oito tipos de anúncios (de 12 considerados): essas categorias foram identificadas pela CBA e seu painel de consumidores como as menos aceitáveis.

As quatro classes de anúncios que receberão o machado no desktop incluem pop-ups, os que reproduzem vídeo e áudio de forma automática, anúncios “prestitial” (que aparecem antes da home do site ser aberta) acompanhados por um relógio com uma contagem regressiva, e os chamados “large sticky ads”, que tomam mais de 30% da tela e ficam no mesmo lugar, não importa o quanto você desça o scroll.

Em vez de bloquear esses tipos de anúncios em todos os sites – como fazem a maioria dos add-ons de bloqueio para navegadores – o Chrome vai tomar um caminho diferente.

O browser do Google vai se basear em uma “whitelist” gerada pela CBA. Os publishers dos sites poderão iniciar o processo de certificação, e assim garantir um lugar na lista, no próximo mês, quando mais detalhes serão liberados pela empresa. Sites certificados precisam atender a determinados padrões, sendo que o mais importante é uma baixa proporção de tipos de anúncios inaceitáveis.

Nos primeiros dois meses do projeto – a data de início será revelada em janeiro, segundo a CBA – esses anúncios “desconceituados” não poderão responder por mais de 7,5% de todos as visualizações de página de um site certificado. E a proporção vai diminuir com o tempo. Então seis meses depois, esses anúncios só poderão responder por 2,5% das pageviews desses sites, por exemplo. Resumindo: a CBA permitirá que os sites certificados se ajustem ao bloqueio, com uma cota menor de anúncios “ruins” com o tempo.

Os sites que não se “voluntariarem” para serem certificados pela CBA, ou que sejam julgados como não complacentes pela organização – efetivamente todos os sites com exceção dos presentes na whitelist – terão anúncios das categorias banidas bloqueados. Mesmo um único anúncio sujeito a repreensões vai impulsionar um bloqueio pelo Chrome.

Apesar de a CBA ter revelado alguns detalhes sobre os padrões, a whitelist e como os sites podem contestar a decisão de bloquear anúncios, uma boa parte do programa, ainda permanecem uma incógnita. Não está claro, por exemplo, com qual periodicidade os sites serão reavalidos por violações, ou quanto poderá levar para apelar uma decisão.

Também ainda não há informações sobre taxas

O porta-voz da CBA, Brendan McCormick, afirmou que pagamentos seriam exigidos da maioria dos sites que buscam certificação. No entanto, ele destacou que ainda há muito “a ser trabalhado” até o lançamento do programa. Segundo uma reportagem do site AdAge, a CBA poderá cobrar até 5 mil dólares dos principais publishers, enquanto que “publishers muito pequenos” poderão ser certificados sem ter de pagar nada.

“Muita coisa ainda não foi finalizada. Ainda há muito a ser trabalhado. A parte essencial é tornar isso acessível (para os publishers de sites”, afirmou McCormick para a Computerworld dos EUA.

Maior do mercado

Como o Chrome é o navegador mais popular do mundo, os publishers não podem descartar esse projeto de bloqueio de anúncios, como outros já fizeram antes, se a receita do seu site é baseada em publicidade. Segundo a empresa de análises Net Applications, o Chrome respondeu por 61% dos usuários de desktop do mundo em novembro de 2017.

Se o Chrome fechar a torneira, mesmo que bloqueie apenas as categorias de anúncios inaceitáveis, os donos de sites provavelmente verão uma queda em suas receitas. Mas é questionável se o Chrome conseguirá mirar de forma minuciosa o bloqueio apenas para alguns anúncios em um site não complacente, por isso vale acompanhar essa história de perto nas próximas semanas.

Fonte: IDG Now!

iPhone: bug pode danificar permanentemente iPhones

iphone_bug_dateO iOS sofre bem menos que o Android com ataques de malware por ser um sistema mais fechado e com menos possibilidades de modificação. Contudo, as mais improváveis falhas de segurança e pequenos bugs são encontrados com mais frequência na plataforma da Apple. O mais recente exemplo disso é o problema no calendário de iPhones com processadores 64-bit que consegue “estragar” aparelhos permanentemente.

Um usuário do Reddit publicou ontem no fórum um aviso explicando que mudar a data do calendário de iPhones com chips 64-bits (do iPhone 5s para cima) para 1º de janeiro de 1970 causa uma falha fatal no iOS. O dispositivo apresenta um erro e, quando reiniciado, se torna basicamente um peso de papel.
Ele não consegue passar da tela de inicialização e não há mais o que fazer. É como se você tivesse “brickado” um telefone Android com atualizações de ROM malfeitas. Por enquanto, o problema não tem qualquer solução de software, mas é possível que uma reparação em nível de hardware possa resolver a situação. Contudo, ainda não se tem conhecimento de nenhum procedimento para tal.

Possível ataque generalizado
Segundo a postagem no Reddit, todos os aparelhos com processadores Apple A7 ou superiores, tanto iPads quanto iPhones, estão suscetíveis a essa falha, que pode inclusive ser explorada por hackers.

Isso poderia acontecer pelo fato de o iOS, quando conectado a uma rede WiFi, sempre verificar através de um servidor NTP as informações mais atuais de data e hora. Um ajuste é feito automaticamente, e, caso algum invasor fraude um servidor dessa natureza em uma rede WiFi qualquer, é possível que todos os dispositivos iOS conectados sejam afetados. Ou seja, tome cuidado com redes públicas, pois você pode perder seu iPhone para uma falha boba como essa.

Sem previsões para correção
A Apple ainda não se manifestou sobre o assunto, mas se espera que uma atualização de software seja enviada para corrigir isso na primeira oportunidade possível. A empresa está preparando atualmente o iOS 9.3 para uma liberação que deve acontecer em breve, e esse pacote pode trazer uma solução. Até lá, é torcer para não ter problemas com isso.

Obs.: não tente mudar a data do seu iPhone para 01/01/1970 propositalmente para testar essa possível falha. Ainda não há qualquer previsão de quando a Apple poderá resolver essa dificuldade.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Tecmundo

Windows 10 já tem data oficial para lançamento

windows10O lançamento do Windows 10 provavelmente irá acontecer no final de julho, segundo a AMD.

Durante uma chamada com acionistas da empresa na semana passada, a presidente Lisa Su revelou a data de lançamento do sistema operacional da Microsoft.

Ao responder uma questão sobre planos de inventário, Su afirmou que “com o lançamento do Windows 10 no final de julho, teremos um impacto parecido com a temporada de volta às aulas, e esperamos que isso possa atrasar a formação do estoque normal de volta às aulas”.

A Microsoft afirma que planeja lançar o Windows 10 no verão americano, inverno brasileiro, em 190 países e 111 línguas, mas a empresa ainda não estabeleceu uma data oficial para o lançamento.

Apesar de a informação da AMD não ser oficial, a empresa possui informações privilegiadas a respeito dos planos da fabricante de software, já que precisa preparar seus computadores para o lançamento do sistema operacional.

No final do mês, a Microsoft irá lançar a última Build (versão beta anterior ao produto final) do Windows 10, quando a empresa deve anunciar a data de lançamento do sistema.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fontes: Info e AMD

Windows 10 em sua versão final deve ser lançado em Julho

windows10Tradicionalmente, a Microsoft lança uma versão RTM do Windows em agosto e a versão final do sistema operativo em setembro. Com o Windows 10, o lançamento da versão final deve acontecer já em julho.

A Microsoft tem pressa em colocar o Windows 10, versão final, nas mãos dos usuários. Há rumores que indicam que o novo sistema operacional deve chegar já em julho e todos os usuários com versões legais do Windows 7, 8 ou 8.1 poderão obter a atualização, noticia o Fudzilla. http://www.fudzilla.com/news/37330-windows-10-aims-for-july-launch

A versão Technical Preview já foi lançada há algum tempo e já se pode experimentar em primeira mão as novidades oferecidas no Windows 10. Este sistema operacional vai trazer também o DirectX 12, o que irá “obrigar” muitos usuários a atualizarem-se.

Entre as novidades da versão Technical Preview 10041 estão novos menus para redes, um novo ambiente de trabalho virtual, melhorias nas opções do menu Iniciar e ícones e interfaces redesenhadas.

É bom lembar que o Windows 10 é a tentativa da Microsoft em ter uma plataforma única e uma loja de aplicativos para as diversas famílias de produtos, como PC, portáteis, tablets e smartphones.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Exame Informática

Windows 8.1 já tem data de lançamento

Win81

A Microsoft anunciou no blog oficial da equipe do Windows que o Windows 8.1 será lançado no dia 18 de outubro

De acordo com o anúncio, o Windows 8.1 será disponibilizado através da Windows Store neste dia e também poderá ser obtido através de revendedores. Além disso, a atualização será gratuita para os usuários do Windows 8.

Neste mesmo dia também chegarão ao mercado novos PCs, laptops, ultrabooks e tablets com o Windows 8.1.

Sobre o Windows 8.1

Windows 8.1 é o nome da primeira grande atualização para o Windows 8. Além de correções de bugs, esta atualização inclui o navegador Internet Explorer 11, novas opções para personalização da tela inicial, mudanças na versão “Metro” do painel de controle, novos aplicativos, suporte para uso de aplicativos como alarmes na tela inicial, otimizações com foco nos novos processadores Haswell da Intel, mudanças internas no kernel do Windows para melhorar o desempenho geral do sistema operacional e muito mais.

Além disso, o Windows 8.1 também traz o suporte para aparelhos com telas menores que 10 polegadas, o novo recurso Assigned Access (antes conhecido como modo Kiosk) e o suporte para resolução de 1024 x 768 no recurso Snap View (que permite a execução de aplicativos lado a lado):

img1

Outro detalhe é que o menu Iniciar não voltará. Em seu lugar está um botão Iniciar na barra de tarefas. Este botão oferece acesso rápido à tela inicial assim como o botão de mesmo nome localizado na barra de Charms do Windows 8.

Além disso, este botão Iniciar também inclui as opções para desligar e reiniciar o PC. Outra novidade é o suporte para inicialização direta na área de trabalho:

img2
img3
Agradeço ao Davi e ao Lucas, amigos e colaboradores do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Baboo