Dicas para ficar mais seguro na Internet em 2019

2019 apenas começou…estamos em Janeiro, e tem muito mês ainda pela frente. Para muitos, o novo ano oferece a oportunidade de melhorar alguns aspectos e abandonar maus hábitos ou simplesmente estabelecer metas que se pretende alcançar nos próximos 12 meses. Devido à crescente dependência de dispositivos eletrônicos e à pouca preocupação com a proteção, é importante que a adoção de boas práticas e hábitos de cibersegurança estejam presentes dentre as metas para 2019.

Afinal, um comportamento descuidado deixa os dispositivos e as informações vulneráveis às ciberameaças que podem levar à perda de dinheiro e até prejudicar a privacidade. Para se ter uma ideia dos riscos, a Kaspesky revela que registra uma média de 3,7 milhões de ataques de malware por dia e bloqueia 192 mil mensagens de phishing por dia na América Latina.

Os s especialistas da Kaspersky Lab listaram as seguintes resoluções para levar uma vida digital melhor em 2019:

1. Não clique em links

Isso não quer dizer que você nunca mais poderá clicar em nada. A orientação da Kaspersky é para não clicar em qualquer link, principalmente os recebidos de desconhecidos, nem em links com mensagens suspeitas que foram enviadas por seus amigos via redes sociais, e-mail ou app de mensagens.

Nos primeiros dias de 2019, identificamos um golpe disseminado via WhatsApp e Facebook Message que atraiu mais de 675 mil pessoas. De novembro de 2017 a novembro de 2018, a média de ataques diários de phishing no Brasil cresceu 110% quando comparado com o período anterior (novembro/2016 até novembro/2017);

2. Cuide bem das suas informações

Saiba o que, e onde estão armazenados seus dados. Isso facilitará a limpeza dos dispositivos e dará tranquilidade para que as informações não sejam perdidas e utilizadas de forma incorreta.

3. Remova apps e arquivos que não são mais utilizados

Isso inclui uma limpeza em dispositivos ou redes sociais, pois os apps geralmente funcionam em segundo plano, mesmo sem o conhecimento do usuário. Além disso, certifique-se de que os aplicativos que continuarão no dispositivo utilizam criptografia. Ano passado, foi feita uma análise sobre alguns apps pela Kaspersky Lab e foi descoberto que alguns apps transmitem dados de usuários sem criptografia, usando um protocolo HTTP não seguro e, portanto, há o risco de expor os dados dos usuários;

4. Atualize os sistemas operacionais e aplicativos

É importante fazer esse passo assim que uma nova versão estiver disponível, pois ela será responsável por corrigir possíveis vulnerabilidades que existiam no sistema. Um grande exemplo do quão importante é essa operação, foi o caso WannaCry, em que os cibercriminosos se aproveitaram de uma falha no sistema Windows 10 para realizar o atraque;

5. Altere todas as suas senhas

O início de um novo ano é uma boa oportunidade para alterar as senhas, pois elas devem ser atualizadas regularmente. Na maioria dos casos, os usuários utilizam as mesmas senhas para diferentes sites e o cibercriminoso testará a combinação em todos os serviços e redes sociais mais populares, principalmente quando há casos de vazamento de informações – como os que foram percebidos e divulgados em 2018. Por isso, para evitar confusão na hora de saber qual senha é de qual login, é aconselhável usar um software de gerenciamento, que gera uma senha exclusiva para cada site e ajuda a lembrar delas sem precisar memorizá-las.

6. Faça backup dos dados

A maioria das pessoas esquece desse passo. Mas os backups de segurança oferecem ao usuário a tranquilidade de saber que, se algo acontecer ao seu computador, como a temida tela azul ou um arquivo corrompido, o usuário poderá recuperar esses dados. Além disso, no caso de um ataque de ransomware, que criptografa as informações que exigem um pagamento para descriptografá-los, isso não causaria mais consequências, pois é possível reinstalar o sistema operacional fazendo o upload do último backup.

7. Verifique os controles de segurança nos dispositivos, aplicativos e redes sociais

É preciso analisar as permissões concedidas aos dispositivos e aplicativos e decidir se eles realmente merecem privilégios, como acesso à lista de contatos ou manter um registro dos locais físicos mais visitados etc. No caso das redes sociais, verifique se as informações compartilhadas são públicas e, se estiverem, use os controles de segurança da plataforma para limitar quem pode acessar o que é postado.

Fonte: IDGNow!

Dicas da Serasa para escapar de golpes nas compras das férias

A época de férias costuma vir acompanhada de um aumento nas compras on-line de viagens e passeios, o que também costuma chamar a atenção de cibercriminosos.

Para evitar ser vítima desses invasores, que querem roubar senhas, dados pessoais e financeiros dos consumidores, é importante atenção redobrada na hora de fazer compras e reservas pela Internet.

Dicas de segurança

Confira abaixo algumas dicas destacadas pelos especialistas da Serasa Experian para não cair em golpes e fraudes nesta época do ano.

-Ao ingressar em um site, verifique se ele possui certificado de segurança. Para isso, basta checar se o http do endereço vem acompanhado de um “s” no final (https). Há ainda certificados que ativam um destaque em verde na barra do navegador;

-Não faça cadastros em sites que não sejam de confiança;

-Lembre que hackers usam técnicas para incluir links falsos em sites de busca. Muitas vezes até compram espaço nesses mecanismos para atrair usuários desatentos. Ao fazer buscas como “Promoções de férias”, prefira sites de lojas conhecidas ou tenha certeza de que a loja com a suposta promoção existe de verdade.

-Tenha cuidado com sites que anunciam ofertas ou produtos por preços muito inferiores à média do mercado;

-Essas ofertas podem muitas vezes serem enviadas por e-mails. Evite abrir os que pareçam exagerados e com valores muito baixos e vantajosos;

-Não compartilhe dados pessoais nas redes sociais que possam ajudar os golpistas a se passarem por você;

-Mantenha atualizado o antivírus do seu computador, diminuindo os riscos de ter seus dados pessoais roubados por arquivos espiões;

-Evite realizar qualquer tipo de transação financeira utilizando computadores conectados em redes públicas de Internet;

-Ao usar computadores compartilhados, verifique se fez o log off das suas contas (e-mail, internet banking etc.).

-Utilize senhas fortes, que tenham também caracteres especiais. Não repita as mesmas senhas em diferentes plataformas de acesso.

Fonte: IDGNow!

Conta do seu WhatsApp foi hackeada? Saiba o que fazer

Ainda que o WhatsApp conte com encriptação de dados de ponta a ponta para garantir a privacidade dos usuários e verificação em duas etapas, não são raros os casos de usuários que acusam ter suas contas invadidas. Afinal, é preciso apenas um número associado a uma conta para um hacker realizar um golpe, seja com o compartilhamento de código de verificação, simulação de um contato, link para software malicioso, tentativas de phishing, entre outras formas. E o que fazer quando isso acontece?

Bem, preocupada com isso, a agência governamental de regulamentação das telecomunicações nos Emirados Árabes, a Telecommunications Regulatory Authority (TRA) publicou algumas dicas que podem ser valiosas:

  • Remova o WhatsApp e reinstale em diferentes horas do dia: deletar e reinstalar o app do WhatsApp e dar a reentrada nas credenciais de sua conta com um novo código de verificação automaticamente te desloga de outras sessões e aparelhos. Se você teve seu perfil modificado, então fazer isso em horários distintos aumenta a chance de você afastar o perigo e evitar que ele volte
  • Avise seus contatos mais próximos e alerte-os sobre mensagens estranhas: é importante avisar a família e os amigos assim que souber que sua conta foi invadida. É preciso alertá-los para enviar dados sensíveis ou outras informações confidenciais, especialmente se as mensagens destoarem muito das que foram enviadas anteriormente
  • Mande um email para o suporte do WhatsApp para desativar sua conta: se você quer deixar de usar o perfil sequestrado em definitivo, é possível pedir para a própria empresa deletá-lo de vez. Para isso é só encaminhar a frase “Lost/Stolen: Please deativate my account” (“Perdido/Roubado: Por favor, desative minha conta”) no assunto para support@whatsapp.com.
  • Reinstale o app diariamente: essa aqui é uma medida mais extrema, mas é a melhor maneira de evitar sessões não autorizadas com o seu perfil. Ao deletar e reiniciar o aplicativo em seu dispositivo — e ativar a verificação em duas etapas todas as vezes — você vai ficar praticamente livre de invasores. Mas aqui vai de cada um vencer a preguiça para fazer isso em prol da segurança.

Fonte: Tecmundo

Dicas úteis para estudar on line

Atualmente há uma série de cursos online que podem ajudar você a acelerar a sua carreira. Mas há certos cuidados que devem ser tomados antes da escolha da instituição e do curso a ser realizado. É preciso estar atento a certos aspectos na hora da tomada da decisão, para não haver arrependimentos. E, lembre-se, acreditar que este tipo de curso dispensa dedicação é um mito.

 

Confira, a seguir, algumas dicas de especialistas para quem deseja se preparar por meio desta modalidade de estudo:

1- Pesquise sobre a instituição

Antes de se matricular, é importante conhecer a instituição escolhida. A tradição e idoneidade são essenciais. Verifique se ela está devidamente cadastrada nos órgão regulares e se possui o credenciamento necessário para oferecer tais cursos. Aproveite também para saber sobre a validade do certificado no mercado e o seu reconhecimento.

2- Se possível, conheça o estabelecimento

Visitar as sedes e polos ajuda a conhecer a estrutura da escola e a maneira como está organizada, se possui laboratórios à disposição dos alunos e as suas instalações. Além disso, procure saber se a escola possui aulas presenciais e, caso seja possível, assista a uma dessas apresentações, pois assim será uma maneira de conhecer os métodos de ensino.

3- Avalie a qualidade do material

Para quem realiza um curso de educação a distância, a qualidade do conteúdo do material didático é essencial. Informe-se sobre como ele está disponível (online, para impressão ou enviado no domicílio), se o seu valor está incluso no preço do curso, como ele é preparado, se possui erros e se está adequado à modalidade de curso pretendida.

4- Verifique se há meios de contato com a instituição e professor

Além do material didático e da estrutura da escola, o aluno deve se preocupar com os meios de comunicação que a instituição oferece. É importante que as ferramentas para obter informações ou tirar dúvidas sejam acessíveis, ágeis e eficientes. Cheque também quais são as opções de contato entre aluno e professor, se há chats e reuniões online, encontros e ou livre comunicação via telefone ou e-mail.

5- Acesse a grade curricular

Nem sempre pelo nome do curso é possível saber todos os assuntos abordados. É imprescindível analisar a grade curricular do ensino, conhecer as disciplinas, o que será abordado em cada aula e ver se o foco ensinado condiz com aquele que o aluno precisa para obter uma preparação satisfatória.

6- Analise currículo dos professores

É essencial conhecer o potencial do quadro de professores da instituição. Procure saber sobre a formação e capacitação técnica, bem como a experiência dos profissionais em relação ao ensino a distância. Os educadores devem possuir uma formação sólida e que corresponda às necessidades dos alunos.

7- Converse com atuais e ex-aluno da instituição

O contato com alunos que estão realizando ou que já concluíram um curso na instituição pode dar subsídios para a tomada de decisão. Pesquise também órgãos de atendimento ao consumidor, que podem trazer registros de reclamações e a condução para a resolução das mesmas.

Fonte: IDGNow!

Cuide da segurança ao usar Wi-Fi público

Pontos de Wi-Fi livre são uma verdadeira salvação para quem gosta de estar conectado, mas nem sempre pode contar com seu pacote de dados. Porém, ao mesmo tempo em que é conveniente, uma rede pública de Wi-Fi pode oferecer riscos e para evitar tais ciladas, você precisa estar preparado. Por isso, confira as dicas que selecionamos:

Não Custa Nada Perguntar

Muitos locais públicos oferecem informações sobre a rede Wi-Fi em locais visíveis, como cardápios ou avisos nas paredes, mas se você não encontrar nenhuma sinalização, peça ajuda a um funcionário para acessar a rede correta, e evite acessar redes aleatórias até conseguir se conectar – durante esse processo você pode acabar entrando em redes piratas, por isso o cuidado é importante.

Navegue com Precaução

Navegar em uma rede autêntica não garante, necessariamente, sua segurança, pois é possível que hackers estejam utilizando a conexão para roubar dados pessoais.

Quando em uma rede pública, o ideal é que você use apenas recursos básicos, como pesquisas ou vídeos, por exemplo. Acessar contas pessoais e realizar transações financeiras não é recomendável em uma rede de Wi-Fi pública, especialmente em lugares de grande movimento, como shoppings, aeroportos ou praças.

HTTPs

O HTTPs é um protocolo de segurança utilizado em muitos sites para reforçar a proteção dos dados pessoais dos usuários. Se por acaso você precisar acessar uma conta pessoal enquanto utiliza uma rede pública, certifique-se de usar esse protocolo.

VPN

A função do VPN é, basicamente, criar uma conexão segura e privada, permitindo que você se conecte a redes abertas com mais tranquilidade. Para usar o VPN no seu computador ou aparelho móvel, basta fazer o download de um programa que tenha essa função.

Antivírus

Utilizar um programa antivírus em seu computador é a maneira mais eficiente de evitar vírus, roubo de dados e outros riscos virtuais. As empresas que desenvolvem esse tipo de software já demonstram uma preocupação especial com a segurança em redes de Wi-Fi, por isso não é difícil encontrar e comprar um antivírus de qualidade que proteja seu computador contra as mais diversas ameaças.

Verificação em duas Etapas

Com a verificação em duas Etapas mesmo que outra pessoa descubra sua senha, ela não conseguirá fazer nada se não tiver acesso ao código de segurança. Também por isso é importante usar senhas diferentes em todas as suas contas. Boa parte das empresas já oferece autenticação em duas etapas, incluindo Google, Microsoft, Facebook, Dropbox, Evernote, Apple e Twitter.

Agora você já sabe que é possível utilizar uma rede pública de Wi-Fi sem abrir mão da segurança, basta tomar os cuidados certos.

Fonte: JangadaBR
(artigo foi criado pela equipe da Bitdefender)

Dicas para proteção do WiFi da sua casa

roteador_hardwareInstalar um roteador WiFi doméstico nem sempre foi tarefa fácil para o usuário comum. Para corrigir esse problema, provedores de Internet e fabricantes de roteadores implantaram botões e padrões que tornaram a conexão tão fácil quanto possível -mas no mercado de segurança sabemos que a associação com a “fácil” quer dizer problema.

Dicas

  1. Evite o assistente EZ (Easy/Fácil). Alguns roteadores prometem essencialmente uma instalação sem problemas: aperte um botão e se conecte. No entanto, quando você não sabe suas credenciais, não está no comando.
  2. Renomeie a rede WiFi. Falando rigorosamente, esse passo não torna sua rede mais segura, mas torna a situação para a rede como um todo bem melhor. Quando você precisar indicar o login a um convidado, não precisará lembrar se sua rede é NETGEAR58843 ou Linksys-u8i9o. No lugar disso você pode escolher um nome fácil de lembrar ou engraçado.
  3. Altere suas credenciais de login. Fabricantes de roteadores por vezes reusam credenciais padrão. Você pode verificar na Internet, por exemplo, alguns fabricantes, dependendo do modelo usam admin ou (vazio) para o login e admin ou (vazio) para a senha. Isso não é segredo de estado. Seu nome de administrador e senha devem sim ser segredos, então escolha outros. Você pode usar o password checker da Kaspersky Lab para garantir que sua senha é adequada.
  4. Garanta que a página de login do roteador não é acessível pela Internet. Roteadores normalmente possuem essa função de permitir ou não que as configurações sejam alteradas remotamente, pela Internet. Isso pode até ser útil em certas circunstâncias, mas também se trata de uma falha de segurança, então caso você não use, desabilite.
  5. Proteja-se com um protocolo de criptografia forte e uma senha. Essa é a parte mais importante. No passo 3, sugerimos mudar o login do roteador, que protege as opções do aparelho. Essa é a senha que você digita no seu computador. Agora você escolherá uma senha para a rede. Isso é o que você digitará em seu PC, Mac, smartphone, tablet ou outro dispositivo conectado para ter acesso. Você não quer que seus vizinhos ou transeuntes acessem sua rede. Pessoalmente, recomendo que se escolha uma criptografia WPA2. Você também pode usar uma frase passe, que é mais fácil de lembrar e mais complexa que uma palavra, desde que também seja difícil de se adivinhar.
  6. Proteja todas as redes WiFi. Na minha casa, não existe uma rede para convidados, porque minha rede doméstica é bem protegida. Mas se seu roteador tem suporte para uma rede para convidados e você quer criar uma, não é má ideia. Chame de algo como “MeuSuperWiFi-CONVIDADO”, e dê a ela uma senha e criptografia fortes também. A partir daí, você não terá de dar sua senha para ninguém.
  7. Proteja todos os seus dispositivos. Esteja você usando computador, tablet, smartphone, Kindle, ou qualquer outro dispositivo, proteja-o com uma senha forte. Não o forneça a ninguém.
Fonte: Kaspersky blog

Três dicas simples para acelerar o seu navegador

browsersQuando você está navegando na internet, os sites demoram para carregar ou aparece uma mensagem de erro dizendo que não foi possível abrir a página?
Isso pode significar que o seu navegador está lento.

Seguem dicas simples que podem acelerar o seu navegador:

Cache

A primeira coisa que você precisa fazer é limpar o cache do navegador. Cache é o lugar onde o navegador armazena informações sobre os sites que você mais acessa para usar esses dados de forma rápida. Por exemplo, ao invés de precisar digitar o seu login e senha do Facebook toda vez que for acessar a rede social, o navegador já sugere o e-mail que você mais usa para deixar a tarefa mais fácil.
Mas, com o tempo, ,é normal ele começar a juntar muita informação e ocupar muito espaço na memória. Tudo o que você precisa fazer é entrar nas configurações do seu navegador e clicar em “Limpar cache” ou em “Limpar dados de navegação”.

Extensões

As extensões são muito úteis na hora de navegar: dá para usar dicionário, calendário, lembretes e muito mais.
Mas essas extensões costumam ser pesadas e fazem com que o navegador demore para carregar.

Então, dê uma olhadinha na sua lista de extensões e desinstale ou desative aquelas que você não esteja usando.
É só você entrar nas configurações do navegador e procurar pelas que quer desinstalar.

Muitos programas

Se você está ouvindo música no computador, escrevendo no Word e navegando na internet com várias abas abertas, então é melhor fechar alguns programas. Isso porque o computador usa o espaço da memória RAM para rodar tudo isso e quanto mais coisa você fizer várias tarefas ao mesmo tempo, menos espaço vai ter e mais devagar tudo tenderá a ficar.

Fonte: Olhar Digital