You Tube pode ganhar características de rede social

youtube-op-facebookSabe-se que o Facebook está conquistando de forma muito meticulosa, o espaço financeiro do Google na Internet. Esta estratégia passa por transformar a rede social numa espécie de “intra web”, isto é, conseguir levar à rede social todo o conteúdo que o usuário busca.

O Google está demorando a reagir, a fórmula não foi encontrada ainda, mas agora a estratégia poderá vir a ser transformar o YouTube numa rede social.

Quem levanta essa possibilidade, que poderá muito bem ser plausível, é o site Venture Beat. Segundo informações veiculadas por esta fonte, o Google já tem um plano de transformar o seu produto YouTube numa rede social.

No meio da concorrência gerada pelo Facebook, Snapchat e Twitter, o YouTube estaria desenvolvendo um recurso chamado internamente de Backstage que permite aos usuários compartilhar fotos, pesquisas, links, mensagens de texto e vídeos com os seus assinantes.

O Backstage poderá ser lançado até ao final deste ano e serão desenvolvidas igualmente aplicativos para dispositivos móveis. Inicialmente, terão acesso a este novo serviço os usuários do YouTube mais influentes e populares, depois, progressivamente, será libertado ao público em geral, como informa a Venture Beat.

Podemos entender que o Google está a imaginando um serviço onde os posts compartilhados no Backstage poderão ser apresentados por ordem cronológica inversa e os usuários inscritos poderão seguir as novidades através de uma timeline e receber as conhecidas notificações. Poderá ser um meio termo entre o que hoje conhecemos do Facebook e o que oferece o Twitter.

Assim, o Backstage poderá marcar uma mudança fundamental no YouTube, cujo foco exclusivo era o vídeo que até nem tinha uma integração muito bem sucedida com a sua atual rede social Google Plus.

Esta preocupação ocorre num momento em que o Google está observando os seus You Tubers dando atenção ao que o Facebook ameaça fazer, monetizar os vídeos dentro da sua rede social e atraindo mais usuários do YouTube para o seu universo.

Diante dos muitos comentários a respeito, o porta-voz do Google afirmou que “nós não comentamos rumores ou especulações”.

Uma coisa é certa: vem novidade por aí!

Fonte: pplware

Messenger agora dispõe de criptografia ponta a ponta

face_messengerNesta sexta-feira (8), o Facebook começou a liberar o serviço de criptografia ponta-a-ponta para o Messenger. Com isso, os usuários terão as suas conversas protegidas. Vale notar que, em abril deste ano, o WhatsApp, que também pertence a companhia, adotou o mesmo sistema de segurança.

Porém, a forma usada pelo Facebook nos dois mensageiros é diferente. No WhatsApp, todas as mensagens enviadas recebem a camada adicional de proteção.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Oficina da Net

Malware no facebook rouba mais de 10 mil contas: brasileiros lideram

notificacoesEm apenas dois dias, um ataque de phishing realizado por meio do Facebook fez mais de 10 mil vítimas, cerca de 37% (3700) das quais são brasileiras, segundo a empresa de segurança digital Kaspersky Labs. Trata-se de malware (arquivo malicioso) que usa a rede social para se disseminar e roubar as contas e dados pessoais dos usuários.

Os usuários da rede social recebiam uma notificação dizendo que um amigo seu havia mencionado-os em um comentário de um post. A notificação, no entanto, era enviada por invasores e desencadeava um ataque em duas fases. Na primeira delas, o computador do usuário recebia um trojan que instalava, entre outras coisas, uma extensão do navegador Chrome no computador do usuário.

A segunda fase começa quando o navegador infectado acessa o Facebook. Nesse momento, os invasores conseguiam usar a extensão maliciosa para tomar controle da conta do usuário. Feito isso, o malware podia alterar configurações de privacidade, extrair dados e realizar atividades estranhas nos perfis dos usuários, como enviar spam e produzir curtidas e compartilhamentos fraudulentos.

Brasileiros foram, de longe, o público mais afetado pelo ataque. 37% ds vítimas detectadas nos últimos dois dias foram do nosso país. Outros países que também tiveram grande número de pessoas atingidas foram Polônia (8%) Peru (7%) e Colômbia. Usuários de Windows, tanto em PCs quanto em dispositivos móveis, foram as principais vítimas do ataque; os sistemas Android e iOS estão imunes ao ataque, pois a biblioteca usada pelos criminosos é incompatível com esses sistemas.

Prevenção

A Kaspersky também recomendou uma série de medidas por meio das quais usuários podem se proteger de ataques desse tipo. A empresa recomenda a instalação de programas de segurança, mesmo que gratuitos, e cuidado ao navegar nas redes sociais. Outras medidas sugeridas são a alteração das configurações de privacidade do Facebook para as mais restritas possíveis e evitar ao máximo clicar em links enviados por estranhos ou em mensagens suspeitas.

Para os usuários que acreditam que tenham sido infectados, a empresa recomenda a execução de um escaneamento contra malwares. Além disso, é possível abrir o Chrome e buscar por extensões desconhecidas. Caso arquivos nocivos ou extensões estranhas sejam encontradas, a Kaspersky sugere que o usuário desconecte completamente seu computador da internet e chame um profissional para removê-los.

Tanto o Google quanto o Facebook já tomaram medidas para atenuar o problema. O Google excluiu da Chrome Web Store pelo menos uma das extensões criminosas associadas ao ataque. A rede social, por sua vez, conseguiu bloquear as técnicas de propagação do malware pelos PCs infectados, e disse à empresa que não observou outras tentativas de infecção.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Olhar Digital

Página falsa da Receita Federal esconde malware

Receita-Federal-falsaUm grupo de criminosos está usando uma página do Facebook para enganar pessoas e instalar um malware que deixa seus computadores vulneráveis. Batizada de Restituição IRPF, a página se passa por um canal oficial da Receita Federal que promete facilitar problemas relacionados à declaração de imposta de renda. O problema é que o link divulgado, oferecido para que as pessoas verifiquem sua situação frente ao fisco, redireciona o usuário para um site bem diferente do proposto e que abre as portas de seu PC para conteúdo malicioso.

O endereço em questão é muito bem disfarçado e promete levar o usuário para a página da Receita, mas o endereço real é de um site chamado Quarto do Pânico, cujo único conteúdo é um download automático de um malware que atinge sistemas Windows, fazendo com que o computador fique completamente vulnerável. E, a partir disso, os hackers podem ter acesso a dados pessoais e outras informações sigilosas que podem ser usadas para ações criminosas.

O que realmente chama a atenção por aqui é que, à primeira vista, a página Restituição IRPF realmente engana, sobretudo por conta da miniatura do link mostrar o endereço da Receita Federal. Porém, não demora mais do que um minuto para você estranhar a existência de uma única postagem, a falta de dados e o fato de que todos os comentários sobre o tema terem sido apagados — o que mostra que os criminosos estão acompanhando as interações, evitando que outras pessoas os desmascarem na rede social.

Muita gente acredita

O problema é que ainda há muita gente acreditando que aquilo tudo é real. Tanto que, até o fechamento desta matéria, a publicação criminosa possuía 245 compartilhamentos e a grande maioria não fazia menção ao fato de que aquilo era um vírus. Como a pessoa envia aquilo aos seus amigos sem comprovar sua veracidade, ela acaba divulgando o malware e ajudando os criminosos.

Outro ponto que enganou muita gente é que os hackers se utilizaram de uma ferramenta do próprio Facebook para alcançar o maior número de possíveis vítimas. A partir da ferramenta de promoção de conteúdo, eles conseguiram dar mais visibilidade ao link falso e fizeram com que mais de mil pessoas curtissem a página.

Por isso, antes de clicar em qualquer coisa que seja aparentemente oficial ou prometa alguma facilidade relacionada a dinheiro, duvide. Observe bem o site e procure por indícios de que aquilo é verdadeiro. Páginas falsas, como esta, quase nunca trazem outro conteúdo além daquele que vai instalar um vírus ou causar outra dor de cabeça, então comece a duvidar logo de cara quando ver algo assim.

No caso da Restituição do IRPF, fica fácil ver que ela foi criada nesta semana (ou já existe há mais tempo e foi apagada e retomada), tanto que o número de curtidas é bem reduzido para algo desse porte. Apenas para comparação, a fanpage verdadeira da Receita Federal é seguida por 79 mil pessoas e traz vários dados sobre o órgão, assim como conteúdo atualizado.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Canaltech

Ameaça em Javascript inferniza vida de usuários do Facebook

facebook_javascriptO Facebook é a maior rede social da Internet e isso atrai, há muitos anos, todos os tipos de esquemas e tentativas de propagação de malware.

A mais recente “campanha”, para infectar os usuários, está em curso e usa o Chrome como meio para esse fim. Uma simples notificação abre a porta para problemas graves.

Esta nova ameaça surgiu há poucos dias, mas está se espalhando de forma rápida entre os usuários do Chrome. Uma simples e inocente notificação está conseguindo fazer com que os internautas sejam infectados.

Ao clicar nessa notificação, que traz um novo comentário sobre o usuário, conduz ao download de um arquivo com código javascript.

O simples fato de apenas baixar o arquivo não representa qualquer problema, mas a curiosidade na maioria das vezes faz com que o usuário o execute e é nesse momento que surgem os problemas pois, ao ser descarregado e executado, um arquivo “.exe” irá posteriormente infectar o computador.

Apesar de ter como alvo os usuários do Chrome, não se sabe ainda se também pode afetar outros navegadores, com funções de notificação semelhantes.

O comportamento deste malware é em tudo parecido com o RAA, que surgiu recentemente, e que é um ransomware criado totalmente em javascript.

A única forma dos usuários se protegerem é continuarem tendo muita atenção e cuidado com os alertas que recebem, resistindo à tentação de executar arquivos suspeitos e prestando muita atenção a tudo que é recebido via Internet, evitando abrir os que lhes parecer suspeito.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: pplware

Facebook poderá oferecer opção de criptografar o messenger

Computer SecurityUsado por 900 milhões de pessoas, o aplicativo de mensagens instantâneas Messenger, do Facebook, pode estar prestes a se tornar mais seguro e privado. De acordo com o Guardian, a empresa está planejando trazer a opção de criptografia ponta-a-ponta ao aplicativo nos próximos meses.

Três pessoas cientes dos planos para o Messenger, confirmaram que, em breve, o app ganhará uma opção para criptografar as mensagens dos usuários. As mensagens criptografadas dificultam enormemente que seu conteúdo seja acessado ou lido por hackers ou quaisquer terceiros além do autor e do destinatário.

No entanto, segundo as fontes, o Facebook pretende deixar essa opção desligada por padrão no aplicativo. Isso porque a ativação dela faria com que alguns dos recursos dos aplicativos (como os “bots”) deixassem de funcionar, já que eles dependem da análise do conteúdo das mensagens. O aplicativo Allo, anunciado recentemente pelo Google, toma uma medida semelhante (e cai em problemas semelhantes).

Segurança ou funcionalidade?

Desde a briga da Apple com o FBI, a criptografia ponta-a-ponta se tornou um foco para as empresas de tecnologia. Ela permite que as empresas protejam a intimidade e o sigilo das comunicações de seus usuários, algo que os usuários valorizam bastante – ainda que isso faça com que as empresas às vezes tenham problemas com a lei, mesmo no Brasil.

Por outro lado, alguns dos recursos apreciados por usuários simplesmente não funcionam caso a criptografia ponta-a-ponta esteja ativada. O Google Assistant, do Allo, e os “bots” do Messenger, por exemplo, precisam conseguir entender o que o usuário escreveu para poder “conversar com ele. Isso exige que as mensagens passem pelos servidores da empresa para ser analisadas, algo incompativel com esse tipo de criptografia.

Interrogado pelo Guardian sobre o assunto, o Facebook não confirmou ou negou os rumores. A resposta da empresa foi a de que “não comenta sobre rumores ou especulação”. No entanto, é possível que em breve os usuários do aplicativo precisem escolher entre privacidade ou funcionalidades.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Olhar Digital

Novo golpe no facebook promete vídeo porno como isca para enganar usuários

facebookmalwareUma nova campanha de malware vem focando nos usuários brasileiros do Facebook para espalhar links maliciosos pela rede social, segundo a empresa de segurança Kaspersky Lab.

No total, os criminosos usam 93 domínios, sendo que a maioria deles não conta com nenhum conteúdo salvo neles. Uma boa parte dos posts maliciosos exibe vídeos do domínio “motoresporte.com”.

De acordo com a companhia, o golpe em questão usa o perfil das vítimas para compartilhar links de supostos vídeos com conteúdos sensacionalistas, como pornografia e traição, além de citar nomes de celebridades, como uma forma de atrair cliques.

Quando o usuário clica no link malicioso, é solicitado que autorize o acesso de uma aplicação no seu perfil do Facebook. Mas, como alerta a Kaspersky, ao fazer isso “o proprietário passa o controle da conta e seus dados pessoais (como e-mail) para o cibercriminoso, que passará a usar o perfil comprometido para ampliar a disseminação do golpe na rede social”.

Vale notar que essa aplicação maliciosa foi programada pelos criminosos para ser executada tanto na versão desktop quanto móvel do Facebook.

Perigos

“Ao conquistar o controle dos perfis e conseguir os dados pessoais dos proprietários, o criminoso passará a ter uma base gigantesca de contas comprometidas, que poderão ser vendidas a golpistas interessados ou serem usadas para disseminar outras campanhas”, afirma o analista sênior de segurança da Kaspersky no Brasil, Fabio Assolini, que destaca ainda o fato da campanha acontecer toda dentro da rede social de Mark Zuckerberg.

Como se proteger

Para remover o app malicioso, é necessário acessar as configurações do Facebook de um desktop e ir na opção “Aplicativos”, explica a Kaspersky. Nesta página, o usuário deve remover todos os aplicativos desconhecidos – entre eles estarão os aplicativos desta campanha, que se apresentam como aeroplay.top; aguiavideos.top; asiavideos.top, entre outros.

Outra ação essencial é trocar a senha depois de remover os aplicativos. Caso contrário, os criminosos ainda terão acesso ao perfil da vítima.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: IDG Now!