Mais de uma dezena de apps com malware removidos da Play Store

A Play Store vem sofrendo para manter seu espaço limpo em 2018. Agora, segundo a ESET, a Google removeu 13 aplicativos falsos que se passavam por jogos na loja e repassavam malware para smartphones com Android.

Os apps pediam acesso completo ao celular para roubar dados pessoais do dispositivo

De acordo com pesquisador Lukas Stefanko, os 13 aplicativos foram instalados mais de 580 mil vezes em smartphones, além de dois deles estarem destacados como “tendência”. Ao baixar os apps, eles simplesmente não rodavam: eles pediam acesso completo ao celular para roubar dados pessoais do dispositivo.

Segundo Stefanko, todos os apps eram de um suposto desenvolvedor chamado “Luiz O Pinto”. Foi possível descobrir que o domínio do desenvolvedor espalhava malware e direcionava para uma pessoa em Istambul chamado Mert Ozek.

Só em 2017, a Google conseguiu remover cerca de 700 mil aplicativos maliciosos da Play Store. Esperamos que o número diminua em 2019: não por falta de cuidado na remoção, mas por cuidado extra na aprovação de entrada.

Fonte: Tecmundo

Esta é uma mensagem falsa

msg_fakeQuem teve uma conta de email ativa durante o início dos anos 2000 ou viveu a época áurea do Orkut deve conhecer as famosas “correntes”, que durante uma época se alastravam pela internet. Normalmente usando como base algum motivo absurdo, essas mensagens pediam que você as compartilhasse com um número determinado de contatos caso não quisesse que algo ruim acontecesse.

Após algum tempo desaparecidos, esses spams voltaram a encontrar um espaço na rede mundial de computadores através do WhatsApp. Uma mensagem divulgada através do aplicativo afirma que o serviço passará a ser cobrado de todos os usuários que não se mostrarem ativos até uma data indeterminada, avisando também que o software passará a contar com um ícone de outra coloração.

Não bastasse a mensagem em si ser bastante estranha, ela é assinada por alguém identificado somente como Herberth, que autodenomina o diretor do “MSN WhatsApp”. Entre as promessas feitas por ele está a de que todos os seus contatos no comunicador vão ser excluídos caso o texto não seja repassado para outras pessoas — mas é preciso ser rápido, pois somente 530 contas estão disponíveis para “novos celulares”.

Sequer é preciso mencionar que esse tipo de mensagem só serve para causar pânico entre os mais desavisados e não deve ser levada a sério. Felizmente, ao contrário de outros casos do tipo, o texto não tenta convencer o leitor a fazer qualquer investimento em dinheiro, o que diminui o impacto negativo que ele pode causar.

Agradeço ao Davi, amigo e colaborador o seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Tecmundo