Microsoft admite: Windows 10 mobile está morto

Como muitos fãs de tecnologia já devem saber perfeitamente bem, a plataforma móvel da Microsoft já é considerada “morta” por boa parte do público há um tempo considerável. Mas parece que agora a própria gigante de Redmond resolveu admitir isso, dizendo que não tem mais planos de investir em novidades para o mercado relacionadas ao Windows 10 Mobile.

A confirmação, vale notar, veio do próprio vice-presidente corporativo da empresa, Joe Belfiore. Em um tweet, o figurão admitiu que novas funções ou hardware para o sistema “não são o foco”; no entanto, ele ao menos garantiu que a plataforma vai continuar a receber suporte básico, com correções de bugs e atualizações de segurança.

“É claro que nós vamos continuar a dar suporte à plataforma… correções de bugs, atualizações de segurança, etc. Mas construir novas funções/hardware não é o foco.”

Mesmo admitindo tudo isso, Belfiore ainda avisa que a decisão não foi por falta de esforço da companhia. Quando questionado sobre a falta de sucesso do Windows 10 Mobile pela falta de aplicativos para a plataforma, o VP da Microsoft avisou que a companhia dedicou enormes esforços para atrair o desenvolvimento de apps para eles. O problema? “O volume de usuários é muito baixo para a maioria das companhias investirem”, explicou.

“Nós tentamos BASTANTE incentivar os desenvolvedores de apps. Pagamos dinheiro.. escrevemos apps para eles… Mas o volume de usuários é baixo demais para a maioria das companhias investir.”

Considerando que um número enorme de empresas e aplicativos dos maiores do mercado está deixando o Windows 10 Mobile (muitas, inclusive, partindo ainda nos tempos do Windows Phone), é difícil dizer que tudo isso é uma surpresa. Mas se isso quer dizer que a Microsoft quer abandonar o mercado mobile? Nem de longe: como o próprio Bill Gates disse recentemente, a empresa ainda tem muitos aplicativos nas outras plataformas – o que deve se tornar um foco cada vez maior com o avanço do mercado.

Fonte: Tecmundo

Windows Phone: menos de 1% do mercado. Será o fim?

windows_phoneSem novos aparelhos Lumia, plataforma da Microsoft despencou no último ano. Android ampliou liderança no setor, enquanto Apple viu iPhone perder espaço.

O Windows Phone parece cada vez mais uma carta fora do baralho no mercado de smartphones. Isso porque o sistema mobile da Microsoft para celulares inteligentes viu sua participação no mercado cair para menos de 1% no último trimestre, segundo a Gartner.

De acordo com dados recentes da consultoria, foram vendidos apenas 2,4 milhões de de smartphones com Windows Phone no primeiro trimestre de 2016, ou 0,7% do mercado total – uma queda impressionante de 73% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram comercializados 8,6 milhões de dispositivos com a plataforma.

A principal razão para essa significativa é a falta de novos aparelhos Lumia. Além disso, a empresa de Redmond revelou recentemente que vendeu a sua divisão dos celulares básicos (feature phones) para uma subsidiária da Foxconn por cerca de 350 milhões de dólares.

Vendas sobem

Enquanto isso, as vendas gerais de smartphones cresceram quase 4% pelo mundo nos três primeiros meses de 2016.

O Android ampliou seu domínio no segmento com um total de 293,7 milhões de smartphones vendidos no período, o que lhe deixou com 84,1% de participação no mercado contra 78,8% no mesmo trimestre do ano passado. Já o iOS, da Apple, viu suas vendas e participação no setor caírem de 60,1 milhões de unidades e 17,9% para 51,6 milhões de unidades e 14,8%, respectivamente.

A Samsung continua na ponta entre as fabricantes, com 81,1 milhões de unidades vendidas e 23,2% do mercado, seguida pela Apple com os mesmos números citados acima. Três fabricantes chinesas completam o Top 5: Huawei (8,3%), Oppo (4,6%) e Xiaomi (4,3%).

Fonte: IDG Now!

Diretor do Facebook pede o fim do Adobe Flash

adobe_flash_killSoftware da Adobe teve duas vulnerabilidades de segurança reveladas recentemente após vazamento de dados do Hacking Team.

O diretor de segurança do Facebook, Alex Stamos, é mais um a pedir o fim do Flash, da Adobe. Por meio de seu perfil no Twitter, Stamos disparou contra o software da Adobe, que teve duas vulnerabilidades até então inéditas publicadas recentemente após o vazamento de dados da empresa The Hacking Team: “It is time for Adobe to announce the end-of-life date for Flash and to ask the browsers to set killbits on the same day.”

Em alguns tuítes no final de semana, o executivo do Facebook disse que a Adobe precisa escolher uma data para encerrar o suporte ao Flash e que os desenvolvedores de navegadores devem seguir a iniciativa no mesmo dia.

Desde que Steve Jobs se mostrou totalmente contra o Flash, que não é suportado no iPad desde o seu lançamento em 2010, outros sites como o YouTube seguiram o mesmo caminho e abandonaram a tecnologia da Adobe em troca do HTML5 ou outras soluções.

Vale notar que o Facebook ainda exige o Flash para rodar vídeos em alguns navegadores, mas Stamos indicou que isso deve mudar em breve.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: IDG Now!

Winamp se despede depois de 15 anos

winampDepois de 15 anos como um dos mais populares aplicativos da web, o Winamp vai ser encerrado. As informações são do site oficial do programa, onde há uma nota revelando que ele não estará mais disponível para download a partir de 20 de dezembro.

O Winamp foi muito usado como reprodutor de músicas entre o final dos anos 1990 e o começo de 2000. Ele também era utilizado para streaming de rádios em websites, mas perdeu popularidade para o iTunes e o Windows Media Player.

O app foi desenvolvido por ex-estudantes da Universidade de Utah, Justin Frankel e Dmitry Boldyrev, e foi lançado em 1997.

A AOL adquiriu o Winamp em 1999, e ele chegou a ganhar sua última versão (a 10ª) em 2007. Nesta época, a maioria das pessoas já tinha deixado de utilizá-lo para dar espaço a outros programas semelhantes e mais avançados.

A última versão lançada trouxe um novo visual para o aplicativo, com informações e biografias sobre os artistas, além de compatibilidade e suporte para diversos arquivos de áudio e vídeo.

Agradeço ao Lucas, amigo e colaborador do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Baboo