Microsoft Edge irá colocar restrições à execução do Flash

say-no-flash-playerA Microsoft anunciou nesta quinta-feira (07) uma característica que irá melhorar consideravelmente a experiência global de usuários de seu navegador Edge. Com a próxima atualização de aniversário do Windows 10, o Microsoft Edge inteligentemente deixará de executar conteúdos em Flash que não são partes centrais de uma página na web.

Conteúdos de animações em Flash, como anúncios, não serão exibidos a menos que o usuário clique explicitamente para executá-los. A nova alteração deverá reduzir consideravelmente o consumo de energia em dispositivos com Windows 10 e melhorar o desempenho de carregamento de páginas web. Como era de se esperar, o navegador irá distinguir quando um conteúdo em Flash for o centro de uma página web, como no caso de jogos e vídeos. Nesses casos, a execução em Flash não será interrompida.

Em comunicado, a Microsoft afirmou que o “Flash tem sido uma parte integrante da web ao longo de décadas, permitindo um conteúdo rico e animações em navegadores desde antes da introdução do HTML5”. Os navegadores mais modernos estão deixando de utilizar o Flash em apoio ao HTML5. Isso porque o novo formato permite um melhor desempenho no carregamento de páginas e maior segurança para navegação.

Ainda segundo a Microsoft, os desenvolvedores também serão beneficiados pela tendência de descontinuação do Flash, visto que “eles serão capazes de criar sites que funcionam em todos os navegadores e dispositivos, incluindo dispositivos móveis onde o Flash não está disponível”.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Canaltech

Adobe pode vir a liberar ainda hoje atualização emergencial para o Flash

Adobe-flash-bug-patchA Adobe trabalha em um patch de emergência para o Flash Player após criminosos terem supostamente explorado a falha crítica de segurança.

A vulnerabilidade em questão (CVE-2016-1019) afeta a versão 21.0.0.197 do Flash no Windows, Mac, Linux e Chrome OS.

De acordo com a empresa, a falha estaria sendo explorada nos sistemas Windows 7 e XP com versões 20.0.0.306 do Flash.

“Uma exploração bem-sucedida pode causar um crash e permitir potencialmente que um criminoso assuma o controle de um sistema afetado”, afirma um comunicado da Adobe.

Um patch deve ser lançado ainda nesta semana, possivelmente ainda nesta quinta-feira, 7/4.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: IDG Now!

Liberada correção para nova falha no Flash

Adobe-flash-bug-patchA Adobe lançou na quinta-feira (10) uma correção de emergência para o mais novo conjunto de falhas do Adobe Flash Player. A atualização resolve bugs existentes nas versões do software para Windows, Mac OS e Linux, além do Adobe AIR para desktop e Android.

Segundo a desenvolvedora, a vulnerabilidade permitiria a execução de códigos remotos em um sistema, que poderiam ser usados para invadir dispositivos facilmente, bastando que a vítima abrisse o conteúdo comprometido no formato.

Os problemas foram considerados críticos pela Adobe, que informou ter descoberto que a falha estava sendo explorada ativamente por grupos de cibercriminosos em ataques dirigidos.

Para ser infectado, basta que o usuário abra o arquivo em flash, que pode ser disfarçado como um site, jogo ou anúncio. Quando isto acontece, o software roda código indesejado no computador afetado, que pode ser usado para espionar suas atividades ou infectá-lo com outros tipos de malware.

Como atualizar o Flash Player
A recomendação para os usuários é se certificarem que estão usando a versão mais recente do software. As versões para navegadores devem ser atualizadas automaticamente, mas quem possui o Flash Player ou o AIR pode precisar fazer o processo manualmente.

Caso você tenha o aplicativo Secunia PSI instalado no seu PC, poderá também de forma rápida e prática atualizar o Flash e demais programas desatualizados.

O Flash foi, por muito tempo, uma tecnologia popular na Internet, que pode criar websites, jogos e anúncios. Apesar de ser muito usado, o software é antigo e possui várias falhas graves. Em 2015, por exemplo, foram descobertos pelo menos três falhas graves no sistema.

Agradecemos ao Davi, colaborador do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Techtudo (com parte editada por seu micro seguro)

Google irá bloquear anúncios em Flash

say-no-flash-playerO Google anunciou ontem (10/2) que não aceitará mais publicidade baseada em Flash a partir de 2 de janeiro de 2017. A própria Adobe está abandonando o uso do seu produto em prol do HTML5.

Isso significa que ambos Google Display Network e DoubleClick Digital Marketing não exibirão anúncios em flash, apenas em HTML5, caso queiram usar animações. Por sua vez, as propagandas em vídeo poderão continuar utilizando o produto – ao menos por enquanto.

Até junho de 2015, o número de publicidade baseada em flash exibida no mundo chegou a 100 milhões, e 84% dos banners também estavam rodando em Flash, segundo dados do Ad Age. Espera-se que esse número seja reduzido significativamente ano a ano e, eventualmente, chegue a zero.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: ITForum365

O que falta para o Flash sumir de vez

say-no-flash-playerSegundo a Encoding.com, Flash Video deve sumir dos seus relatórios dentro de 24 meses. O problema é que muitos sites grandes ainda usam a tecnologia.

Como um formato de vídeo, o Adobe Flash está quase morto. De acordo com um levantamento do site Encoding.com, o Flash respondeu por apenas 6% das reproduções de vídeo do ano passado, uma queda de 15% em relação a 2014. Atualmente, é usado principalmente por navegadores de legado, anúncios publicitários e alguns casos específicos.

“Esperamos que o codec de vídeo Flash desapareça completamente do nosso relatório em 24 meses”, aponta o relatório.

Essa é uma boa notícia para quem já abandonou o Flash nos seus browsers por conta de preocupações de segurança e pioras no desempenho. Mas para essa previsão do Encoding.com se cumprir, muitos sites grandes de streaming terão de fazer mudanças.

O Hulu, rival do Netflix, continua a exigir o Flash Player para o seu site desktop – na verdade, a página codifica vídeo em H.264, mas usa um contêiner em Flash Video para o streaming; segundo o Encoding.com, esse tipo de situação ainda conta como uso do Flash nas suas porcentagens.

Outros sites grandes de streaming que dependem do Flash Player incluem HBO Go, CBS, NBC, MLB.TV, Showtime, Pandora e Spotify.

Apesar disso, houve algum progresso nesse afastamento do Flash Player nos últimos anos, com empresas como Amazon, Twitch, Netflix e YouTube já oferecendo players em HTML5.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: IDG Now!

Pra variar, Adobe Flash volta a apresentar falha de segurança

Adobe-flash-bug-patchO ano de 2015 não poderia acabar sem mais um bug que afeta o já calejado plugin Flash, da Adobe. Não é surpresa para mais ninguém, mas uma nova vulnerabilidade foi descoberta na plataforma — e já corrigida com uma atualização emergencial de segurança.
Aparentemente, os erros eram múltiplos (19, ao todo) e quase todos eram críticos, ou seja, poderiam resultar na debilitação completa da sua máquina. Uma das falhas, a CVE-2015-8651, afetava todas as plataformas com o plugin e permitia a um invasor rodar um código que garantia o controle remoto de um dispositivo.
A empresa afirmou que somente ataques limitados e direcionados foram detectados, mas isso não diminui a gravidade do problema — ou a necessidade de você se prevenir contra eles.

Conserto
Se você usa o Flash em Windows, Mac OS X, Linux ou Chrome OS, busque a atualização mais recente da plataforma ou aceite as notificações de download automático da Adobe. Clique aqui para conferir se você está usando a versão correta no seu dispositivo.
Várias plataformas estão substituindo o Flash por outras plataformas, como o HTML5. A Adobe já anunciou que, talvez até para limpar a imagem do produto, ele vai mudar de nome em 2016. Em um artigo no TecMundo, já comentamos por que o Flash precisa morrer de vez.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Tecmundo

Facebook troca Flash por HTML5 como padrão para vídeos

Facebook Friendly MarketingO Facebook anunciou neste final de semana que a partir de agora usa HTML5 como padrão para todos os vídeos publicados na rede social.

A troca do sempre criticado Adobe Flash pelo HTML5 é válida para todos os navegadores e foi classificada pelo Facebook como uma mudança “que nos permite continuar inovando rapidamente e em alta escala, dado o grande tamanho e necessidades complexas do Facebook”.

Segundo a empresa de Mark Zuckerberg, o fato de navegadores antigos não se comportarem muito bem com o HTML5 foi um dos motivos que fez com que a alteração fosse liberada aos poucos. “É por isso que esperamos até hoje para liberar o player HTML5 para todos os navegadores por padrão, com exceção de um pequeno número deles”, afirmou o engenheiro da rede social, Daniel Baulig.

Ainda de acordo com Baulig, o uso de HTML5 torna a experiência de usar redes sociais melhor para todos. “As pessoas parecem estar passando mais tempo com os vídeos por conta disso. Os vídeos são uma maneira enriquecedora de se conectar com o mundo ao seu redor, e estamos felizes de poder melhorar a experiência de vídeos com o Facebook.”

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: IDG Now!