Alguns antivírus apresentam incompatibilidades com o Firefox

A Mozilla emitiu um comunicado nesta quinta-feira (28) para alertar sobre problemas encontrados por vários usuários, ao utilizarem alguns antivírus. Entre eles estão os populares AVG e Avast, que estão entrando em conflito com uma atualização de segurança do Firefox e causando a perda de conexão às páginas seguras de produtos da Google, a exemplo do Gmail.

De acordo com a Mozilla, essa questão tem a ver com a maneira como o Avast e o AVG verificam o tráfego HTTPS antes de entregá-lo ao browser. “Os produtos Avast e AVG podem não estar prontos para a especificação TLS 1.3 mais recentes e seguros usados nas versões mais novas do Firefox. Como resultado, os usuários podem ver páginas de erro intermitentes com falha na conexão segura em sites como o Google e outros”, relata o site da empresa.

Isso também estaria afetando outros antivírus, como o ESET e o NOD32. O Avast já adiantou que está ciente desse inconveniente e está trabalhando em um update que deve ser distribuído nas próximas 24. Outros utilitários que vêm apresentando algo semelhante devem fazer o mesmo em breve.

Enquanto isso, para driblar esse bloqueio no Avast e no AVG, é preciso abrir os aplicativos e desativar a caixa “Enable HTTPS Scanning” nas configurações, a partir da seção “Web Shield”, que fica em “Customize”, dentro de “Components”.

Agradecemos ao Igor, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Tecmundo

Norton não recomenda uso do novo navegador Edge

norton_alertaO Norton Security, solução de segurança da Symantec, passou a mostrar um alerta para os usuários interessados no Windows 10 e os que já usam a versão Preview da Microsoft sobre falhas de segurança no navegador Microsoft Edge, que chegou para substituir o Internet Explorer. A polêmica acontece quando faltam poucos dias para o lançamento do Windows 10, que chega no dia 29 de julho.

A mensagem, em computadores em que o Norton está instalado, é exibida quando um usuário do Windows 10 Insider tenta abrir o navegador. Ela não proíbe o uso do Edge, mas recomenda o uso de outros browsers instalados na máquina, como alternativa às falhas do sucessor do IE.

Segundo a Symantec, a falta de um recurso pode, a longo prazo, oferecer riscos para o usuário. Neste primeiro momento, o Edge não aceita a instalação de extensões e, uma vez que não é possível instalar um plugin do antivírus para fornecer segurança adicional à navegação, este é o risco de usá-lo para surfar na Internet.

A intenção da Microsoft é, com o tempo, possibilitar o suporte a extensões no Edge, mas o recurso não deve ainda estar disponível no lançamento do Windows 10. O navegador foi construído sem oferecer compatibilidade a muitas tecnologias presentes no Internet Explorer e em outros concorrentes.

A decisão tornou o Edge invulnerável a muitas falhas e bugs presentes no antecessor, mas também resultou em um navegador incompatível com plugins originais e seguros, que não são malignos. Por outro lado, caso algum problema grave seja detectado no browser, ficará mais difícil para as fabricantes de antivírus protegerem seus usuários.
Resta saber quando a Microsoft vai torná-lo compatível com plugins.

Agradecemos ao Davi e ao Paulo Sollo, colaboradores amigos do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Techtudo