Microsoft encara problemas com processadores AMD após atualização

Os processadores da AMD não são afetados pela falha de CPU Meltdown, que vem tomando as manchetes desde a última semana, mas a solução para o problema aparentemente pode deixar de joelhos algumas CPUs da fabricante. A Microsoft inclusive interrompeu a oferta do patch de segurança para o Windows para alguns sistemas da AMD após relatos de PCs com problemas para inicializar.

“Após investigar, a Microsoft determinou que alguns chipsets da AMD não correspondem aos documentos enviados anteriormente para a Microsoft para desenvolver as mitigações do Windows para proteção contra as vulnerabilidades de chipset conhecidas como Spectre e Meltdown”, afirma a empresa de Redmond em um aviso de segurança.

“Para evitar que os usuários da AMD entrem em um estado de não inicialização das máquinas, a Microsoft vai interromper temporariamente neste momento o envio os updates de sistema do Windows para os dispositivos com os processadores da AMD impactados.”

No entanto, a Microsoft não especifica quais CPUs da AMD são vulneráveis ao erro em questão. A CSO dos EUA informa que boa parte dos relatos em fóruns on-line sobre o problema são relacionados a chips mais antigos como Athlon e Sempron, sendo que o maior tópico sobre o assunto conta com mais de 160 respostas e mais de 800 votos para “Eu tenho a mesma pergunta”.

A AMD e a Microsoft estão trabalhando para resolver o problema. As atualizações de segurança para os computadores afetados voltarão a ser distribuídas após a questão ser resolvida. Caso o seu PC AMD não inicialize mais depois da instalação do patch de emergência liberado na última semana, a Microsoft diz que seus guias para resolução de erros de tela azul no Windows 7, 8 e 10 podem ajudar.

Mesmo que você não possa instalar o patch para o Meltdown neste momento, é muito importante atualizar o seu navegador o quanto antes. Firefox, Chrome, IE e Edge receberam updates com proteções iniciais contra a falha Spectre – um problema separado do Meltdown e desses patches com bugs para o Windows. Os chips da AMD são suscetíveis ao Spectre.

Fonte: IDG Now!

Nem Apple ficou à salvo das falhas dos processadores Intel

Praticamente nenhum dispositivo do mercado está protegido das falhas de processadores Meltdown e Spectre, reveladas ao público nos últimos dias. Mas e quanto às plataformas da Apple? Bem, infelizmente elas não são uma exceção – mesmo que você não esteja em perigo imediato.

Em uma declaração oficial em seu post, a Maçã foi clara: “Todos os sistemas Mac e dispositivos iOS são afetados, mas não há exploits conhecidos impactando consumidores neste momento”, explicou ela. Mesmo assim, a empresa frisa a importância de evitar o download de fontes não-confiáveis.

Além disso, ela deixa claro que vários dos problemas em potencial relacionados ao Meltdown já teriam sido resolvidos com patches para iOS (11.2), macOS (10.13.2) e tvOS (11.2). Quanto ao Apple Watch? Segundo ela, não há com que se preocupar, já que o Meltdown não afeta o dispositivo. As brechas do Spectre, por sua vez, devem ser corrigidas com uma atualização para o Safari a ser lançada dentro dos próximos dias.

Em meio a tudo isso, ao menos a boa notícia é que as empresas preveem que a grande maioria das plataformas afetadas seja protegida da brecha dentro dos próximos dias.

Fonte: Tecmundo

Como proteger seu PC da falha de processadores da Intel

Duas falhas sérias de CPU reveladas nesta semana podem ter sérias ramificações para os usuários de PCs. As vulnerabilidades Meltdown e Spectre permitem que invasores acessem informações protegidas na memória kernel do seu computador, revelando potencialmente detalhes sensíveis como senhas, chaves criptográficas, fotos pessoais, e-mails e qualquer outra coisa armazenada na máquina. É uma falha realmente séria. Felizmente, as fabricantes de CPUs e sistemas liberaram patches de segurança rapidamente, e você pode proteger o seu PC das vulnerabilidades até certo ponto.

No entanto, não é algo rápido e simples. Elas são duas falhas muito diferentes que tocam em todas as partes do seu sistema, desde o hardware até o software e o sistema operacional em si.

Cortamos os termos técnicos para explicar o que você precisa saber em uma linguagem clara e simples. Também criamos uma visão geral sobre como a Spectre pode afetar smartphones e tablets. Mas o guia que você está lendo é focado apenas em proteger seu computador contra as falhas em questão.

Como proteger seu PC

Veja abaixo uma check-list passo a passo, seguida pelo processo completo de cada um.

-Atualize seu sistema operacional

-Verifique por atualizações de firmware

-Atualize seu navegador

-Mantenha seu antivírus ativo.

Primeiro e mais importante de tudo: atualize o seu sistema agora

A falha mais severa, a Meltdown, afeta “efetivamente todo processador Intel desde 1995”, segundo os pesquisadores de segurança do Google que descobriram o problema. É uma falha com o hardware em si, mas as principais fabricantes de sistemas liberaram atualizações que protegem o sistema contra a Meltdown.

A Microsoft soltou um patch de emergência para o Windows em 3 de janeiro. Caso não tenha atualizado seu PC automaticamente, vá em Iniciar > Configurações > Update e Segurança > Windows Update, e então clique no botão Verificar Agora (Check Now) em Update Status. O sistema deve detectar a atualização disponível e iniciar o download. Instale o update assim que terminar de baixá-lo.

Caso não o encontre por qualquer razão, você pode baixar o patch Windows 10 KB4056892 diretamente por aqui. Você precisará saber se fica com a versão 32-bit (x86) ou 64-bit (x64) do Windows – para isso, apenas digite “sistema” (ou “system”) na busca do Windows e clique no primeiro item da lista, que te levará para uma janela do Painel de Controle. A listagem “Tipo de sistema” te dirá qual versão do Windows você está rodando. A maioria dos PCs lançados na última década rodam um sistema 64-bit.

A Apple incluiu sem alarde proteções contra o Meltdown no macOS High Sierra 13.10.2, lançado em dezembro. Caso seu Mac não aplique os updates automaticamente, vá até a aba Update da App Store para fazer a atualização.

Os Chromebooks deveriam ser atualizados para o Chrome OS 63, lançado em dezembro. Ele traz mitigações contra as falhas de CPU. Os desenvolvedores Linux estão trabalhando em patches para o kernel. Também há patches disponíveis para o kernel Linux.

Agora a má notícia: os patches para sistemas podem deixar seu PC mais lento. Mas o quão mais lento é algo que varia muito, dependendo da sua CPU e da carga de trabalho que você está rodando. A Intel espera que o impacto seja razoavelmente pequeno para a maioria das aplicações padrão como games ou navegação na web. De qualquer forma, você ainda vai querer instalar os updates por questões de segurança.

Verifique atualizações de firmware

Como a falha Meltdown existe no nível de hardware, a Intel também liberando atualizações de firmware para os seus processadores. “Até o final da próxima semana, a Intel espera ter liberado updates para mais de 90% dos processadores lançados nos últimos cinco anos”, afirmou a fabricante em um comunicado publicado em 4 de janeiro.

A Intel também lançou uma ferramenta de detecção que pode te ajudar a determinar se você precisa de uma atualização de firmware.

Realmente conseguir essas atualizações de firmware pode ser um pouco complicado, já que os updates de firmware não são publicados diretamente pela Intel. Em vez disso, você precisará pegá-los com a companhia que produziu seu laptop, PC ou placa mãe – pense em empresas como HP, Dell, Gigabyte, etc. A página de suporte da Intel dedicada à vulnerabilidade inclui links para todos os seus parceiros, onde você pode encontrar qualquer update de firmware disponível e informações sobre o seu PC em particular. A maioria dos computadores e laptops pré-montados possuem um adesivo no exterior com mais detalhes.

Atualize seu navegador

Você também precisa se proteger contra a Spectre, que engana o software para acessar sua memória kernel protegida. Chips da Intel, AMD e ARM são vulneráveis à falha em algum grau. As aplicações de software precisam ser atualizada para você proteger contra a Spectre. Os principais navegadores web para PCs já liberaram updates como uma primeira linha de defesa contra sites maliciosos que buscam explorar a falha com Javascript.

A Microsoft atualizou o Edge e o Internet Explorer juntamente com o Windows 10. O Firefox 57, da Mozilla, também traz defesas contra o Spectre. O Chrome 63 traz a “Isolação de Site” (“Site Isolation”) como um recurso experimental opcional – você pode acioná-lo agora ao acessar chrome://flags/#enable-site-per-process na sua barra de navegação e então clicar em Habilitar (Enable) perto da opção “Strick Site Isolation”. O Chrome 64 terá mais proteções quando for lançado em 23 de janeiro.

Mantenha seu antivírus ativo

Por fim, essa diretriz mostra como é importante manter seu PC protegido. Os pesquisadores do Google que descobriram as falhas de CPU afirmam que o antivírus tradicional não conseguiria detectar um ataque Meltdown ou Spectre. Mas os invasores precisam poder injetar e rodar código malicioso no seu PC para se aproveitar dos exploits. Por isso, manter seu software de segurança instalado e vigilante ajuda a manter os hackers e malwares fora do seu computador. Além disso, “seu antivírus pode detectar malware que os ataques ao comparar binários depois que eles ficarem conhecidos”, aponta o Google.

Fonte: IDG Now!

Intel e o futuro: computador do tamanho de um cartão

inter_card_pcCada vez mais os computadores expandem suas funções e diminuem seu tamanho. A CES, famosa feira de tecnologia americana, é conhecida por ser o palco de lançamentos que revolucionam o modo como a sociedade lida com tecnologia. Este ano, um desses lançamentos, foi o Computer Card criado pela Intel.

O protótipo anunciado pela empresa promete ser tão pequeno que caberá no bolso e chegará com processadores equivalentes aos dos Macbooks.

Além disso, a novidade promete acompanhar Wi-Fi, Bluetooth e espaço para armazenamento de dados. O único problema é que pelo seu tamanho não há espaço para abrigar entradas HDMI e USB.

Segundo a Intel existem projetos da HP, Dell, Lenovo e Sharp para que produtos destas marcas ofereçam slots compatíveis com o Computer Card. A ideia é que no futuro o dispositivo seja usado para fazer upgrades em notebooks e aparelhos semelhantes.

Fontes: Exame e AdNews

McAfee está de volta

intel-mcafeeDepois de ter sido comprada em 2010 pela Intel por US$ 7,68 bilhões, e ser renomeada como Intel Security em 2014, a McAfee retomou seu antigo nome e está de volta ao mercado de forma independente, por conta de uma operação financeira montada pela Intel com o grupo de investimento TGP.

No último 07/09, a Intel anunciou a criação de uma joint venture com o TGP envolvendo a Intel Security. Por meio de uma operação chamada “spin out”, a subsidiária será convertida em joint venture e rebatizada de McAfee, ficando 49% de participação para a Intel e 51% para o TGP, que investirá US$ 1,1 bilhão na nova operação.

Em uma declaração conjunta para o mercado, as empresas disseram que o investimento será usado para ajudar a joint venture a ganhar corpo como uma empresa independente e direcionar seu crescimento.

Valor de US$ 4,2 bilhões

O spin out depende ainda de aprovação dos órgãos regulatórios de mercado e será feito em múltiplas etapas, devendo se completar entre maio e junho de 2017. Por conta do acordo, o valor de mercado da Intel Security foi estimado em US$ 4,2 bilhões, sendo US$ 2,2 bilhões em valor de equity e US$ 2 bilhões em dívidas. Quase a metade do que foi gasto na aquisição da companhia em 2010.

O plano prevê que a Intel continue honrando o pagamento das dívidas até que a auditoria financeira seja completada, o que deverá ocorrer três a cinco meses após o fechamento do acordo. Segundo a Intel, a receita da subsidiária Intel Security cresceu 11% na primeira metade de 2016, com receita de US$ 1,1 bilhão e lucro operacional de US$ 182 milhões (crescimento de 391% sobre 2015).

A nova McAfee terá como CEO Chris Young, que atuava como vice-presidente sênior e diretor geral a Intel Secutity. Young trabalhou antes para a Cisco e VMware. Em carta aberta a investidores e clientes, Young escreve que a empresa está decidida “a cumprir os roadmaps de produtos”, e que a nova parceria e status corporativo “permitem investir mais e executar ainda mais rápido em favor dos clientes”.

Segundo Young, a joint venture será “ágil, focada e independente”, com a meta de ajudar as empresas a “detectar e responder mais ameaças ainda mais rápido e com menos recursos.”

Quando comprou a McAfee, em 2010, a Intel incorporou alguns recursos de segurança em seus chips dedicados e comercializou seus produtos e soluções proteção de dados através da Intel Security, mantendo a empresa no topo do ranking de sua categoria, abocanhando o segundo lugar em market share, segundo o Gartner, abaixo da Symantec e acima da Trend Micro.

O portfólio da empresa inclui produtos para segurança de rede, gerenciamento, banco de dados, segurança de servidores e web e produtos para criptografia de dados.

Fonte: IDGNow!

Conheça o No More Ransomware – ajuda para salvar seus arquivos

nomoreransomwareO Ransomware é uma praga dos tempos modernos. Afeta cada vez mais usuários, com efeitos sempre mais destrutivos, criptografando os dados dos usuários e atão somento os devolvendo mediante um pagamento.

Mas este problema tem agora um novo aliado. O site “No More Ransomware” quer dar a todos as ferramentas necessárias para se precaverem e, em caso de contaminação, fornecer a ajuda para recuperação dos dados

Este novo site é da responsabilidade de várias entidades que procuram lutar contra os Ransomwares e seus efeitos danosos. Criado pela Intel, Kaspersky Labs e Interpol, busca ajudar a recuperar os dados dos usuários da armadilha dos cibercriminosos.

O seu principal objetivo é fornecer aos usuários informação sobre como se proteger da ameça Ransomware e quais as medidas a tomar para se evitar este problema. Mas além dessas informações digamos mais “genéricas”, o site tem ainda duas ferramentas essenciais.

A primeira é uma lista de aplicações que conseguem quebrar a cifra criptografia dos arquivos comprometidos, conseguindo assim obter de volta os dados dos usuários.Já é possível ter acesso a ferramentas que combatem o Ransomware de várias famílias: CoinVault, Rannoh, AutoIt, Fury, Crybola, Cryakl, CryptXXX (v1 e v2), Rakhni, Agent.iih, Aura, Pletor, Rotor, Lamer, Lortok, Cryptokluchen e Democry..

A segunda ferramenta ajuda os usuários a identificar o Ransomware que os atacou e assim direcionando-os para a ferramenta que podem utiliar para recuperação dos dados. O Crypto Sheriff possibilita o envio de 2 arquivos criptografados bem como a mensagem de resgate, possibilitando assim, posteriormente, a identificação do problema.

O Crypto Sheriff não é ainda uma ferramenta completa, mas com o tempo deverá evoluir para se tornar ainda melhor, sendo capaz de identificar mais variantes de Ransomware e ajudar mais usuários.

O site No More Ransomware é o primeiro passo dado para ajudar os internautas a evitarem este problema que cada vez mais afeta usuários e organizações, levando-os a perder dados ou a ter de pagar resgates para terem de volta seus arquivos pessoais.

Mesmo que você não esteja vivendo (felizmente) um problema dessa natureza no seu PC, vale a pena visitar o No More Ransomware para conhecê-lo.

Agradecemos ao Paulo Sollo, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: pplware

Smartphone trará antivírus instalado de fábrica

lg5Para permitir que os usuários se conectem com mais confiança, o LG G5, o novo top de linha da LG, será protegido pelo McAfee Mobile Security, que já virá de fábrica no dispositivo, conforme anunciou a Intel Security.

Com o aplicativo pré-instalado, os usuários do aparelho desfrutarão dos benefícios antivírus e antirroubo e configurações de privacidade avançadas.

Conforme nos tornamos cada vez mais conectados, os aparelhos são a porta de entrada para novos métodos de hacking. O Mobile Threat Report da Intel Security verificou recentemente que três milhões de dispositivos móveis foram afetados por malwares somente através de lojas de aplicativos nos últimos seis meses.

Segurança em primeiro lugar

Além disso, a Intel Security verificou que, no quarto trimestre de 2015, as amostras de malwares móveis aumentaram 24% em comparação com o terceiro trimestre de 2015, reforçando a necessidade de os consumidores terem segurança apropriada para proteger seus dispositivos e suas vidas digitais.

“O McAfee Mobile Security oferece uma proteção robusta para dispositivos móveis, portanto, não é nenhuma surpresa que a fabricante de smartphones LG o escolheu para ajudar a proteger seus smartphones G4 e agora G5”, disse John Giamatteo, Vice-Presidente Corporativo da Intel Security.

Ele continuou: “Tendo em vista que os clientes da LG procuram os dispositivos e os aplicativos móveis para enriquecer suas vidas, ofereceremos a eles soluções inovadoras para proteger os dispositivos, as vidas digitais e permitir que eles se conectem à Internet com mais segurança e confiança”.

Apresentado no Mobile World Congress 2016, o LG G5 tem data programada de lançamento para o próximo mês de abril.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Tecmundo