Mastercard testa o uso de selfies no lugar de senhas

mastercard_selfiesEmpresa testa diferentes formas de reconhecimento para substituir as tradicionais senhas. Programa de testes com selfies tem cerca de 500 usuários.

A administradora de cartões e pagamentos Mastercard está testando um novo aplicativo que fazer um pagamento online com uma selfie em vez de exigir uma senha padrão.

No momento, os clientes da empresa utilizam um sistema chamado SecureCode, que, como indica o nome, exige a digitação de um código no ponto de venda.

Como outros nomes do mercado, a Mastercard está interessada em testar alternativas às senhas padrão, que podem ser roubadas, esquecidas e/ou interceptadas.

Assim, alguns usuários do programa de testes da Mastercard poderá tirar uma foto do próprio rosto com o smartphone, em vez de digitar uma senha padrão.

Feito isso, o aplicativo então compara a imagem, convertida em números “1” e “0” com um código armazenado que representa o rosto da pessoa. Após a confirmação, a compra é então aprovada pela Mastercard.

“Nós queremos identificar as pessoas por quem elas são, não do que lembram. Temos muitas senhas para lembrar e isso cria problemas extras para os usuários e empresas. A nova geração, que adora selfies…penso que vão gostar. Vão adotar a novidade”, afirma o executivo da Mastercard, Ajay Bhalla, em entrevista à CNN.

De acordo com Bhalla, as informações sobre o rosto da pessoa serão transmitidas e armazenadas de forma segura.

No momento, a Mastercard testa a nova tecnologia com cerca de 500 clientes. A empresa planeja ampliar seu programa de testes nos próximos meses.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: IDG Now!

Visa e Mastercard relatam vazamento de dados de clientes

As operadoras de cartões de crédito Visa e Mastercard informaram na sexta-feira (30/03) que dados de seus clientes podem estar em mãos desconhecidas.

A brecha na segurança ocorreu após invasão a dados de uma empresa responsável por processar pagamentos nos Estados Unidos, a Global Payments of Atlanta, informou o jornal britânico Financial Times.

Segundo Brian Krebs, especialista em segurança digital, cerca de 900 contas registraram operações suspeitas desde o ataque. A estimativa é de que cerca de 60.000 cartões estejam comprometidos. O ataque expõe sobretudo cartões de cidadãos americanos, mas não está descartada a possibilidade de vazamento de dados de pessoas que fizeram compras no país.

A Global Payments, considerada a sétima maior processadora de pagamentos eletrônicos nos EUA,  afirmou que a falha de segurança foi detectada no começo de março, quando avisou as autoridades sobre o problema.

“Identificamos acesso ilegal a uma porção de nosso sistema e estamos investigando. Notificamos todas as partes para que providências possam ser tomadas”, afirmou a companhia em nota.  Após o anúncio, as ações da empresa caíram 9,1% chegando ao valor de 47,50 dólares.

As informações adquiridas podem ser utilizadas em fraudes bancárias. Em comunicado à imprensa americana, a Visa afirmou que dados de outras operadoras menores também podem estar comprometidos. As bandeiras American Express e Discover informaram que estão verificando se houve movimentações suspeitas recentemente.

No ano passado, um ataque ao Citigroup, que expôs dados de cartões de centenas de clientes, fez crescer o debate à respeito da segurança digital.

A reportagem não conseguiu, na noite de sexta-feira, contato com as bandeiras no Brasil.

É importante estarmos sempre atentos aos extratos bancários e faturas de cartões de crédito para se precaver de surpresas desagradáveis.

Agradeço ao Davi, nosso amigo e colaborador deste site, pela referência a esta notícia.

Um ótimo Domingo a todos!

Fonte: Info