Metade das empresas ainda usa o Windows XP

Apesar de a Microsoft ter encerrado oficialmente o suporte para o Windows XP em 2014, uma pesquisa lançada pela Spiceworks revelou um número um tanto quanto assustador: 52% das empresas ao redor do globo ainda utilizam o sistema operacional em pelo menos um de seus computadores. O estudo mostrou também que cerca de 9% das companhias também rodam pelo menos uma instância de suas redes com o Windows Vista — cujo suporte está programado para acabar em abril de 2017.

No entanto, de acordo com o estudo, o encerramento próximo do suporte para o Windows Vista deve impulsionar um maior número de corporações a realizar a atualização de seus sistemas. Ao menos é o que acredita Peter Tsai, analista sênior de tecnologia da empresa que desenvolve softwares para o mercado de TI.

Porém, o fato de tantas empresas ainda confiarem no Windows XP não significa que elas estejam mantendo redes sem segurança. O estudo mostra que, ao contabilizar o percentual de cada sistema operacional relativo ao número total de computadores em toda a rede da empresa, o Windows 7 representa 69% em todo o mundo, sendo seguido pelo Windows XP, com 14%. Na sequência, aparecem o Windows 10 com 9%, o Windows 8 com 5%, e, por fim, o Windows Vista com 1%. Em resumo, as versões antigas estão presentes nas máquinas, mas não são maioria.
O cenário deve mudar

De acordo com a companhia, a adoção do Windows 10 deverá crescer até julho de 2017, quando pelo menos um computador estará rodando o sistema em 73% das empresas ao redor do mundo. “Apesar de alguns departamentos de TI não serem capazes de atualizar seus sistemas em tempo devido a falta de tempo ou de orçamento, é crítico que profissionais de TI consigam mais recursos, dados os riscos de segurança ao se rodar sistemas operacionais com vulnerabilidades não corrigidas”, explica Tsai.

Fonte: Tecmundo

Falha zero day é corrigida pela Microsoft

No começo desta semana, os pesquisadores do McAfee descobriram uma falha “Dia Zero” no pacote Office da Microsoft — algo que estava sendo explorado por hackers para a instalação de malwares em computadores de vítimas, por meio de aplicações maliciosas escondidas em arquivos de texto.

Felizmente, na noite de 11/04 a Microsoft conseguiu enviar uma atualização para os aplicativos, corrigindo a brecha no sistema e levando mais segurança aos consumidores. Junto com a atualização, a Microsoft não deu muitos detalhes sobre as correções, mas disse que ela “desabilita certos filtros gráficos” que estavam sendo usados.

Como relatado anteriormente, a falha afetava todas as versões do Microsoft Office, incluindo o Office 2016 (presente no Windows 10).
Em resumo: é melhor permitir aquela atualização que o Windows está querendo fazer no seu pacote Office.

Fonte: Tecmundo

Final do ciclo de vida do Windows Vista

Como aconteceu em outras ocasiões, sempre que uma nova versão do Windows é lançada a Microsoft vai, aos poucos, deixando de trabalhar nas opções mais antigas. Isso aconteceu com o Windows XP há algum tempo, e agora é a vez do Windows Vista seguir pelo mesmo caminho que o seu “parente” mais velho.

Segundo informações divulgadas pela empresa de Bill Gates, o suporte ao Windows Vista será encerrado em 11 de abril. A partir dessa data, o sistema operacional não vai mais receber nenhum tipo de atualização ou suporte da parte da companhia.

“Após 11 de abril, usuários do Windows Vista não vão mais receber novas atualizações de segurança, correções, suporte gratuito ou pago ou atualização de conteúdo técnico online da parte da Microsoft. A empresa ofereceu suporte ao Windows Vista nos últimos 10 anos, mas chegou o nosso momento, junto com nossos parceiros de hardware e software, de investir nossos esforços em tecnologias mais recentes para continuar entregando grandes experiências”, diz uma mensagem publicada no site de suporte da Microsoft.

E agora?

Caso você faça parte do grupo de usuários que ainda conta com o Windows Vista instalado na máquina, é preciso saber que o fim do suporte não significa que o sistema operacional deixará de funcionar. Ele ainda vai se manter ativo pelo tempo que julgar necessário, mas estará ignorado pela Microsoft em menos de um mês.

Se possível, o mais indicado a fazer em casos assim é trocar para uma versão mais recente do sistema operacional, melhorando não apenas a sua experiência como um todo, mas também a segurança por meio das atualizações que as outras edições disponíveis no mercado ainda recebem.

Fonte: Tecmundo

Windows 10 contará com atualizações de menor tamanho

Baseado em um conceito de “evolução constante”, o Windows 10 tem irritado alguns usuários pelo tamanho grande de algumas de suas atualizações. Tentando compensar esse problema, a Microsoft adotou um novo sistema que só vai mudar arquivos que realmente passaram por algum tipo de mudança — até então, ela mandava todos os dados necessários para um update, mesmo aqueles que já estavam em seu computador.

Com a alteração, a companhia promete que as atualizações futuras vão ser de 35% a 65% menores do que as vistas até o momento. Os usuários mais beneficiados serão aqueles que participam do programa Windows Insider, que costumam receber atualizações menores e com mais frequência do que quem optou pelo sistema em sua versão mais estável.

A novidade, chamada de “Plataforma Unificada de Atualização” deve fazer sua estreia junto ao Creators Update, o que significa que os benefícios trazidos por ela não serão tão imediatos. A Microsoft também promete dar aos usuários um maior controle sobre o download e a instalação de novos recursos, bem como sobre a necessidade de seu computador reiniciar para aplicá-las corretamente.

“Sabemos que reiniciações inesperadas são desruptivas se acontecem no tempo errado”, afirma a companhia na justificativa para a mudança. Do ponto de vista do usuário do Windows 10, essas alterações devem resultar em uma experiência de uso mais confortável e controlada — algo com que usuários do PC já se acostumaram a conviver há bastante tempo.

Fonte: Tecmundo

Microsoft pode vir a lançar um Windows 10 mais leve

windows-10-cloudA Microsoft prepara uma versão mais leve do sistema Windows que poderá ser executada em notebooks mais baratos.

Segundo o ZDNet, a nova edição será chamada Windows 10 Cloud e a ideia é que esse software viabilize computadores que possam concorrer com os Chromebooks, que são sucesso de vendas nos Estados Unidos – apesar de serem vendidos somente pela Samsung no Brasil.

O Windows 10 Cloud rodará apenas aplicativos criados para o Windows unificado (Unified Windows Platform), que podem ser baixados da loja oficial da Microsoft. O ZDNet compara o Cloud com as antigas versões Windows RT (criado para processadores ARM) e o Windows 8.1 with Bing.

Haverá também uma versão chamada Windows 10 CloudN, que vem sem o aplicativo Media Player instalado.

A Microsoft não comentou o caso.

Fonte: Exame

Microsoft busca forçar usuários a trocar o Chrome pelo Edge

msn_shop_assistA Microsoft fez um grande esforço para convencer os usuários do Chrome e de outros navegadores a mudarem para o Edge, mas esse browser, até o momento, não tem conseguido cooptar muita gente. Agora, a empresa parece estar com uma nova estratégia para, pelo menos, fazer os usuários do Chrome usarem uma extensão feita pela empresa.

De acordo com relatos de usuários ao Myce e ao Engadget, uma popup estaria aparecendo na Área de trabalho das pessoas assim que elas fixam o Chrome na Barra de tarefas — ação que dá a entender que elas pretendem usar esse browser mais frequentemente. A popup, como você pode conferir, traz a seguinte mensagem:

quick_compare_msn

“Compare preços online rapidamente. Obtenha o Personal Shopping Assistant da Microsoft para Chrome”.

Ao clicar na tal janelinha, que é praticamente um spam, a pessoa é levada para a Chrome Web Store, onde elas podem adicionar a extensão feita pela criadora do Windows. Vale notar que a aplicação ainda está em fase beta, mas consegue comparar preços e permite aos usuários favoritarem produtos em lojas online, bem como receberem aletas de mudanças nos valores.

Já estava lá…

Essa possibilidade de trazer popups diretamente na área de trabalho do Windows 10 já estava presente no sistema há praticamente um ano. Contudo, uma atualização estaria ativando a novidade, que aparentemente foi testada com a tal extensão para Chrome.

Por conta disso, usuários que receberam a notificação estão enchendo a página de download do Personal Shopping Assistant com reviews negativas. Isso na versão em inglês da página, pois em português não há qualquer comentário ou avaliação. Portanto, supomos que usuários brasileiros ainda não receberam a popup em seus sistemas.

Vale lembrar que, em algumas regiões, anúncios também já começaram a aparecer no Menu Iniciar do Windows 10. Fora isso, existe agora a preocupação de a Microsoft abrir para anunciantes essas popups e acabar tornando a experiência com o Windows mais complicada.

Fonte: Tecmundo

Windows 7 com EMET é mais seguro do que o Windows 10

De acordo com a Microsoft, o Windows 10 é o sistema operacional parra PCs mais seguro de todos da empresa. A Microsoft incluiu vários mecanismos de segurança mas, segundo um estudo que agora foi divulgado, o Windows 10 é menos seguro que o Windows 7 quando está em execução a ferramenta Enhanced Mitigation Experience Toolkit (EMET).

O Windows 10 é o mais seguro de sempre! Quem o disse foi a própria Microsoft e até deu 10 razões para que os usuários usem esta nova versão. Mas um estudo agora publicado por pesquisadores da Universidade Carnegie Mellon revela que o Windows 10 é menos seguro que o Windows 7 com EMET.

Como se pode ver pela tabela a seguir, o Windows 7 com EMET garante muita mais proteção que o Windows 10 (sem EMET).emet_tabelaO EMET é uma ferramenta que ajuda a evitar que vulnerabilidades no software sejam exploradas Para isso faz uso de várias tecnologias inovadoras que funcionam como proteções especiais. Essas tecnologias de mitigação de segurança não garantem que as vulnerabilidades não possam ser exploradas. No entanto, dificultam todo o processo.

Esta não é uma situação normal, ainda mais porque o EMET tem como objetivo melhorar a segurança do Windows 10. A Microsoft irá certamente resolver o problema, mas não deixa de transparecer uma imagem menos positiva do Windows 10 que a sua desenvolvedora tanto deseja que seja o mais seguro de todos.

Agradecemos ao Paulo Sollo, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: pplware