Microsoft corrige falha crítica do Windows Defender

A Microsoft liberou no início da terça-feira (9/05) uma correção para o que foi descrito como “o pior código executável remoto do Windows na memória recente”. Afetando o Windows Defender, o problema foi descoberto pelos pesquisadores Tavis Ormandy e Natalie Silvanovich, que participam da iniciativa Google Project Zero.

Segundo Ormandy, o problema afetava instalações-padrão do sistema operacional e tinham o potencial de se replicar automaticamente entre diferentes computadores. Graças a um defeito do software de scan do Defender, o software podia ser enganado para rodar um código remoto presente em mensagens de email ou de comunicadores instantâneos mesmo que elas não tivessem sido abertas.

A Microsoft afirma que uma correção para o bug já está disponível através do Windows Update para as versões 7, 8 RT e 10 do Windows. A empresa afirma que, no caso de seus sistemas mais recentes, o sistema Control Flow Guard ajuda a minimizar a possibilidade de que a brecha seja explorada.

Para garantir a segurança de sua máquina, é recomendado iniciar manualmente a execução do Windows Update e verificar se pelo menos a versão 1.1.13704 ou superior do Windows Defender está instalada. Caso você prefira esperar para que o processo ocorra automaticamente, isso deve acontecer em um prazo máximo de três dias.

Fonte: Tecmundo

Vem aí: Windows 10 S

Muita gente já aguardava uma nova versão do sistema operacional da Microsoft e a companhia revelou o Windows 10 S no último dia 2/05, durante o evento Microsoft EDU, em Nova York. O software é uma versão “simplificada” do Windows 10, com foco na agilidade, visando especialmente o mercado educativo.

Windows 10 S é um concorrente forte para as máquinas que vêm com o Chrome OS, os Chromebooks.

O Windows 10 S — chamado de Windows Cloud durante sua fase de desenvolvimento — é um sucessor natural do Windows RT e vai utilizar somente os apps da loja virtual da companhia, para garantir programas que otimizem o funcionamento do hardware e evitem malwares e ferramentas de terceiros que possam vir a causar lentidão. Caso você queira usar um produto “de fora”, será necessário deslogar e mudar para a edição normal do Windows 10.

Em uma demonstração, o Windows 10 S fez o primeiro login em uma máquina na metade do tempo do Windows 10 — em 15 segundos — e, com um pen drive, a gigante de Redmond exibiu o assistente Intune for Education configurando suas tarefas em apenas 30 segundos — segundo o relato, 600 instalações foram realizadas em PCs dessa forma em um dia.

O Windows 10 S, concorrente de peso para o Chrome OS e os Chromebooks, virá embutido no hardware de diversos parceiros — incluindo Acer, ASUS, Dell, Fujitsu, HP, Samsung e Toshiba — e Office 365 gratuito para estudantes e professores, assinatura anual do Minecraft Education Edition e compatibilidade com dispositivos de realidade aumentada e virtual. As máquinas devem custar a partir de US$ 189 (quase R$ 600 na cotação desta terça-feira, sem taxas) e quem quiser pode fazer o upgrade para o Windows 10 Pro posteriormente.

Fonte: Tecmundo

Metade das empresas ainda usa o Windows XP

Apesar de a Microsoft ter encerrado oficialmente o suporte para o Windows XP em 2014, uma pesquisa lançada pela Spiceworks revelou um número um tanto quanto assustador: 52% das empresas ao redor do globo ainda utilizam o sistema operacional em pelo menos um de seus computadores. O estudo mostrou também que cerca de 9% das companhias também rodam pelo menos uma instância de suas redes com o Windows Vista — cujo suporte está programado para acabar em abril de 2017.

No entanto, de acordo com o estudo, o encerramento próximo do suporte para o Windows Vista deve impulsionar um maior número de corporações a realizar a atualização de seus sistemas. Ao menos é o que acredita Peter Tsai, analista sênior de tecnologia da empresa que desenvolve softwares para o mercado de TI.

Porém, o fato de tantas empresas ainda confiarem no Windows XP não significa que elas estejam mantendo redes sem segurança. O estudo mostra que, ao contabilizar o percentual de cada sistema operacional relativo ao número total de computadores em toda a rede da empresa, o Windows 7 representa 69% em todo o mundo, sendo seguido pelo Windows XP, com 14%. Na sequência, aparecem o Windows 10 com 9%, o Windows 8 com 5%, e, por fim, o Windows Vista com 1%. Em resumo, as versões antigas estão presentes nas máquinas, mas não são maioria.
O cenário deve mudar

De acordo com a companhia, a adoção do Windows 10 deverá crescer até julho de 2017, quando pelo menos um computador estará rodando o sistema em 73% das empresas ao redor do mundo. “Apesar de alguns departamentos de TI não serem capazes de atualizar seus sistemas em tempo devido a falta de tempo ou de orçamento, é crítico que profissionais de TI consigam mais recursos, dados os riscos de segurança ao se rodar sistemas operacionais com vulnerabilidades não corrigidas”, explica Tsai.

Fonte: Tecmundo

Falha zero day é corrigida pela Microsoft

No começo desta semana, os pesquisadores do McAfee descobriram uma falha “Dia Zero” no pacote Office da Microsoft — algo que estava sendo explorado por hackers para a instalação de malwares em computadores de vítimas, por meio de aplicações maliciosas escondidas em arquivos de texto.

Felizmente, na noite de 11/04 a Microsoft conseguiu enviar uma atualização para os aplicativos, corrigindo a brecha no sistema e levando mais segurança aos consumidores. Junto com a atualização, a Microsoft não deu muitos detalhes sobre as correções, mas disse que ela “desabilita certos filtros gráficos” que estavam sendo usados.

Como relatado anteriormente, a falha afetava todas as versões do Microsoft Office, incluindo o Office 2016 (presente no Windows 10).
Em resumo: é melhor permitir aquela atualização que o Windows está querendo fazer no seu pacote Office.

Fonte: Tecmundo

Final do ciclo de vida do Windows Vista

Como aconteceu em outras ocasiões, sempre que uma nova versão do Windows é lançada a Microsoft vai, aos poucos, deixando de trabalhar nas opções mais antigas. Isso aconteceu com o Windows XP há algum tempo, e agora é a vez do Windows Vista seguir pelo mesmo caminho que o seu “parente” mais velho.

Segundo informações divulgadas pela empresa de Bill Gates, o suporte ao Windows Vista será encerrado em 11 de abril. A partir dessa data, o sistema operacional não vai mais receber nenhum tipo de atualização ou suporte da parte da companhia.

“Após 11 de abril, usuários do Windows Vista não vão mais receber novas atualizações de segurança, correções, suporte gratuito ou pago ou atualização de conteúdo técnico online da parte da Microsoft. A empresa ofereceu suporte ao Windows Vista nos últimos 10 anos, mas chegou o nosso momento, junto com nossos parceiros de hardware e software, de investir nossos esforços em tecnologias mais recentes para continuar entregando grandes experiências”, diz uma mensagem publicada no site de suporte da Microsoft.

E agora?

Caso você faça parte do grupo de usuários que ainda conta com o Windows Vista instalado na máquina, é preciso saber que o fim do suporte não significa que o sistema operacional deixará de funcionar. Ele ainda vai se manter ativo pelo tempo que julgar necessário, mas estará ignorado pela Microsoft em menos de um mês.

Se possível, o mais indicado a fazer em casos assim é trocar para uma versão mais recente do sistema operacional, melhorando não apenas a sua experiência como um todo, mas também a segurança por meio das atualizações que as outras edições disponíveis no mercado ainda recebem.

Fonte: Tecmundo

Windows 10 contará com atualizações de menor tamanho

Baseado em um conceito de “evolução constante”, o Windows 10 tem irritado alguns usuários pelo tamanho grande de algumas de suas atualizações. Tentando compensar esse problema, a Microsoft adotou um novo sistema que só vai mudar arquivos que realmente passaram por algum tipo de mudança — até então, ela mandava todos os dados necessários para um update, mesmo aqueles que já estavam em seu computador.

Com a alteração, a companhia promete que as atualizações futuras vão ser de 35% a 65% menores do que as vistas até o momento. Os usuários mais beneficiados serão aqueles que participam do programa Windows Insider, que costumam receber atualizações menores e com mais frequência do que quem optou pelo sistema em sua versão mais estável.

A novidade, chamada de “Plataforma Unificada de Atualização” deve fazer sua estreia junto ao Creators Update, o que significa que os benefícios trazidos por ela não serão tão imediatos. A Microsoft também promete dar aos usuários um maior controle sobre o download e a instalação de novos recursos, bem como sobre a necessidade de seu computador reiniciar para aplicá-las corretamente.

“Sabemos que reiniciações inesperadas são desruptivas se acontecem no tempo errado”, afirma a companhia na justificativa para a mudança. Do ponto de vista do usuário do Windows 10, essas alterações devem resultar em uma experiência de uso mais confortável e controlada — algo com que usuários do PC já se acostumaram a conviver há bastante tempo.

Fonte: Tecmundo

Microsoft pode vir a lançar um Windows 10 mais leve

windows-10-cloudA Microsoft prepara uma versão mais leve do sistema Windows que poderá ser executada em notebooks mais baratos.

Segundo o ZDNet, a nova edição será chamada Windows 10 Cloud e a ideia é que esse software viabilize computadores que possam concorrer com os Chromebooks, que são sucesso de vendas nos Estados Unidos – apesar de serem vendidos somente pela Samsung no Brasil.

O Windows 10 Cloud rodará apenas aplicativos criados para o Windows unificado (Unified Windows Platform), que podem ser baixados da loja oficial da Microsoft. O ZDNet compara o Cloud com as antigas versões Windows RT (criado para processadores ARM) e o Windows 8.1 with Bing.

Haverá também uma versão chamada Windows 10 CloudN, que vem sem o aplicativo Media Player instalado.

A Microsoft não comentou o caso.

Fonte: Exame