Mozilla corrige falha crítica: atualize seu Firefox

A Mozilla liberou nos últimos dias um novo update de segurança para o Firefox. E se você faz uso do navegador, é melhor baixar a atualização agora mesmo, já que foi descoberta uma falha crítica que permite a hackers instalar arquivos maliciosos no computador. O problema é tão grave que a Agência de Cibersegurança e Segurança de Infraestrutura dos Estados Unidos emitiu comunicado alertando todos aqueles que têm o Firefox como navegador padrão.

Esta é a mensagem da Mozilla sobre o bug: “Uma confusão de vulnerabilidade pode acontecer quando se manipula objetos de JavaScript por conta de problemas no Array.pop. Isso pode gerar uma pane explorável. Estamos cientes de ataques direcionados que têm se aproveitado dessa brecha”. Aparentemente, códigos maliciosos podem ser instalados a partir de qualquer página.

A recomendação da atualização para o Firefox 67.0.3 ou Firefox ESR 60.7.1 é imediata. Você ode efetuar o download clicando no ícone de busca no navegador e pesquisar por “update” até encontrar a opção “Restaurar para atualizar o Firefox”.

Fonte: itmidia

Firefox Send: conheça este novo serviço da Mozilla

Agora ficou ainda mais fácil compartilhar arquivos de forma totalmente segura com seus amigos e familiares online — tudo graças a Mozilla, criadora de um dos navegadores mais populares da atualidade, o Firefox. Trata-se do “Firefox Send”, que é descrito pela organização sem fins lucrativos que defende a web gratuita como um serviço de transferência de arquivos gratuito, de código aberto e totalmente criptografado.

O serviço também é totalmente autônomo, ou seja, você pode acessar o Firefox Send através do seu navegador web favorito. Para isso, basta acessar o site send.firefox.com. Você também pode, até mesmo, acessar o Firefox Send a partir de comandos no Terminal (ainda que não oficialmente), enquanto que um aplicativo oficial para Android também está a caminho.

Criptografado e privado por design

A verdadeira atração do Firefox Send é seu modelo de controle e privacidade. A Mozilla não pode ver quais arquivos você compartilha, a fundação também não registra quem você é e não rastreia quem faz o download dos arquivos.

Além disso, você, como remetente, permanece no controle dos arquivos enviados pelo serviço. Por exemplo, depende de você quanto tempo os arquivos compartilhados ficarão disponíveis para download, quem pode acessá-los e quantas vezes cada arquivo pode ser baixado antes de ser automaticamente excluído.

Você pode, até mesmo, adicionar uma senha para segurança adicional caso a promessa de criptografia de ponta a ponta não diminua suas preocupações com a privacidade. O Firefox Send também é fácil de usar. Para baixar um arquivo do serviço, basta clicar no link enviado para você (pessoalmente ou compartilhado online) e pronto! Não é necessário fazer login ou inscrever-se.

Desvantagens

Naturalmente, há uma advertência ou duas relacionadas a um serviço como esse. Os usuários anônimos só podem enviar arquivos com até 1 GB de tamanho. Além disso, os uploads anônimos só podem ser baixados uma vez e expiram automaticamente após um (1) dia (ou menos, se você escolher).

Para liberar o upload de arquivos de até 2,5 GB de tamanho, é necessário fazer login usando (ou inscrevendo-se em) uma conta válida do Firefox. Isso permitirá que os links permaneçam ativos por até sete (7) dias.

Todos os arquivos que você envia através do Firefox Send são criptografados do lado do cliente, com a chave de criptografia compartilhada como parte do hyperlink após o # (ou seja, o servidor nunca, em teoria, o vê).

É possível ter acesso ao código do Firefox Send através do repositório criado pela Mozilla no GitHub.

Fonte: LinuxBuzz

Mozilla corrige bug no Firefox reportado há 8 anos

A desenvolvedora Mozilla corrigiu um bug reportado há oito anos referente ao gerenciamento de memória RAM consumido pelo Firefox no Windows. Um relatório em seu site Bugzilla sugere que a solução encontrada pela empresa foi priorizar algumas abas em relação a outras. “Descarregar automaticamente (descartar/hibernar) guias não usadas para liberar recursos quando ficar sem memória”, aponta a publicação.

Em 2017, a Mozilla fez um dos mais importantes upgrades desde o lançamento do Firefox, que prometia maior velocidade de navegação. A mudança realmente passou a funcionar, mas apenas quando poucas abas são abertas ao mesmo tempo; do contrário, o desempenho do navegador começa a ser visivelmente comprometido.

Quais abas serão priorizadas durante o processo

No relatório também é dito qual a ordem com que o processo do novo algoritmo irá funcionar, ou seja, quais abas deverão ser descartadas ou hibernadas primeiro quando houver maior consumo de RAM, sendo elas:

  • Primeiras guias que não estão reproduzindo áudio e não são fixadas
  • Guias fixas que não reproduzem áudio
  • Guias reproduzindo áudio.

Nota-se que as guias regulares terão maior prioridade em relação às que forem configuradas como fixas na página inicial do Firefox. A correção feita pela Mozilla já pode ser conferida no Firefox Nightly 67, plataforma estável de testes de novos recursos do navegador. Ainda não foi confirmado quando a mudança chegará à versão tradicional do Firefox.

Fonte: Tecmundo

Mozilla irá alertar usuário sobre vazamento de seus dados

Parceria entre Mozilla e base de dados “Have I Been Pwned” leva funcionalidade para todas versões futuras do navegador.

A Mozilla anunciou nos últimos dias que está incorporarando um recurso de segurança baseado na base de dados “Have I Been Pwned” em versões futuras do seu navegador Firefox.

Para quem não sabe, o serviço HIBP, de Troy Hunt, permite que os usuários insiram os seus e-mails para saber se seus dados já foram vazados na Internet.

A parceria entre a Mozilla e o “Have I Been Pwned” permitirá que os usuários do navegador digitem seu endereço de e-mail em uma nova ferramenta chamada Firefox Monitor para saber se já foram vítimas de vazamentos on-line.

A funcionalidade do Firefox informará aos internautas em qual(is) vazamento(s) seus dados foram comprometidos, além de fornecer recomendações de segurança.

“Estou realmente feliz em ver o Firefox se integrando com o HIBP desta maneira, não apenas para chegar ao maior número de pessoas, mas porque tenho muito respeito pelas contribuições deles para a comunidade de tecnologia”, afirmou o criador do “Have I Been Pwned”, Troy Hunt, em um post sobre a parceria.

Disponibilidade

Segundo a Mozilla, a funcionalidade começará a ser disponibilizada por meio de convites a partir de agora. A expectativa da empresa é convidar cerca de 250 mil usuários (principalmente nos EUA) neste primeiro momento.

Opinião do seumicroseguro: já verifiquei a presença desse novo recurso na versão mais recente do Mozilla Firefox 61.

Fonte: IDGNow!

Firefox Quantum – nova versão – protege contra a falha Spectre

A Mozilla disponibilizou hoje para download o Firefox Quantum v57.0.4, versão mais recente do popular navegador com código aberto, para Windows 32 e 64 bits.

O navegador oferece recursos como o suporte para extensões, navegação por guias (tabbed browsing), alerta contra sites maliciosos e suporte para sincronização de informações (histórico de navegação, senhas, favoritos e até mesmo abas abertas).

Ele possui um gerenciador de senhas, bloqueador de janelas pop-up, pesquisa integrada, corretor ortográfico, gerenciador de downloads, leitor de feeds RSS e muitos outros.

De acordo com o changelog publicado aqui, esta versão traz a correção para impedir a exploração da vulnerabilidade Spectre através do navegador.

A versão 32 bits do Firefox Quantum v57.0.4 para Windows está disponível para download aqui. A versão 64 bits para o sistema operacional da Microsoft está disponível para download aqui.

Desenvolvedores de sites e aplicações Web podem obter as versões 32 e 64 bits do Firefox Quantum Developer Edition clicando aqui.

Quem instalou o Serviço de Manutenção junto com uma versão anterior do navegador deverá receber a versão 57.0.4 automaticamente.

Saiba mais sobre o navegador acessando seu site oficial.

IMPORTANTE: O Windows XP e o Windows Vista não são suportados por esta versão. O suporte para ambos foi descontinuado com o lançamento da versão 53.

Agradecemos ao Domingos, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Baboo

Chegou o Firefox 57: promessa de rapidez, leveza e segurança

Já disponível para Macs, PCs Windows e máquinas Linux, nova versão 57 do navegador traz nova engine, melhorias de privacidade e interface renovada.

Cerca de um mês após entrar em modo beta, o novo Firefox Quantum foi lançado oficialmente pela Mozilla nesta terça-feira, 14/11. Chamado oficialmente de versão de 57, o update do navegador também recebeu o nome de Quantum por conta do tamanho das mudanças que traz.

Mais rápido

A principal promessa da Mozilla em relação ao seu novo browser é sobre velocidade. “O Firefox Quantum é cerca de duas vezes mais rápido do que o Firefox era há um ano”, segundo o líder do setor de desenvolvimento de produtos do browser, Nick Nguyen, que cita o benchmark Speedometer 2.0 para comparar o Quantum com o Firefox 52.

Para conseguir isso, o Quantum utiliza uma renovada engine de renderização, em especial uma nova engine de layout de CSS, que foi, juntamente com outros componentes, escrita com Rust, uma linguagem que se original no grupo de pesquisas da própria Mozilla. O resultado, segundo Nguyen, é um ganho significativo de velocidade, uma vez que a engine roda em paralelo em múltiplos núcleos de processamento.

Mais leve

Outro ponto destacado pela Mozilla é o fato de o Quantum ser significativamente mais leve do que o rival e líder do mercado Google Chrome. De acordo com a empresa, o seu novo browser consumiu cerca de 30% menos RAM do que o Chrome em testes de arquitetura com multi-processos.

Mais seguro

Por fim, a Mozilla também aponta que o Quantum traz melhorias de privacidade, incluindo um novo modo de navegação privada com proteção contra rastreamento.

Layout

Além de tudo isso, o Quantum também conta com uma nova interface de usuário, o primeiro grande redesign desde o Firefox 4, lançado em 2011. As mudanças na interface e na experiência de usuário, derivadas de um projeto em andamento chamado “Photon”, também enfatizam melhorias de velocidade.

No geral, a interface de usuário do Quantum correspondem ao minimalismo de outros navegadores, como o Chrome e o Microsoft Edge, ao finalmente combinar as barras de busca e de endereços, e ao reduzir a bagunça no topo da janela.

Evolução

Apesar de a Mozilla já estar trabalhando no Quantum desde 2013, foi apenas há cerca de um ano que o diretor de engenharia da empresa pediu para lançar melhorias importantes para partes principais do navegador em 2017. O plano então – e que continua no lugar – era substituir lentamente os componentes na engine atual, Gecko, com outras criadas pelo projeto “Servo”.

“As próximas versões do Firefox incluirão a Quantum Render, uma novíssima e otimizada pipelina de renderização otimizada para GPU e baseada no projeto WebRender, do Servo, e a Quantum DOM Scheduler, uma nova técnica que garante que as abas em segundo plano não deixem suas abas ativas mais lentas”, segundo explicou em um post separado o engenheiro da Mozilla, Dan Callahan.

Agradecemos ao Domingos, colaborador amigo do seu micro seguro, pela sugestão desta notícia.

Fonte: IDG Now!

Vem aí: Novo Firefox, mais rápido e repaginado

A Mozilla anunciou nesta semana uma nova iniciativa para retomar os seus tempos de glória, o Firefox Quantum. A nova versão do navegador já está em versão de testes e promete ser duas vezes mais rápido do que o Firefox de 2016 além de consumir 30% menos de memória RAM do que o seu principal rival, o Google Chrome.

O grande trunfo do Firefox Quantum é o seu novo motor de renderização. A novidade foi desenvolvida dentro do Project Quantum, anunciado em outubro de 2016 a fim de criar uma nova engine para computadores modernos. Esse esforço rende, agora, o seu primeiro grande fruto, um navegador completamente remodelado.

Para comprovar o bom trabalho em torno da ferramenta, a Mozilla fez uma postagem detalhada sobre o desempenho do Firefox Quantum Beta em comparação com os principais navegadores do gênero. E ele se saiu melhor do que os rivais na questão do consumo de RAM, por exemplo, no Windows e no Ubuntu, perdendo apenas para o Chrome no macOS. Nos testes de velocidade, o Firefox Quantum fez uma média de 66 pontos contra 51 do Chrome 61 e 32 do Firefox 52.

Por que mais rápido?

“Historicamente, o Firefox roda basicamente em um único núcleo do processador, mas o Firefox Quantum tira vantagem de forma muito mais efetiva das CPUs de múltiplos núcleos dos dispositivos mobile e desktops de hoje em dia”, informa a Mozilla. “Essa utilização aprimorada do hardware do seu computador faz o Firefox Quantum significativamente mais rápido.”

Em paralelo a isso, a Mozilla adicionou ao Firefox um esquema de prioridades que privilegia sempre a aba ativa no momento, carregando nela conteúdo antes daquelas que são abertas em segundo plano. Tudo isso graças à linguagem Rust, utilizada pela desenvolvedora na criação do seu novo navegador, e a arquitetura de múltiplos processos empregada no programa.

Para complementar, a cereja do bolo para o Firefox Quantum é a correção (até agora) de 468 bugs identificados em versões anteriores do navegador.

De cara nova

Se você sentia falta de grandes mudanças visuais no Firefox, esse problema vai acabar. Isso porque a Mozilla apresenta no Firefox Quantum uma nova interface chamada de Photon. Mais moderna e minimalista, ela traz novos detalhes gráficos à superfície do navegador, botões com design mais sutil e um contraste de cor muito mais vivo do que antes.Além de abas retangulares e animações mais suaves, o Quantum também conta com um menu chamado Biblioteca, onde você verá todos os conteúdos relacionados à navegação — links do Pocket, favoritos, histórico, downloads, abas e capturas de tela.

Beta disponível

A versão Beta do Firefox Quantum já está disponível para desktop, Android e iOS. A versão final do navegador será lançada em 14 de novembro de 2017.

Fonte: Tecmundo