Conta do seu WhatsApp foi hackeada? Saiba o que fazer

Ainda que o WhatsApp conte com encriptação de dados de ponta a ponta para garantir a privacidade dos usuários e verificação em duas etapas, não são raros os casos de usuários que acusam ter suas contas invadidas. Afinal, é preciso apenas um número associado a uma conta para um hacker realizar um golpe, seja com o compartilhamento de código de verificação, simulação de um contato, link para software malicioso, tentativas de phishing, entre outras formas. E o que fazer quando isso acontece?

Bem, preocupada com isso, a agência governamental de regulamentação das telecomunicações nos Emirados Árabes, a Telecommunications Regulatory Authority (TRA) publicou algumas dicas que podem ser valiosas:

  • Remova o WhatsApp e reinstale em diferentes horas do dia: deletar e reinstalar o app do WhatsApp e dar a reentrada nas credenciais de sua conta com um novo código de verificação automaticamente te desloga de outras sessões e aparelhos. Se você teve seu perfil modificado, então fazer isso em horários distintos aumenta a chance de você afastar o perigo e evitar que ele volte
  • Avise seus contatos mais próximos e alerte-os sobre mensagens estranhas: é importante avisar a família e os amigos assim que souber que sua conta foi invadida. É preciso alertá-los para enviar dados sensíveis ou outras informações confidenciais, especialmente se as mensagens destoarem muito das que foram enviadas anteriormente
  • Mande um email para o suporte do WhatsApp para desativar sua conta: se você quer deixar de usar o perfil sequestrado em definitivo, é possível pedir para a própria empresa deletá-lo de vez. Para isso é só encaminhar a frase “Lost/Stolen: Please deativate my account” (“Perdido/Roubado: Por favor, desative minha conta”) no assunto para support@whatsapp.com.
  • Reinstale o app diariamente: essa aqui é uma medida mais extrema, mas é a melhor maneira de evitar sessões não autorizadas com o seu perfil. Ao deletar e reiniciar o aplicativo em seu dispositivo — e ativar a verificação em duas etapas todas as vezes — você vai ficar praticamente livre de invasores. Mas aqui vai de cada um vencer a preguiça para fazer isso em prol da segurança.

Fonte: Tecmundo

O que fazer quando seu celular insiste em não funcionar

Imagine que você está na faculdade ou no trabalho e precisa fazer uma anotação ou simplesmente responder uma mensagem importante no celular. Bem neste momento, o aparelho resolve não funcionar; a tela não acende de jeito nenhum ou, se funciona, fica travada e não responde aos toques. Já aconteceu isso com você? Confira algumas dicas que podem te ajudar nestes momentos:

Não se desespere

Antes de tomar qualquer atitude, vamos ao básico: se a tela do celular não estiver acendendo, pegue o carregador mais próximo, conecte-o ao aparelho e aguarde um pouco para verificar se o celular está sendo carregado. Por mais boba que possa parecer, essa é uma dica que evita que você realize processos mais complexos caso o problema seja simplesmente uma bateria que não está segurando muito bem a carga.

Meu celular travou, e agora?

Os smartphones são dispositivos mais simples do que um computador, o que faz com que seja mais fácil de fazê-los voltar a funcionar no caso de um travamento inesperado. Antes de darmos as dicas, é importante ressaltar que não é garantido que essas técnicas irão resolver o problema aparelho – principalmente se ele tiver caído do bolso da mochila algumas vezes ou se tiver caído na piscina.

Com isso em mente, vamos lá. Caso o celular tenha travado e não volte de jeito nenhum, espere um pouco; 5 minutos devem bastar para você verificar se ele irá voltar a funcionar por conta própria.

Se mesmo assim ele continuar sem responder aos seus comandos, talvez seja o momento de forçar uma reinicialização utilizando os botões físicos do celular. No caso dos smartphones da Samsung, basta apertar e segurar o botão ligar/desligar e o botão de abaixar o volume. Se você utiliza algum aparelho da Motorola, segurar o botão de bloqueio deve fazer o smartphone ser reiniciado.

E se o celular continuar sem funcionar?

Você esperou e esperou, e nada do celular voltar. Depois, tentou reiniciar, e nem assim deu certo. Talvez seja o momento de forçar uma restauração de fábrica, para que o smartphone retorne às configurações que tinha quando foi comprado por você.

Com o celular desligado, pressione e segure o botão de abaixar o volume. Depois, aperte e segure o botão de ligar/desligar até que o robô do Android seja mostrado na tela. Então, é só usar os botões de volume para selecionar as opções na tela, entrando no modo de recuperação e, em seguida, na restauração de fábrica. Após o processo ser finalizado, o celular voltará às configurações iniciais.

Se nada disso resolver seu problema, talvez seja a hora de fazer uma visita a alguma assistência técnica de confiança.

Fonte: Tecmundo

Caiu no golpe do WhatsApp? Saiba o que fazer

whatsapp_issueO WhatsApp é um dos aplicativos mais visados por criminosos para atingir usuários e capturar suas informações pessoais. Listamos recentemente os 5 principais golpes que atingem a plataforma atualmente, que incluem desde cupons de descontos à isca que oferece uma versão especial do aplicativo.

Para quem ainda não foi vítima, é importante suspeitar de mensagens que afirmam que o usuário foi sorteado para ganhar algum prêmio, como carros, dinheiro e até vouchers de lojas como McDonald’s e Zara. Se o internauta não se lembra de ter se cadastrado em algum concurso que iria informar os resultados por SMS, é melhor desconfiar.

O especialista em segurança digital da ESET na América Latina, Lucas Paus, diz que são necessárias três ações iniciais depois de ter sido vítima dessa e de outras artimanhas como o recebimento de mensagens de promoções e prêmios.

Alertar contatos

A primeira medida a ser tomada é alertar os contatos com os quais você compartilhou a mensagem na esperança de concluir a instalação de algum programa oferecido ou para completar o cadastro de alguma premiação. Informe-os que se trata de um golpe.

Cancelar serviços

A segunda etapa consiste em ligar para a operadora de telefonia e solicitar informações sobre os serviços em que o número do telefone está cadastrado. A empresa tem a obrigação de revelar essa informação para o dono da linha. Se estiver cadastrado em listas de spam e recebendo muitas mensagens ou ligações de um número específico, as operadoras também podem ajudá-lo a resolver este problema.

Atualizar proteção

O último conselho do especialista é investir na instalação de aplicativos de segurança para dispositivos móveis. Os programas são capazes de identificar links suspeitos e bloquear a abertura de páginas maliciosas no smartphone. É importante mantê-los atualizados para que possam desempenhar melhor suas funções.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Olhar Digital

Quarentena, excluir ou reparar, o que fazer com malwares?

Malware_virusObviamente é fato que estamos vulneráveis na internet e até em dispositivos externos, como através de um pendrive. Diariamente temos a chance de infectarmos nossos PCs com algum software malicioso, onde precisamos tomar diversos cuidados para tentar diminuir essas chances de infecção virtual.

Essa dúvida, com certeza, você já deve ter enfrentado inúmeras vezes. Afinal, esse malware eu devo colocar na quarentena, repará-lo ou apenas o excluo? Se eu excluir, será que não vou colocar em risco todo o sistema operacional? Como eu devo proceder?

Pois é meu caro, infelizmente você sempre ficará com essa dúvida, mas podemos tentar diminuí-las. Portanto, precisamos entender o que cada opção nos apresenta:

Quarentena

A quarentena serve para preservar o sistema de possíveis ameaças. Nessa opção, o malware ficará isolado em seu computador, e sequer vai conseguir sair dali, a não ser que você remova-o da quarentena. De fato, essa é a decisão mais segura a se tomar na maioria das vezes, pois frequentemente desconhecemos se esse vírus poderá acarretar sérios problemas ao sistema. Além de deixar o vírus isolado, é enviado um log para o desenvolvedor do antivírus, e espera-se que seja solucionado o problema para que não acarrete em perda/dano do arquivo, onde o referido malware se alojou.

A quarentena torna-se uma zona de isolamento, onde recebe pastas, aplicativos e arquivos que são identificados como suspeitos, logo após o escaneamento de seu antivírus. Portanto sendo a opção mais segura para você não ficar sem o computador. Se o arquivo infectado estiver no diretório do Windows, WindowsSystem32, é altamente recomendado movê-lo para a quarentena.

Excluir

A exclusão acarreta em se livrar do arquivo – o vírus – ou seja, é apagado definitivamente do sistema. Em contrapartida, o antivírus pode acusar que o arquivo pode afetar o funcionamento do sistema, por isso o PC pode não funcionar da melhor forma.

Nesse método você deve ter o máximo de cuidado, e recomendamos que escolha, apenas, quando tiver a certeza absoluta que o vírus não lhe causará perdas no sistema, pois caso exclua algum arquivo importante como o Win32 você corre sério risco de causar Crash, e você realmente poderá ficar sem sistema quando reiniciar o computador.

Reparar

Na reparação do vírus, o antivírus limpará o arquivo infectado por malware sem causar problemas em seu sistema operacional. Caso ele esteja alojado em uma DLL importante, apenas o eliminará sem causar problemas nenhum no funcionamento.

Essa é a melhor solução para um problema com vírus, pois haverá a desinfecção do mesmo. Entretanto, na maioria das vezes o antivírus não irá conseguir a reparação, e caso isso aconteça com você, siga as outras duas opções elencadas.

Leia também: Saiba se o seu computador está sendo monitorado

Ignorar

Se você tem certeza absoluta que o arquivo não é um software malicioso, ignore a recomendação do antivírus. Apenas necessita ter um pouco de conhecimento para saber discernir se é um malware ou não. Saiba os diferentes tipos de malwares. Alguns antivírus são ineficazes, e pode ocorrer a identificação de falso positivos, situação que você deve ter conhecimento, para que incorra na remoção indevida de arquivos importantes.

Enquanto o novo post sobre os melhores antivírus de 2015 não sai, que tal conferir a lista dos melhores antivírus de 2014?

Como se prevenir dos malwares

Existem inúmeras formas de você se proteger. Ressaltamos que é muito mais importante do que um antivírus, é a forma que utilizamos a internet e o computador. Por isso, nós incentivamos o uso consciente da navegação e dos recursos, bem como do seu equipamento. Assim, saiba algumas dicas para proteger seu computador de malwares:

  1. Cuide as extensões (três últimas letras, após o ponto) dos arquivos, especialmente os .EXE;
  2. Desconfie de e-mails de cobranças que não fazem sentido;
  3. Não abra e-mails de desconhecidos e as vezes até de conhecidos/amigos;
  4. Atualize o antivírus periodicamente;
  5. Suspeite de Downloads;
  6. Cuide os dispositivos externos como pendrives, por exemplo;
  7. Não entre em sites que você não conhece;
  8. Cuidado ao navegar na internet;
  9. Faça backup de seus principais arquivos periodicamente;
  10. Observe o desempenho de seu PC, se ele estiver lento, provavelmente há vírus.

Caso, mesmo com todas as dicas e seu PC ainda esteja infectado, chame um profissional para resolver a situação.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa matéria.

Fonte: Oficina da Net

Sua senha foi roubada? Saiba o que fazer

PasswordTodos sabem do ataque massivo sofrido pela loja norte-americana Target ocorrido nos últimos meses, do qual 40 milhões de números de cartões de crédito e débito foram roubados. Começou pelo simples roubo dos dados de login do técnico de reparos do ar condicionado. É o exemplo do antigo ditado: “uma corrente é tão forte quanto o seu elo mais fraco”.

Ainda que os consumidores não podem controlar o fato de um terceirizado contratado ter acesso externo à rede de uma loja importante, há algumas coisas que se pode fazer para se proteger.

Como posso ser notificado se o meu email ou senha forem hackeados?

A cada dois segundos, alguém nos Estados Unidos se torna uma vítima de fraude de identidade. Com 13,1 milhões de vítimas em 2013 e quando várias empresas (Facebook, Target, Neiman Marcus e Adobe) sendo alvo de hackers, há uma boa chance de que você esteja entre elas. Você pode utilizar este serviço para ser notificado se o seu endereço de email tiver sido incluído em um grande vazamento de dados. Este serviço permite que você seja notificado se o seu endereço de email foi incluído em qualquer dos bancos de dados monitorados.

Qual é o seu ponto fraco?

Você não vai parar de fazer compras online, mas há algumas coisas que você pode fazer (além de pagar apenas em dinheiro) caso você tenha sido vítima de um hacker.

1. Altere suas senhas: Nós falamos sobre isto várias vezes, mas aqui vai um lembrete: utilize senhas longas e fortes. Combine letras maiúsculas e minúsculas com números e símbolos para criar uma senha mais segura. Por exemplo: eNcrYP0123tion$ é mais segura do que Encryption123. Se você não conseguir lembrar das senhas de todas as suas contas, utilize um bom gerenciador de senhas.

2. Monitore suas contas bancárias: Vários de nós utilizamos via débito automático e pode acontecer que passem várias semanas sem que demos uma olhada em nossa conta bancária, mas é hora de mudar este hábito. Usuários de cartão de débito geralmente precisam informar uma fraude em no máximo 24 horas ou podem ser obrigados a pagar a conta, por isso, verifique suas contas para ver se há alguma atividade suspeita com mais frequência. Alguns bancos e operadoras de cartão entram em contato telefônico caso haja uma operação significativa ou que tenha sido feita de um lugar pouco usual. É um bom serviço. Se você descobrir algo estranho, informe seu banco ou operadora e cancele o seu cartão de crédito para reduzir o risco de perdas financeiras e de roubo de identidade.

3. Monitore a sua fatura do cartão de crédito: Algumas operadoras oferecem aos seus clientes o monitoramento gratuito do uso do seu cartão de crédito, bem como proteção contra roubo de identidade. Algumas operações são informadas como, por exemplo, o acréscimo de outro cartão ou um empréstimo pessoal.

Agradeço ao Davi, amigo e colaborador do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Avast blog

Quando o PC da empresa está com vírus

Ao chegar para trabalhar, um funcionário liga o computador e se prepara para navegar pela internet. Mas antes de conseguir abrir o e-mail, surge uma mensagem do antivírus na tela denunciando uma ameaça que pode ter infectado o computador ou a rede usada pela empresa.

Como o funcionário deve proceder em um caso desses? O primeiro passo, claro, é entrar em contato com o setor de TI para avisar sobre a ameaça que pode prejudicar todos os computadores da empresa.

Mas até que tudo seja resolvido pode levar um tempo e os funcionários têm tarefas a cumprir. Especialistas em segurança afirmam que é possível usar o computador mesmo com a ameaça de vírus, embora seja preciso tomar uma série de cuidados e medidas para garantir que nada seja prejudicado.

Enquanto em um computador doméstico a solução é um pouco mais simples – no pior dos casos o usuário pode simplesmente formatar a máquina para eliminar a ameaça, apesar de essa não ser a única forma de resolver – em companhias a situação é um pouco diferente. São muitos computadores ligados em rede e com arquivos importantes armazenados dentro deles. Assim, a solução “formatar” não é muito indicada.

“Geralmente os casos nessas áreas são um pouco mais ‘cabeludos’, mais complexos. São vários computadores ligados em rede. Um malware infecta uma máquina, se dissemina pela rede e ataca outros”, explica Fabio Assolini, analista de malware da Kaspersky Lab no Brasil.

A primeira recomendação é evitar entrar em qualquer site que exija suas credenciais. Seja em banco, serviços de e-commerce, e-mail pessoal ou corporativo ou redes sociais, a senha pode ser roubada. Mas não é só isso.

“Enquanto o caso está sendo analisado, existem alguns processos que podem ajudar: atualizar antivírus, sistema operacional, navegador e plugins, por exemplo”, explica o especialista. Também é importante entender como o computador foi infectado para evitar novas ameaças no futuro. “Tem que se valer da memória para saber como isso chegou ao computador. Pode ser um pen drive, a navegação, a rede ou algum software”, diz. “Muitas das infecções acontecem principalmente por causa do comportamento do usuário”, finaliza.

Assim, até que o profissional responsável pelo setor de TI confirme a segurança nas operações, é bom tomar bastante cuidado na navegação na web após suspeitas de vírus.

Agradeço ao Davi e ao Lucas, amigos e colaboradores do Seu micro seguro, pela referência a esta notícia.

Fonte: Olhar Digital