Opera tem servidores invadidos: 2 milhões de usuários são afetados

OperaCerca de 1,7 milhão de usuários do Opera podem ter tido informações pessoais roubadas, informou a desenvolvedora do browser na última sexta-feira (26). Segundo a empresa, um ataque hacker foi realizado na semana passada, e “alguns dados, incluindo senhas e informações de conta de alguns clientes do Sync, podem ter sido comprometidos”.

Os serviços de sincronização em nuvem contam com um sistema de criptografia, o que garante uma camada a mais de segurança aos dados dos internautas. Ainda assim, e apesar de ter bloqueado a ação criminosa rapidamente, a companhia optou por redefinir as senhas dos usuários que foram vítimas dos cibercriminosos.

Todos os clientes da Opera que possuem cadastro nos serviços Sync receberam um email para a redefinição das credenciais de acesso às contas, segundo publicou também a desenvolvedora. Se você é um dos 350 milhões de usuários ativos do Opera, possui serviços vinculados ao navegador e não recebeu mensagem eletrônica alguma, não se preocupe; significa que sua conta não foi afetada e que você não terá de criar uma nova password.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Tecmundo

Opera oferece VPN gratuito e ilimitado para dispositivos Android

Opera-LogoA Opera está ampliando o alcance do seu aplicativo móvel gratuito de VPN. A empresa anunciou recentemente que o Opera VPN agora está disponível para aparelhos Android pela Google Play Store. O novo app é parecido com a versão para iOS lançada em maio.

Por meio do serviço, a Opera fornece cinco localizações de servidores virtuais para você escolher, incluindo EUA, Canadá, Alemanha, Singapura e Holanda. Essas localizações de servidores podem te ajudar a ficar seguro enquanto usa pontos públicos de Wi-Fi ou tenta burlar restrições de regiões – mas não conte com isso para o Netflix.

Para esse novo app Android, a Opera adicionou um novo recurso que não faz parte da versão para iOS, chamado de “Ferramenta de teste de segurança do Wi-Fi”.

Como o nome deixa claro, essa ferramenta testa a rede Wi-Fi a qual você está conectado para ver o quanto ela é segura.

Além disso, a versão para Android possui um recurso chamado Guardian que bloqueia rastreadores de publicidade para você.

Fonte: IDGNow!

Qihoo compra navegador Opera

opera_qihooA Opera Software aprovou a venda do navegador Opera para desktops e dispositivos móveis para o grupo chinês Golden Brick. Este grupo inclui as empresas Kunlun Tech e Qihoo, conhecida pelo seu antivírus.

Por US$ 600 milhões, o grupo chinês Golden Brick comprou, além do navegador Opera para desktops e dispositivos móveis, a divisão de apps de privacidade e performance.

Meses atrás, o grupo chinês ofereceu US$ 1.24 bilhão pela Opera Software como um todo. Embora a aquisição tenha sido aprovada por mais de 90% dos acionistas da empresa, a aquisição foi barrada por órgãos reguladores*.

A Opera Software continuará com suas operações nas áreas de propaganda, marketing, games e TV.

O novo acordo já foi aprovado pela Opera Software e se a aquisições e confirmar, a empresa terá 18 meses para registrar um novo nome. Isto ocorre porque a marca Opera também foi comprada pelos chineses.

Agradecemos ao Igor, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Baboo

VPN gratuito e ilimitado: sua privacidade é a moeda de troca

vpn_free_operaA Opera lançou recentemente um aplicativo de VPN para iPhones e iPads. A empresa promete melhorar a privacidade, bloquear anúncios e permitir o acesso a conteúdos restritos por região: basta ativar o Opera VPN e escolher um IP dos Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, Países Baixos ou Singapura. O melhor é que o aplicativo é totalmente gratuito: não possui mensalidades e nem limite de tráfego.

Mas espere: manter um serviço de VPN custa dinheiro. Como a Opera vai pagar os servidores e o tráfego consumido pelos usuários? A resposta está nos termos de serviço do Opera VPN, que revela que os dados gerados pelos usuários, incluindo os endereços das páginas acessadas por meio do VPN, poderão ser coletados pela empresa e divulgados a terceiros.

Essa é uma característica incomum nos serviços pagos de VPN, normalmente criados para proteger a conexão dos usuários e impedir a coleta de dados por pessoas não autorizadas. Como o túnel entre o seu dispositivo e o servidor de destino é criptografado, um VPN impede que suas informações sejam interceptadas, o que pode ser útil ao acessar uma rede Wi-Fi pública, por exemplo.

A maioria dos serviços limita explicitamente os dados que coletam. O Private Internet Access, por exemplo, diz que só obtém as informações essenciais para o funcionamento: o endereço de email, os dados de pagamento e, se o cliente utilizar o painel opcional, um cookie temporário. Alguns vão mais além: o AnonVPN funciona por meio de cartões pré-pagos, que não são vendidos diretamente pela empresa, assim, fica muito difícil rastrear quem está utilizando o serviço.

Modelos de negócios

Outros serviços de VPN gratuitos têm modelos de negócio diferentes. O famoso Hola, que funciona com uma simples extensão no Chrome, opera no modelo colaborativo e vende a conexão dos usuários para fornecer o serviço: quem acessa sites por meio do VPN e não paga a mensalidade do Hola Plus tem sua conexão utilizada por outro cliente. Dessa forma, seu IP é “emprestado” para desbloquear páginas restritas a brasileiros ou para fins menos nobres, como atacar servidores e acessar conteúdos ilegais.

No blog da SurfEasy, empresa da Opera que fornece o serviço de VPN, o presidente Chris Houston explica que os dados são coletados anonimamente e que os servidores do Opera VPN são diferentes dos utilizados para fornecer o VPN integrado ao Opera para desktops e o serviço pago da própria SurfEasy, que não coletam nenhum dado de navegação. O Opera VPN também planeja mostrar anúncios no futuro, o que é irônico para um aplicativo no qual uma das funções é justamente bloquear propagandas.

Claro que a empresa sabe que o Opera VPN não é para todo mundo, por isso, continuará oferecendo serviços pagos (ou limitados ao navegador) que não coletam dados. De qualquer forma, este é mais um exemplo da máxima de que, no produto gratuito, o produto é você.

Fonte: Tecnoblog

Navegador Opera, agora com VPN

opera_vpnEscapar de firewalls e mascarar seu endereço IP são tarefas que geralmente são realizadas pagando por um software ou usando plugins para navegação. A Opera agora tem uma solução gratuita de VPN integrada ao seu navegador para desktop.

O novo recurso está disponível na última versão para desenvolvedores do navegador Opera para Windows e para OS X. Para ativar, é necessário ir ao menu Configuração, no Windows, ou Preferências, no Mac, e ativar o recurso de VPN na seção Privacidade e Segurança.

Bingo, você já estará navegando em uma VPN e com seu endereço IP mascarado para escapar de firewalls, fazendo com que você veja conteúdos antes indisponíveis para sua localidade diretamente de seu computador. Sem contar as outras vantagens desse tipo de conexão, como criptografia de dados, o que é bem útil para navegação em redes desconhecidas.

Você pode usar dados de forma ilimitada nesse recurso (geralmente, serviços de VPN gratuitos contam com limites), embora só esteja disponível três localidades virtuais: Estados Unidos, Canadá e Alemanha. A Opera diz que quando o recurso for implementado na versão estável do navegador, o usuário poderá escolher mais localidades.

O download da versão do Opera para desenvolvedores está disponível gratuitamente para Windows e Mac. No blog da companhia, é possível achar versões para Linux.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Gizmodo

Navegador Opera pode ser comprado pela Qihoo

opera_qihooTalvez muitos não se lembrem, mas o navegador Opera ainda está na ativa e funciona como uma boa opção para muitos usuários. E não é apenas dessa parcela dos que utilizam a rede de informações mundiais que ele chama a atenção, pois recentemente foi anunciado que um grupo de empresas chinesas fez uma oferta de US$ 1,2 bilhão para comprar toda a companhia.

De acordo com informações que estão circulando pela rede, o valor em questão corresponde a aproximadamente 56% do valor da companhia, e os responsáveis pelo Opera disseram aos acionistas que o montante em questão é aceitável para a negociação. Entre os que estariam interessados no negócio estão a Kunlun Tech e a Qihoo 360, além de um grupo de investimento.

“A transação daria ao Opera acesso à extensiva base de usuários de internet da Kunlun e da Qihoo na China, bem como o suporte financeiro que seria necessário para que a empresa atingisse o seu potencial. Ao mesmo tempo, a Kunlun e a Qihoo poderiam fazer uma venda cruzada de seus produtos e serviços aos usuários do Opera, bem como se beneficiar das propagandas na plataforma mobile do navegador”, explicou a empresa.

“Há uma forte estratégia e lógica industrial na compra do Opera pelo consórcio. Acreditamos que o consórcio, com a sua larga experiência e forte posição nos mercados emergentes, será um forte proprietário do Opera”, disse Lars Boilesen, diretor-executivo do Opera.

Resumo da ópera

Fundado em 1995, o navegador Opera era originalmente focado no mercado de browsers, mas encontrou dificuldades em superar concorrentes como o Netscape e o próprio Internet Explorer. Posteriormente, o lançamento do Firefox e do Google Chrome dificultaram um pouco mais a situação do software.

Na tentativa de se reerguer, a companhia mudou um pouco o seu foco e passou a atuar no mercado emergente para celulares, o que prolongou o tempo de vida da empresa até chegarmos ao ano de 2013, quando foi lançado o Opera Mediaworks, voltado para a divulgação de produtos em dispositivos móveis e que também trazia vídeos como parte do pacote.

Agora, resta saber se a possível compra por parte do consórcio chinês vai ajudar a melhorar a situação da empresa – que aparentemente não era das piores, já que no quarto trimestre de 2015 a empresa divulgou uma receita de US$ 193,5 milhões, um aumento de 25% numa comparação com o mesmo período do ano anterior.

Agradecemos ao Roberto, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Tecmundo

AVG faz parceria com o Opera

Opera_and_AVGA empresa fornecedora de soluções de segurança AVG firmou parceria nos últimos dias com a empresa desenvolvedora do navegador Opera.

Segue logo abaixo o informe da AVG com o anúncio oficial da parceria:

Na AVG procuramos continuamente novas parcerias para trazer aos nossos clientes produtos e serviços que melhorem a sua experiência de Internet. Alguns usuários podem ter notado que fizemos uma parceria com o Opera para que possamos te fornecer uma experiência de pesquisa segura em um dos principais navegadores do mercado.

Temos fornecido ao navegador Opera alguns aplicativos e serviços para ajudar você a ficar seguro e para ajudá-lo a proteger a sua identidade online. O pacote inclui dois dos produtos de segurança da AVG, o AVG PrivacyFix e o AVG Secure Search, ambos são projetados para mantê-lo seguro online.

O AVG PrivacyFix verifica a exposição da sua privacidade no Facebook, Google, Twitter e LinkedIn, e com um clique, te leva para as configurações onde você pode corrigi-la. Ele permite que você bloqueie mais de 1.200 rastreadores de seguir seus movimentos online, e permite que você veja quais sites reservam o direito de vender os seus dados pessoais e facilmente pede para eles apagarem o que eles têm sobre você. Você também será alertado sobre os riscos de privacidade ao visitar sites e será informado quando as políticas mudarem.

Com o AVG Secure Search definido como seu provedor de pesquisa padrão você estará protegido ao visitar sites com malware, fraudulentos e com golpes. Dessa forma, você pode acrescentar a paz de espírito durante a sua navegação. Os resultados da sua pesquisa se beneficiarão com a melhorada tecnologia do AVG LinkScanner®, uma das principais características do portfólio de segurança da AVG.

Se você decidir instalar o navegador Opera irá se beneficiar de algumas das principais características, tais como:

* Acelerar redes lentas – O Opera Turbo comprime as páginas para uma navegação mais rápida para ajudá-lo a permanecer online, mesmo quando a sua conexão fica mais lenta.

* O recurso Discover te fornece notícias e entretenimento de alta qualidade de todo o mundo com artigos categorizados a partir de uma variedade de fontes para a sua região e no seu idioma.

* O recurso Stash captura qualquer página com um simples clique e organiza suas páginas em uma lista simples e sofisticada. Analise o seu Stash em uma visualização de página redimensionável ou procure o que você salvou, por palavras-chave.

Agradeço ao Davi, amigo e colaborador do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: AVG blog