Cuidado com páginas falsas de ofertas de emprego

Atenção para um novo golpe de phishing na praça: criminosos estão simulando páginas de grandes empresas com falsas oportunidades de emprego para roubar os dados dos usuários. Mais de 300 mil pessoas já curtiram ou estão seguindo as imitações, que são muito fiéis à identidade visual de grupos como Americanas, Coca-Cola, Carrefour e firmas de recursos humanos especializadas em reposição no mercado de trabalho.

O laboratório de segurança digital DRNDR Lab identificou somente no último mês mais de 30 investidas mal-intencionadas que exploram as esperanças de quem busca uma oportunidade neste final de ano. “Cibercriminosos estão se aproveitando da alta taxa de desemprego no País para chamar a atenção para falsas promessas de vagas. Na intenção de se realocar no mercado de trabalho, muitas pessoas estão se cadastrando em anúncios sem a certeza sobre sua veracidade”, comenta o diretor Emílio Simoni.

Ao clicar nas armadilhas, que normalmente oferece vagas atrativas com necessidade de urgência, as vítimas são levadas a um formulário com solicitação de nome completo, data de nascimento e posição profissional que gostaria de ocupar.

Somente isso já seria o suficiente para causar muita dor de cabeça por aí, mas os bandidos vão além. Muitas vezes, as pessoas também são levadas a ceder o número do telefone, cadastrar-se em serviços de SMS pago, baixar apps que podem abrir vulnerabilidades no aparelho e compartilhar os anúncios via WhatsApp.

Saiba como evitar

Para não ser uma das vítimas, sempre procure mais informações antes de sair preenchendo formulários e enviado para qualquer um. O próprio DFNDR Lab oferece uma ferramenta de verificação de endereços em seu site.

Desconfie de oportunidades mirabolantes, não envie dados bancários, observe bem para onde o link redireciona seu conteúdo, não baixe aplicativos de origem duvidosa e evite compartilhar coisas você não tem certeza sobre sua veracidade. Além disso, quem quiser pode também procurar por soluções de segurança anti-phishing disponíveis em lojas de apps.

Fonte: Tecmundo

Versão mais recente do Chrome promete torná-lo mais rápido

ChromeDepois de meses — se não anos — de reclamações sobre lentidão e falta de estabilidade, o Google finalmente anunciou uma série de melhorias para o Chrome que podem melhorar a vida dos usuários. A companhia diz que o navegador oferecerá “uma internet mais rápida e eficiente“. Bem, o Google certamente não tinha como torná-la mais lenta e menos eficiente.

A mais nova versão do Chrome inclui algumas atualizações discretas que vão diminuir o uso do RAM e melhorar a vida útil da bateria. O Google explicou a novidade em mais detalhes no blog do navegador:

“O Chrome pode detectar quando uma página não está em funcionamento com alguma outra tarefa, e usa este tempo livre para limpar memórias velhas e não utilizadas. Na prática, descobrimos que isso reduziu o uso de memória pelo website na média de 10%, mas o efeito é ainda mais drástico em páginas mais complexas. Com o Gmail, por exemplo, podemos limpar cerca de um quarto da memória usada pela aba.”

Além disso, as abas serão restauradas de uma maneira mais rápida e útil. As abas mais recentes serão carregadas primeiro, para que você possa continuar de onde parou de forma mais intuitiva. A função que matará o Flash é padrão nesta nova versão. Isso significa que plugins em Flash não serão carregados a não ser que você clique neles.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Gizmodo

Cuidado com a nova forma de roubar páginas do facebook

Um novo golpe no Facebook tem feito usuários perderem suas páginas por meio de um falso sistema de verificação. O foco do golpe são principalmente as páginas. Algumas delas caíram na armadilha e deram permissão para um usuário com nome falso chamado “Page Verified”, perdendo totalmente o acesso à própria página.

Um caso que ficou conhecido foi da página Freshome, com mais de um milhão de fãs e que o proprietário perdeu completamente o acesso, informa o site What’s New. Veja como este golpe está sendo executado:

verified_pageInicialmente o usuário recebe um aviso como o mostrado abaixo de um usuário falso chamado Page Verified, Page Verifier ou Page Vérifiée, que solicita acesso à página. Por não conhecer o processo de verificação do Facebook, o usuário, em muitos casos, acaba dando acesso quando recebe esta notificação. Para parecer mais verídico, o usuário falso utiliza como avatar uma imagem como a que o Facebook usa para as páginas verificadas de fato.

Uma vez com acesso à página, o usuário falso se torna proprietário da conta e exclui todos os demais diretores, editores, administradores e quem possa intervir na página. O usuário falso exclui a página e todo o seu conteúdo, perdendo dados, seguidores, fotos e todas as informações e conteúdos da página.

Foi este o golpe que aconteceu com a Freshome. O proprietário conseguiu recuperar tudo após relatar o caso para o Facebook e torná-lo conhecido. Mas outros casos estão sendo relatados e muitas pessoas têm dado permissão ao usuário falso, perdendo suas páginas.

Caso receba uma mensagem semelhante, fique atento: o Facebook nunca pede permissão para gerenciar páginas.

Agradeço ao Davi, amigo e colaborador do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Canaltech e What’s New

Como identificar coisas falsas no Facebook

facebook-fake-profile

Com mais de 1 bilhão de usuários, é mais do que comum encontrar páginas e perfis falsos no Facebook. Por isso, é importante ficar atento na hora de “virar fã” de uma empresa, marca, personalidade ou artista na maior rede social do mundo.

Para Alessandro Lima, CEO da empresa de análise e gestão de relacionamento em mídias sociais e.life, o primeiro “mandamento” que um usuário deve seguir é sempre procurar pelo perfil da empresa ou marca no Facebook pelo site oficial, em vez de fazer a busca diretamente pela rede social. “Hoje, a maioria das empresas com perfis sociais informam os links nos próprios os sites, por isso a navegação deve começar pelo site da marca”.

“Caso a empresa não tenha uma seção com links das redes sociais em seu site, vale ficar de olho em erros de português e digitação nas postagens, que não parecem muito profissionais nessas páginas e perfis falsos”, explica o especialista.

Outro indicativo de que estamos diante de um fake, segundo Lima, é quando uma página pede dados pessoais aos usuários “sem cuidados” na rede social, ou seja, de forma pública. “Esse pedido pode acontecer nas redes sociais, como Facebook e Twitter, mas na maioria das vezes é feito de forma privada, por mensagens ou DM.”
Segundo Lima, também é importante olhar com atenção o ícone ou logotipo da empresa no Facebook para ver se é o mesmo utilizado pela companhia no momento. “Se nem assim conseguir saber, vale ligar até para o serviço de atendimento da empresa e questionar se a página é verdadeira”, afirma.

Vale notar que existem diversos tipos de páginas fake no site de Mark Zuckerberg. “É possível encontrar páginas/perfis falsos criados por fãs, por exemplo, que devem ser incentivadas desde que deixem claro que não oficiais e não façam nenhuma interação com os clientes. Há outras que são feitas na má-fé mesmo, para aplicar golpes. Além disso, também temos casos de redes de franquias que veem suas filiais de diferentes lugares criarem perfis com visual e abordagens diferentes, o que confunde o usuário.”

Mas até onde essas páginas prejudicam uma marca? “É algo que traz preocupações, obviamente, porque além de utilizar o nome e tudo mais, que já é uma infração, algumas dessas páginas resolvem fazer interação com o consumidor, o que pode ocasionar diversos golpes”, diz o executivo, que nota que é importante as empresas fazerem um trabalho de verificação constante nas redes sociais em busca de páginas ou perfis falsos.

Agradeço ao Davi, amigo e colaborador do Seu micro seguro, pela referência a esta notícia.

Fonte: IDG Now!