Novo golpe: promessa de recuperar perfis do antigo Orkut

Os golpes de phishing no WhatsApp — aquelas correntes que pedem para que as vítimas compartilhem links e mensagens a fim de conseguirem alguma coisa — são extremamente comuns atualmente. Por isso, só viram notícia os mais elaborados ou peculiares, como é o caso do novo esquema que promete reviver perfis antigos do Orkut.

Para conseguir tal feito, a vítima precisa compartilhar um link com dez contatos ou grupos no WhatsApp. Em seguida, a página promete que um botão chamado
“Ver Perfil” vai aparecer em algum lugar. Antes disso, a pessoa é distraída com três perguntas no mesmo site que, supostamente, deveriam ajudar a plataforma a descobrir se é possível ou não reaver o tal perfil.
Contudo, a página golpista em momento algum pede qualquer identificação que possa ligar uma pessoa a alguma conta da finada rede social.

Não precisa dizer que, depois de compartilhar dez ou mais vezes o link, a vítima continua sem acessar seu antigo perfil, certo? Mas, mesmo que o site tentasse de fato fazer alguma coisa, não haveria nenhum meio conhecido para tal. A Google encerrou o Orkut em 2014, um bom tempo depois de a plataforma ter virado uma cidade fantasma, e, em maio desse ano, todos os vestígios de comunidades e perfis que ficaram no ar por meio de arquivos online foram eliminados a pedido da empresa.

Todos os vestígios de comunidades e perfis que ficaram no ar foram eliminados

Em essência, é virtualmente impossível recuperar um perfil antigo do Orkut atualmente, e você deveria desconfiar de qualquer proposta mirabolante como essa que lhe é enviada via WhatsApp.

Segundo a PSafe, empresa de segurança digital brasileira que reportou o golpe, mais de 500 mil pessoas já foram engadas por esse novo phishing do Orkut. A recomendação é que os usuários nunca baixem arquivos ou forneçam informações pessoais em páginas que fazem esse tipo de promessa. Caso contrário, a vítima corre o risco de instalar malwares em seu smartphone, ter dados bancários clonados, ser inscrita em serviços pagos de SMS (“roubo de créditos”), entre outras possibilidades.

Fonte: Tecmundo

Como identificar coisas falsas no Facebook

facebook-fake-profile

Com mais de 1 bilhão de usuários, é mais do que comum encontrar páginas e perfis falsos no Facebook. Por isso, é importante ficar atento na hora de “virar fã” de uma empresa, marca, personalidade ou artista na maior rede social do mundo.

Para Alessandro Lima, CEO da empresa de análise e gestão de relacionamento em mídias sociais e.life, o primeiro “mandamento” que um usuário deve seguir é sempre procurar pelo perfil da empresa ou marca no Facebook pelo site oficial, em vez de fazer a busca diretamente pela rede social. “Hoje, a maioria das empresas com perfis sociais informam os links nos próprios os sites, por isso a navegação deve começar pelo site da marca”.

“Caso a empresa não tenha uma seção com links das redes sociais em seu site, vale ficar de olho em erros de português e digitação nas postagens, que não parecem muito profissionais nessas páginas e perfis falsos”, explica o especialista.

Outro indicativo de que estamos diante de um fake, segundo Lima, é quando uma página pede dados pessoais aos usuários “sem cuidados” na rede social, ou seja, de forma pública. “Esse pedido pode acontecer nas redes sociais, como Facebook e Twitter, mas na maioria das vezes é feito de forma privada, por mensagens ou DM.”
Segundo Lima, também é importante olhar com atenção o ícone ou logotipo da empresa no Facebook para ver se é o mesmo utilizado pela companhia no momento. “Se nem assim conseguir saber, vale ligar até para o serviço de atendimento da empresa e questionar se a página é verdadeira”, afirma.

Vale notar que existem diversos tipos de páginas fake no site de Mark Zuckerberg. “É possível encontrar páginas/perfis falsos criados por fãs, por exemplo, que devem ser incentivadas desde que deixem claro que não oficiais e não façam nenhuma interação com os clientes. Há outras que são feitas na má-fé mesmo, para aplicar golpes. Além disso, também temos casos de redes de franquias que veem suas filiais de diferentes lugares criarem perfis com visual e abordagens diferentes, o que confunde o usuário.”

Mas até onde essas páginas prejudicam uma marca? “É algo que traz preocupações, obviamente, porque além de utilizar o nome e tudo mais, que já é uma infração, algumas dessas páginas resolvem fazer interação com o consumidor, o que pode ocasionar diversos golpes”, diz o executivo, que nota que é importante as empresas fazerem um trabalho de verificação constante nas redes sociais em busca de páginas ou perfis falsos.

Agradeço ao Davi, amigo e colaborador do Seu micro seguro, pela referência a esta notícia.

Fonte: IDG Now!