Google na busca de melhorias da performance do Chrome

chrome-browserA equipe de desenvolvimento do Google Chrome continua buscando formas de melhorar sua performance em sistemas Windows (para acabar com as piadas sobre memória RAM? Talvez). Agora, os engenheiros estão utilizando uma tecnologia da Microsoft para isso.

Estamos falando das técnicas de otimização guiadas por perfis de consumo de processos chamadas de PGO (Profile Guided Optimization), que utiliza simulações e análise de dados para estipular os caminhos mais simples no processamento dos dados. No Chrome, isso verifica dados de execução para analisar qual a melhor forma de utilizar as funções, otimizando o aplicativo.

Com isso, resultados bem interessantes estão sendo vistos até o momento. A abertura de novas abas pode acontecer até 14,8% mais rápido; havendo também ganho de 5,9% para carregamentos de paginas e até 16,8% mais velocidade para iniciar o software.

O conceito de PGO pode ser aprendido — tanto teoria quanto na pratica — em artigos disponíveis no blog de desenvolvedores da Microsoft, mais conhecido como MSDN.

Vale lembrar que essa versão otimizada trata-se da versão 53 do Chrome, para computadores 64 bits e 54 para as versões em 32. Isso deve fazer parceria com as otimizações de RAM previstas para a versão 55 que tem previsão de lançamento para os próximos dias.

Fonte: Tecmundo

Fechar apps no Android pode deixar o sistema mais lento

apps_moveisFechar constantemente aplicativos usados no cotidiano do smartphone com sistema operacional Android pode deixar a operação do aparelho mais lenta, um efeito exatamente oposto ao esperado quando a usuário faz uma limpa nos aplicativos que estão rodando em segundo plano.

Embora seja uma dica famosa para “desafogar” a memória do aparelho, e em alguns casos realmente funciona, o renomado desenvolvedor Oasis Feng, criador do aplicativo Greenify, que promete melhorar a performance de sistemas, explicou no Reddit que o uso de task killers pode causar problemas no uso a longo prazo.

O movimento de swipe para fechar os apps encerra o processo, impedindo que eles sejam armazenados como cache na memória. Assim, é mais demorado para reabri-los, o que faz com que sejam usados mais ciclos de CPU para criar o processo e reiniciar o aplicativo. Assim, isso tende a gastar sua bateria e seu tempo.

Ele, no entanto, explica que os perigos explicados no parágrafo acima valem, principalmente, para aqueles aplicativos que você costuma abrir com mais frequência. Forçar a parada realmente libera memória, portanto é possível fechar os apps que você não costuma usar regularmente.

Caso contrário, fechar apps só causa mais problemas, principalmente se você tiver um aparelho com 2 GB ou mais de memória RAM. Nestes casos, raramente é necessário limpar a memória do aparelho, de modo que há pouco ou nenhum benefício em forçar a parada de aplicativos do celular.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Olhar Digital

Flash afeta a performance do navegador

Adobe_FlashQue o plugin do Flash se tornou um risco de segurança, você já deve saber a esta altura. Mas um teste comprovou que ele também é um perigo para a performance do seu computador.

O teste realizado pela PC World em cinco navegadores constatou que o plugin pode ter um impacto de até 80% no consumo de CPU e memória, apenas por estar ativado.

Foram testados as versões Chrome 44, Edge 12 (exclusivo do Windows 10), Firefox 39, Internet Explorer 11 e Opera 31, abrindo 30 abas simultâneas em cada um, de páginas populares variadas, com e sem o plugin do Flash ativado. Após 30 segundos de término da carga das páginas, foi registrado o consumo de processamento e RAM nos sistemas.

É importante ressaltar que mesmo que alguns sites analisados não tenham conteúdo em Flash nativo, a vasta maioria deles carrega algum tipo de código de conteúdo embutido ou anúncio externo que ainda utiliza a tecnologia.

Os resultados variaram de navegador para navegador, mas sempre foram negativos para o uso do plugin do Flash. Com ele ligado, o Edge registrou 4.7 GB de memória consumidas e 84.1% de consumo de CPU. Bastou desligar o Flash, para o uso de RAM cair para 4.1 GB e a uso do processamento reduzir para 61%.

A maior diferença foi registrada no Opera 31. Com o Flash ativado, as 30 abas abertas eram responsáveis por 3.47 GB de RAM (a taxa mais baixa de todos os navegadores testados) e 81.2% de uso de CPU. Por padrão, o Opera não traz o plugin instalado. Nesse estado nativo, as mesmas abas abertas usaram somente 1.8 GB de RAM e modestos 6.6% de CPU.

Agradecemos ao Paulo Sollo, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: CódigoFonte

Os apps que mais afetam o desempenho do Android

performance_geralO relatório realizado pela AVG, desenvolvedora de produtos para segurança online, apresentou os aplicativos que mais consomem desempenho, bateria e dados de dispositivos Android. O estudo divulgado nas últimas semanas colocou na lista nada vantajosa apps populares como Facebook, Instagram, Spotify e mais.

Os usuários de smartphones estão sempre preocupados com o consumo de bateria, dados e com o desempenho do seu Android. Para ajudar a entender um pouco melhor desse assunto, a AVG divulgou uma análise, o Android App Performance Report Q2014, que compara esses fatores totais e aponta os aplicativos móveis que apresentam os “piores” resultados.

E para a surpresa dos usuários alguns apps bem populares estão no topo dessa listagem. Dentre os apps que se inicializam automaticamente, assim que o smart é ligado, o Facebook para Android está em primeiro lugar, quando o assunto é impacto no desempenho, exigindo mais funções de processamento e RAM, por exemplo. O app da rede social ainda apareceu em terceiro lugar na drenagem da bateria e na mesma posição quando é abordado o tráfego de dados gasto no aparelho.

Sobre o desempenho, a AVG divulgou o top 10 dos apps que mais exigem do hardware do Android. Na liderança não vantajosa está o Facebook, seguido do popular Spotify, serviço de streaming de músicas, e depois o Instagram, rede social de fotos. Continuando a lista estão os apps Path, Amazon Android, Samsung WatchOn, BBM, Line, 8 Ball Pool, Daily Mail.

performance1Já no quesito de drenagem de bateria, a análise está dividida entre os apps com inicialização automática e os executados pelos usuários. Na primeira lista estão opções como Beaming Service, da Samsung, Security Police Updates, também integrado pela companhia nos smarts, seguidos do Facebook, Waze, Vault-Hide e mais cinco apps. Dentre os inicializados pelos usuários estão o WatchON, OLX Classificados, Telstra, Spotify, Amazon Android, seguido de mais cinco apps.

performance2No consumo de armazenamento interno, alguns apps podem estar ocupando mais espaço do que você imagina. Isso pode acontecer porque o recurso guarda muitos arquivos temporários ou a adição de muitas funcionalidades. No topo desse ranking está o Tango Messenger, Daily Mail e mais uma vez aparece o Facebook, em terceiro lugar. Eles estão seguidos do Spotify, Line Camera, Instagram, Chrome Browser, SoundCloud, 8 Ball Pool e Vine.

performance3Também vale a pena ficar de olho no consumo de dados de conexão com a Internet, e nessa listagem aparecem o Daily Mail, Tumblr, Facebook, Instagram, Spotify e mais cinco opções que podem acabar com seu pacote de dados. Isso é importante, já que as operadoras brasileiras estão cortando a conexão 3G e 4G após o cliente estourar o limite, então vale ficar de olho nesses app e economizar.

performance4O estudo ainda revelou algumas boas notícias para as desenvolvedoras de apps: o WhatsApp foi o mensageiro com maior número de instalações por usuários, seguido do Facebook Messenger, no quesito de comunicação. Sobre rede social, o Facebook aparece como top, e logo depois vem o Instagram.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fontes: TechtudoAVG