Nem Apple ficou à salvo das falhas dos processadores Intel

Praticamente nenhum dispositivo do mercado está protegido das falhas de processadores Meltdown e Spectre, reveladas ao público nos últimos dias. Mas e quanto às plataformas da Apple? Bem, infelizmente elas não são uma exceção – mesmo que você não esteja em perigo imediato.

Em uma declaração oficial em seu post, a Maçã foi clara: “Todos os sistemas Mac e dispositivos iOS são afetados, mas não há exploits conhecidos impactando consumidores neste momento”, explicou ela. Mesmo assim, a empresa frisa a importância de evitar o download de fontes não-confiáveis.

Além disso, ela deixa claro que vários dos problemas em potencial relacionados ao Meltdown já teriam sido resolvidos com patches para iOS (11.2), macOS (10.13.2) e tvOS (11.2). Quanto ao Apple Watch? Segundo ela, não há com que se preocupar, já que o Meltdown não afeta o dispositivo. As brechas do Spectre, por sua vez, devem ser corrigidas com uma atualização para o Safari a ser lançada dentro dos próximos dias.

Em meio a tudo isso, ao menos a boa notícia é que as empresas preveem que a grande maioria das plataformas afetadas seja protegida da brecha dentro dos próximos dias.

Fonte: Tecmundo

Como proteger seu PC da falha de processadores da Intel

Duas falhas sérias de CPU reveladas nesta semana podem ter sérias ramificações para os usuários de PCs. As vulnerabilidades Meltdown e Spectre permitem que invasores acessem informações protegidas na memória kernel do seu computador, revelando potencialmente detalhes sensíveis como senhas, chaves criptográficas, fotos pessoais, e-mails e qualquer outra coisa armazenada na máquina. É uma falha realmente séria. Felizmente, as fabricantes de CPUs e sistemas liberaram patches de segurança rapidamente, e você pode proteger o seu PC das vulnerabilidades até certo ponto.

No entanto, não é algo rápido e simples. Elas são duas falhas muito diferentes que tocam em todas as partes do seu sistema, desde o hardware até o software e o sistema operacional em si.

Cortamos os termos técnicos para explicar o que você precisa saber em uma linguagem clara e simples. Também criamos uma visão geral sobre como a Spectre pode afetar smartphones e tablets. Mas o guia que você está lendo é focado apenas em proteger seu computador contra as falhas em questão.

Como proteger seu PC

Veja abaixo uma check-list passo a passo, seguida pelo processo completo de cada um.

-Atualize seu sistema operacional

-Verifique por atualizações de firmware

-Atualize seu navegador

-Mantenha seu antivírus ativo.

Primeiro e mais importante de tudo: atualize o seu sistema agora

A falha mais severa, a Meltdown, afeta “efetivamente todo processador Intel desde 1995”, segundo os pesquisadores de segurança do Google que descobriram o problema. É uma falha com o hardware em si, mas as principais fabricantes de sistemas liberaram atualizações que protegem o sistema contra a Meltdown.

A Microsoft soltou um patch de emergência para o Windows em 3 de janeiro. Caso não tenha atualizado seu PC automaticamente, vá em Iniciar > Configurações > Update e Segurança > Windows Update, e então clique no botão Verificar Agora (Check Now) em Update Status. O sistema deve detectar a atualização disponível e iniciar o download. Instale o update assim que terminar de baixá-lo.

Caso não o encontre por qualquer razão, você pode baixar o patch Windows 10 KB4056892 diretamente por aqui. Você precisará saber se fica com a versão 32-bit (x86) ou 64-bit (x64) do Windows – para isso, apenas digite “sistema” (ou “system”) na busca do Windows e clique no primeiro item da lista, que te levará para uma janela do Painel de Controle. A listagem “Tipo de sistema” te dirá qual versão do Windows você está rodando. A maioria dos PCs lançados na última década rodam um sistema 64-bit.

A Apple incluiu sem alarde proteções contra o Meltdown no macOS High Sierra 13.10.2, lançado em dezembro. Caso seu Mac não aplique os updates automaticamente, vá até a aba Update da App Store para fazer a atualização.

Os Chromebooks deveriam ser atualizados para o Chrome OS 63, lançado em dezembro. Ele traz mitigações contra as falhas de CPU. Os desenvolvedores Linux estão trabalhando em patches para o kernel. Também há patches disponíveis para o kernel Linux.

Agora a má notícia: os patches para sistemas podem deixar seu PC mais lento. Mas o quão mais lento é algo que varia muito, dependendo da sua CPU e da carga de trabalho que você está rodando. A Intel espera que o impacto seja razoavelmente pequeno para a maioria das aplicações padrão como games ou navegação na web. De qualquer forma, você ainda vai querer instalar os updates por questões de segurança.

Verifique atualizações de firmware

Como a falha Meltdown existe no nível de hardware, a Intel também liberando atualizações de firmware para os seus processadores. “Até o final da próxima semana, a Intel espera ter liberado updates para mais de 90% dos processadores lançados nos últimos cinco anos”, afirmou a fabricante em um comunicado publicado em 4 de janeiro.

A Intel também lançou uma ferramenta de detecção que pode te ajudar a determinar se você precisa de uma atualização de firmware.

Realmente conseguir essas atualizações de firmware pode ser um pouco complicado, já que os updates de firmware não são publicados diretamente pela Intel. Em vez disso, você precisará pegá-los com a companhia que produziu seu laptop, PC ou placa mãe – pense em empresas como HP, Dell, Gigabyte, etc. A página de suporte da Intel dedicada à vulnerabilidade inclui links para todos os seus parceiros, onde você pode encontrar qualquer update de firmware disponível e informações sobre o seu PC em particular. A maioria dos computadores e laptops pré-montados possuem um adesivo no exterior com mais detalhes.

Atualize seu navegador

Você também precisa se proteger contra a Spectre, que engana o software para acessar sua memória kernel protegida. Chips da Intel, AMD e ARM são vulneráveis à falha em algum grau. As aplicações de software precisam ser atualizada para você proteger contra a Spectre. Os principais navegadores web para PCs já liberaram updates como uma primeira linha de defesa contra sites maliciosos que buscam explorar a falha com Javascript.

A Microsoft atualizou o Edge e o Internet Explorer juntamente com o Windows 10. O Firefox 57, da Mozilla, também traz defesas contra o Spectre. O Chrome 63 traz a “Isolação de Site” (“Site Isolation”) como um recurso experimental opcional – você pode acioná-lo agora ao acessar chrome://flags/#enable-site-per-process na sua barra de navegação e então clicar em Habilitar (Enable) perto da opção “Strick Site Isolation”. O Chrome 64 terá mais proteções quando for lançado em 23 de janeiro.

Mantenha seu antivírus ativo

Por fim, essa diretriz mostra como é importante manter seu PC protegido. Os pesquisadores do Google que descobriram as falhas de CPU afirmam que o antivírus tradicional não conseguiria detectar um ataque Meltdown ou Spectre. Mas os invasores precisam poder injetar e rodar código malicioso no seu PC para se aproveitar dos exploits. Por isso, manter seu software de segurança instalado e vigilante ajuda a manter os hackers e malwares fora do seu computador. Além disso, “seu antivírus pode detectar malware que os ataques ao comparar binários depois que eles ficarem conhecidos”, aponta o Google.

Fonte: IDG Now!

Intel lança novos processadores – linha Broadwell

intel-broadwellA Intel revelou, nos últimos dias e antes da CES, novos chips da linha Broadwell, quinta geração de processadores. De arquitetura menor, os modelos são da série U e contam com dois núcleos e baixa latência, o que reduz o consumo de energia. Eles deverão substituir, entre outros chips, os Core i3, i5 e i7 equivalentes da linha Haswell em desktops e notebooks lançados a partir deste mês nos EUA.

O anúncio vem poucos meses após o lançamento dos Core M, que são voltados para notebooks (híbridos ultra-finos, em especial) e carregam a mesma arquitetura de 14 nanômetros – uma boa evolução se compararmos com os 22 nm da geração anterior. Essa redução, em teoria, significa uma redução ainda maior no uso de bateria, algo que já avançou bem com os chips da linha anterior.

No entanto, mesmo que estejam menores, os novos processadores trazem ainda mais transistores. Um Core i7 5600-U (com 2,6 GHz de clock base), por exemplo, tem um número 35% maior deles do que seu antecessor direto, o Core i7-4600U, segundo a comparação da Intel. E isso tudo concentrado em um espaço 37% menor, como ressalta a empresa.

Com a diminuição da área e a maior concentração de transistores, a companhia espera que, além de fazer a bateria de um notebook durar consideravelmente mais, os novos processadores ainda garantam bom desempenho. Na comparação entre os dois chips mencionados, a melhoria no uso da carga garantiria até uma hora e meia a mais de uso, com performance até 22% melhor em termos de gráficos 3D e 50% melhor na conversão de vídeos.

Os avanços não vão muito além desses, visto que a renovação não será tão acentuada quanto foi a da linha Haswell. Mas ainda vale mencionar a nova geração dos processadores gráficos “embutidos” nos chips: o já citado i7 5600U, por exemplo, está no “meio termo” e vem acompanhado de um HD 5500 Graphics. Já modelos acima dele (e mais caros, portanto) virão com um HD 6000 Graphics ou até com um Iris 6100 – que deverá fazer com que esse chips consumam um pouco mais de energia. Aliás, todos esses “gráficos integrados” terão suporte a DirectX 11.2, OpenGL 4.3 e reprodução de vídeo em 4K, inclusive em monitores de resolução 3840 x 2160.

Os lançamentos chegam a novos computadores dos EUA já neste mês. Vendidos separadamente, os preços deles começam nos 275 dólares, valor de um i3 5005U de 2 GHz com um HD 5500 Graphics, de entrada. Eles vão até os 426 dólares, que pagam um Core i7 5550 U (de 2 GHz e acompanhado de um HD 6000 Graphics), um Core i7 5650U (de 2,2 GHz com um HD 6000 Graphics) ou um Core i7 5557U (3,1 GHz com uma Iris 6100). Estas cifras devem subir quando modelos mais avançados, como os de quatro núcleos, forem anunciados – algo que deve acontecer mais para o meio do ano.

Fonte: Info

Intel anuncia lançamento de novos processadores

intelA Intel lançou os novos processadores Xeon das famílias E5-2600 v3 e E5-1600 v3, nesta segunda-feira (8/09). As CPUs são baseadas na nova arquitetura Haswell-EP, assim como os chips de uso doméstico Core i7 lançados recentemente. A promessa é triplicar a performance em condições ideais, além de melhorar a eficiência energética se comparada à v2, lançada em 2013.

Assim como a família Core, os processadores “E” também se dividem em três categorias conforme a demanda do usuário, neste caso o mercado corporativo, sendo E3 e E7 os menos e mais potentes, respectivamente. O recém-lançado E5 é um conjunto de chips intermediários, mas que suporta entre 12 e 18 núcleos simultâneos rodando a 3,6 GHz.

A nova interface facilita a compatibilidade de memória DDR4, proporcionando menor consumo de energia, mais densidade, e taxas de dados mais elevadas do que as gerações anteriores. Os novos chips são destinados a servidores de data centers, além de estações de trabalho, ou seja, não devem chegar a computadores para uso doméstico.

Os preços não foram divulgados, mas esse tipo de tecnologia costuma equipar computadores potentes que valem milhares de dólares, dependendo da configuração da placa-mãe – afinal, os novos Xeon E5 não são compatíveis com circuitos feitos para as arquiteturas anteriores, como Sandy Bridge-EP ou Ivy Bridge-EP.

Agradeço ao Davi, amigo e colaborador do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Techtudo