Por essa a Microsoft não esperava

O Windows 10 foi lançado em julho de 2015 para ser a versão definitiva do sistema operacional mais usado em desktops ao redor do mundo. Com direito a mudança no esquema de distribuição, a atualização foi oferecida gratuitamente aos usuários de versões antigas e a expectativa da Microsoft era de que ele se tornasse rapidamente a versão predominante do ecossistema Windows. Contudo, a realidade não é bem assim.

De acordo com dados revelados pelo site NetMarketShare, o Windows 10 não só não é a versão mais usada do sistema da Microsoft como ele cresceu menos do que o Windows XP em outubro: atualmente instalado em 29,26% dos PCs com Windows, a versão lançada em 2015 teve um aumento de 0,17% no mês passado, enquanto o XP cresceu quase 10 vezes, partindo de uma fatia de 0,78% para incríveis 6,47%.

Com o avanço apresentado no mês de outubro, o Windows XP retoma do Windows 8.1 o posto de terceiro sistema operacional mais usado em PCs no mundo, atrás apenas dos seus irmãos mais velhos Windows 10 e Windows 7, que lidera o ranking graças a presença em 46,63% dos desktops e notebooks.

Edge também perde espaço

Aposta da Microsoft para apagar a má impressão deixada pelo Internet Explorer, o Edge é um ótimo navegador que cresceu pouco desde o seu lançamento, também em 2015. Contudo, o mês de outubro de 2017 também não foi positivo para ele: o browser terminou o décimo mês do ano com uma fatia de mercado de 4,58% contra 5,15% de setembro.
Em suma, o mês passado não foi o que a Microsoft pode chamar de positivo.

Fonte: Tecmundo

Windows 7 se mantém folgado na liderança

win7_market_shareO domínio dos sistemas operacionais de PCs pertence, sem qualquer dúvida, à Microsoft e ao Windows. São várias as versões que estão no topo, com o Windows 7 como a primeira delas.

Mas, as mudanças recentes no Windows 10, levaram muitos a acreditar que iriam haver transformações profundas. A realidade mostra que isso não aconteceu e, inclusive, houve uma mudança de rumo.

O fim da oferta da atualização gratuita do Windows 10 por parte da Microsoft em final de Julho passado, levou muita gente a ir adiante com a decisão de realizar o upgrade para o novo sistema operacional. Esperava-se, por isso, que o seu crescimento fosse continuado e que as versões anteriores do Windows fossem diminuindo em número de usuários, mas a verdade é que isto não aconteceu em alguns casos.

O Windows 7 controla o mercado e se estava em queda, culpa do Windows 10, o mês de Agosto chegou para mudar esta tendência, levando-o à manutenção da liderança.

O Windows 10, o seu maior concorrente, seguiu a mesma tendência e continuou o seu crescimento. Está agora com 22,99%, tendo no mês de Julho sido de 21,13% e em Junho tinha 19,14%. Apesar do aparente crescimento, o seu ritmo se estabilizou nesse patamar.

As restantes versões do Windows mantêm a queda já esperada. O Windows 8.1 está na quarta posição desta lista com 7,92% em Agosto, o que mostra um aumento ligeiro face aos 7,80% de Julho.

O Windows 8, que a Microsoft já deixou de oferecer suporte, teve uma presença de 1,82% em Agosto, descendo dos 2,09% de Julho. Por fim, o Windows XP, que foi descontinuado e deixou de ter qualquer atualização, teve 9,36%, menos que os 10,34% de Julho.

A Microsoft esperava que o Windows 10 já tivesse alcançado valores bem mais elevados e prestes a assumir a liderança, mas a verdade é que os usuários estão resistentes em abandonar as versões anteriores e o próprio mercado não está gerando as vendas necessárias para alavancar esse crescimento.

Fonte: pplware

OSX, iOS e Linux são mais vulneráveis que o Windows

os_vulnerabilitiesDe acordo com novos dados divulgados pelo National Vulnerability Database (NVD), OS X, iOS e Linux são mais vulneráveis que o Windows.

O NVD divulgou o número de vulnerabilidades reportadas em 2014 para cada um dos sistemas operacionais e o resultado compilado pelo blog GFI pode ser uma surpresa para quem acha que OS X e Linux são totalmente seguros.

Em 2014, o OS X teve 147 vulnerabilidades reportadas. Deste total, 64 são de alto risco e 67 são de médio risco. O iOS ficou em segundo lugar com 127 vulnerabilidades, sendo 32 delas de alto risco.

O Linux ficou em terceiro com 119 vulnerabilidades (24 de alto risco).

A versão mais recente do Windows, a 8.1, teve 32 vulnerabilidades reportadas. Deste total, 24 são de alto risco.

Já o Windows 7 e o Windows 8 tiveram 36 vulnerabilidades reportadas. Deste total, 25 são de alto risco no Windows 7 e 24 no Windows 8.

O Windows Server 2008 e o Windows Server 2012 tiveram 38 vulnerabilidades reportadas, sendo 26 de alto risco na versão 2008 e 24 na versão 2012.

No geral, o número de vulnerabilidades no banco de dados do NVD apresentou um grande crescimento em 2014.

Em 2013 o banco de dados do NVD tinha 4.794 vulnerabilidades registradas e em 2014 este número saltou para 7.038. O número de vulnerabilidades de alto risco é relativamente baixo, mas ainda assim, este crescimento no número geral é algo preocupante.

Agradecemos ao Davi e ao Paulo Sollo, colaboradores amigos do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Baboo

Microsoft pretende unificar sistemas operacionais

Satia_NadellaO CEO da Microsoft, Satya Nadella, confirmou nos últimos dias que a empresa pretende fundir as diferentes versões do Windows numa só.

O anúncio foi realizado durante a conferência de apresentação dos resultados financeiros da empresa norte-americana tendo Satya Nadella dito aos analistas que a empresa tem nos seus planos unir as três principais versões do Windows (cliente, servidor e mobile) num só sistema operacional.

Desta forma, e uma vez concretizado, a Microsoft vai ter no mercado um sistema operacional capaz de cobrir todos os tamanhos de tela.

O objetivo, segundo o CEO da Microsoft, passa também por facilitar o desenvolvimento de aplicativos tornando-os comuns independentemente do dispositivo utilizado. Satya Nadella disse ainda que a Microsoft não pretende, necessariamente, deixar de comercializar diferentes versões, porém o foco da empresa passará pelo desenvolvimento de uma plataforma única.

O responsável máximo da Microsoft tornou público que ao longo dos próximos meses a empresa revelará mais detalhes e informações sobre a próxima versão do Windows.

Agradeço ao Davi, amigo e colaborador do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Wintech

Microsoft pode unificar sistemas operacionais no futuro

Microsoft-Julie-Larson-GreenAtualmente, a Microsoft conta com o Windows 8.1, Windows RT 8.1 e Windows Phone 8. Mas, de acordo com Julie Larson-Green, vice-presidente da companhia, a empresa pode unificar os sistemas operacionais no futuro.

Em uma sessão de perguntas e respostas, no evento UBS Global Technology Summit, Larson-Green comentou sobre como ela vê o Windows no futuro:

“Nós temos o sistema operacional Windows Phone. Temos o Windows RT e temos o Windows. Nós não vamos ter três sistemas. Pensamos em um mundo onde existe um sistema operacional mais móvel que não oferece os riscos para o gasto da bateria, ou os riscos para a segurança. Mas também com flexibilidade. Assim, acreditamos nesta visão e direção, e que vamos continuar por esse caminho.”

A Microsoft já deu alguns passos na integração de seus sistemas operacionais, sendo que o mais recente foi a unificação das lojas Windows Store e Windows Phone Store para os desenvolvedores. Isso permite a criação de uma plataforma nova para a publicação de aplicativos no Windows 8.1 e Windows Phone sem a necessidade de separar os códigos-fonte.

Julie Larson-Green comentou também sobre os próximos produtos de hardware da Microsoft, dizendo: “Estamos apenas começando. Por isso, vai ser muito divertido. Eu acho que nós temos um monte de coisas legais para serem lançadas. No próximo ano você vai começar a ver algumas coisas realmente interessantes”.

Agradeço ao Lucas, amigo e colaborador do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Baboo

Microsoft já não é uma ameaça para o Linux

Linux

Os últimos estudos apresentados pela IDC e Gartner, no que se refere às tendências tecnológicas, fazem transparecer uma Microsoft frágil, sem rumo definido e com várias batalhas perdidas para a Google, Apple e mundo Linux.
Segundo os estudos, a gigante que domina o segmento dos PC’s (segundo a IDC, a venda de tablets irá superar a venda de PCs até 2015) é agora o “elo” mais fraco e necessita urgentemente reencontrar o caminho do sucesso com produtos inovadores, que vão ao encontro das tendências do mercado.

O segmento tecnológico é hoje fortemente dominado pelos dispositivos móveis (essencialmente tablets e smartphpones). A Microsoft tem lutado e tentado reconquistar o mercado mas os resultados apresentados até o momento têm ficado aquém do esperado.

Todos sabemos que hoje vivemos num mundo fortemente dominado pelos segmentos móveis e aí a Microsoft perdeu muito terreno para a concorrência, que alguns consideram irrecuperável. Por outro lado, apesar de “milhares de distribuições” o Linux tem crescido de forma sustentada e com suporte para as tecnologias mais atuais. Hoje o Android lidera isolado no segmento móvel… e sendo essa a tendência, pode-se afirmar que hoje o segmento tecnológico é dominado por tecnologias open-source.

Agradeço ao Davi e ao Lucas, amigos e colaboradores do Seu micro seguro, pela referência a esta notícia.

Fonte: pplware

Apple e Microsoft na briga pelo segundo lugar

Gartner

Android domina o mercado quando somados números de PCs, tablets e smartphones

O futuro é do Android e caberá aos outros sistemas operacionais lutarem para manter seu “lugar ao sol”. Esta é a conclusão de uma pesquisa do Gartner, que mostra um crescimento das plataformas móveis e que o sistema do Google deverá dominar o mercado, incluindo todos os tipos de aparelhos, como PCs, smartphones e tablets.

A briga pelo segundo lugar deverá ser parelha entre a Apple e a Microsoft nos próximos anos. A empresa fundada por Bill Gates deverá manter seu domínio histórico no mercado de PCs, mas este nicho está cada vez mais fraco, perdendo espaço para smartphones e tablets, onde a maçã tem mais força.

Segundo a empresa, os número de vendas de PCs, tablets e celulares em 2013 deve alcançar 2,4 bilhões de unidades, mas espera-se que o mercado de computadores pessoais sofre uma diminuição de 7,6%.

Muito dessa redução se deve à proliferação dos tablets de baixo custo e cada vez mais potentes. “Haverá alguns indivíduos tanto com um PC quanto como um tablet, principalmente aqueles que os utilizam para trabalho e entretenimento, mas a maioria ficará satisfeita com a experiência de um tablet como principal aparelho para computação”, diz Carolina Milanesi, vice-presidente de pesquisas da Gartner.

Agradeço ao Lucas, amigo e colaborador do Seu micro seguro, pela referência a esta notícia.

Fontes: Olhar Digital e Gartner