E-commerce Brasil: uma tentativa de fraude a cada 5 segundos

Golpes são feitos a partir de compras com cartões de crédito clonados. Levantamento da Konduto analisou mais de 40 milhões de transações realizadas em 2017.

O e-commerce brasileiro sofre uma tentativa de fraude a cada cinco segundos, com golpes a partir de compras feitas com cartões de crédito clonados. É o que mostra levantamento realizado pela Konduto, em seu estudo Raio-X da Fraude, que levou em consideração uma amostragem de mais de 40 milhões de transações, entre 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2017.

O estudo aponta que o índice de tentativas de golpes virtuais foi de 3,03%, o que corresponde a uma transação fraudulenta a cada 33 processadas no comércio eletrônico. O valor representa somente as tentativas de fraude, e não necessariamente a taxa de fraudes efetivas do e-commerce brasileiro.

Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, o e-commerce nacional recebeu mais de 203 milhões de pedidos ao longo de 2017. Se 3,03% delas são de origem fraudulenta, mais de 6 milhões de transações foram feitas por estelionatários utilizando cartões clonados durante os 365 dias do ano. Quase uma compra criminosa a cada 5 segundos.

Tom Canabarro, co-fundador da Konduto, destaca que a maioria destas transações ilegítimas é barrada pelos sistemas antifraudes ou pelo lojista antes mesmo da aprovação do pagamento na hora da compra, e os produtos sequer são enviados ao fraudador. “Um e-commerce saudável não pode ter uma taxa de fraudes superior a 1% do faturamento, sob risco de advertências, multas e até mesmo descredenciamento junto às operadoras e bandeiras de cartão de crédito”, diz.

Redução

A taxa de tentativas de fraude em 2017 ainda é considerada elevada, mas apresentou uma redução de 15,4% em comparação ao índice de 2016, de 3,58%. Uma explicação para esta queda, segundo a Konduto, é o crescimento de todo o ecossistema do e-commerce no Brasil, com um mercado cada vez mais maduro e com soluções que oferecem alta tecnologia e segurança para lojistas e clientes.

“Este é um mal inerente ao comércio eletrônico, e infelizmente não há e-commerces à prova de fraude. A real função de um sistema antifraude também não é de garantir fraude zero para o lojista, mas de aprovar o máximo de compras diante do menor risco possível. Ou seja: administrar o risco de maneira consciente e orientada ao lucro”, completa Canabarro.

Fonte: IDG Now!

Brasil: uma tentativa de fraude a cada 16 s

O Brasil tem uma tentativa de fraude a cada 16 segundos, segundo levantamento da Serasa Experian. O número foi de 1,478 milhão no período entre janeiro e setembro, o que representa uma alta de 10,7% em relação a igual período do ano passado. Só em setembro, houve 170.595 tentativas, 18% maior que igual mês de 2016 (144.514). Frente a agosto, foi registrado recuo de 7,6%. O indicador Serasa Experian de Tentativas de Fraude avalia qualquer tipo de golpe, como solicitação de cartão de crédito ou compra de bens com identidade falsa. O levantamento é feito mensalmente a partir das consultas ao Serasa.

Na avaliação dos economistas da Serasa, o aquecimento do mercado de crédito por causa da melhora do mercado de trabalho e da retomada da economia podem estar incentivando os fraudadores. A busca por crédito avançou 6,2% em setembro, frente a igual mês de 2016.

A maioria das tentativas de fraude (565.551, ou 38,3%) foi no setor de telefonia. Nessa área, é comum a compra de aparelhos ou abertura de contas de celulares. Só que o setor também funciona como uma “porta de entrada” para outros, já que as contas do telefone viram comprovantes de residências usados para abertura de contas em bancos, que dão acesso a talões de cheques, cartões de crédito e pedidos de empréstimos.

Em seguida, vem o setor de serviços, com 451.777 tentativas de golpe nos primeiros dez meses do ano, com 30,6% do total. O setor financeiro — bancos e financeiras — tem quase um quarto dos casos (23,4% de participação e 346.372 tentativas).

Entre as tentativas de fraudes identificadas pela Serasa Experian estão compra de celulares com documentos falsos ou roubados, pedido de emissão de cartões de crédito com identificação falsa ou roubada, compra de produtos eletrônicos também com identificação falsa ou roubada e abertura de empresa com dados falsos, que podem servir também de fachada de golpes.

Fonte: Época

Brasil: uma tentativa de fraude ocorre a cada 15 segundos

fraudeO ano de 2014 registra um aumento de 3,2% de tentativas fraudulentas em comparação com 2013

De acordo com um levantamento feito pelo indicador Serasa Experian de Tentativas de Fraudes – Consumidor e publicado nos últimos dias, 152.907 tentativas fraudulentas foram registradas em fevereiro de 2014, ou seja, isso representa uma tentativa de roubo a cada 15 segundos. Em comparação com o mesmo período no ano de 2013, houve uma alta de 3,2%.

Nesse tipo de ocorrência, dados pessoais são utilizados por criminosos para firmar negócios sob falsidade ideológica ou até mesmo para a obtenção de créditos com a intenção de não honrar os pagamentos.

O setor mais afetado foi o de telefonia, que corresponde a 57.055 registros e representa 47,3% do total das tentativas de fraude realizadas em fevereiro deste ano. Imobiliárias, construtoras, seguradoras e serviços em geral aparecem na segunda colocação com 48.464 tentativas de engano (31,7%) e o setor bancário encontra-se em terceiro no ranking com 20,6% do total, ou seja, 31.524 casos registrados.

O varejo também foi um dos setores mais afetados com 12.596 tentativas – 8,2%. Segundo o indicador Serasa Experian, as principais tentativas fraudulentas incluem a emissão de cartões de crédito, o financiamento de eletrônicos – TV, aparelho de som, celular etc –, aquisição de automóveis, abertura de empresa fajuta e conta em banco com uma identificação falsa ou roubada.

O site oficial ainda oferece algumas explicações e orientações para que o consumidor adote cuidados simples em seu dia a dia.

Agradeço ao Davi, amigo e colaborador do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Tecmundo

Tentativas de invasão devem superar 1 bilhão em 2012

As tentativas de invasão feitas por crackers devem se superar a marca de 1 bilhão nestes últimos meses de 2012, de acordo com estimativas da NCC Group.

Segundo o The Next Web, a companhia já registrou 981 milhões no período, um aumento de 23 milhões de ataques hackers em comparação aos três meses anteriores do ano.

Os Estados Unidos aparecem como país com mais atividade de hackers, com 20,8% das tentativas de invasão. A Rússia, com 19,1%, e a China, com 16,3% aparecem na sequência. O Brasil deve ser o responsável por 1,7% dos ataques.

Agradeço ao Lucas e ao Davi, amigos e colaboradores do Seu micro seguro, pela referência a esta notícia.

Fonte: Olhar Digital