Software que reduz tamanho dos arquivos de vídeo (grátis)

Dica mostra diminuir os seus clipes de forma rápida e prática com a solução gratuita Handbrake, que funciona em PCs Windows, Macs e Linux.

Reduzir o tamanho de um vídeo é algo importante se você trabalha com criação de conteúdo – ou costuma produzir vídeos em volume significativo por diversão/hobby. Deixar o arquivo menor pode ajudar na hora de transferir ou fazer upload de um documento, desde que você consiga viver com a redução de qualidade, é claro.

Pensando nisso, montamos essa dica especial com um passo a passo sobre como você pode reduzir o tamanho dos seus arquivos de vídeo.

Na reportagem, vamos usar uma ferramenta chamada Handbrake, que é uma solução open-source e gratuita que pode ser utilizada nas mais diferentes plataformas, incluindo Windows, Mac e Linux.

Como reduzir o tamanho do seu arquivo de vídeo

Acesse o site do Handbrake, baixe o software e instale o programa na sua máquina.

Abra o aplicativo ao clicar duas vezes sobre ele no seu desktop, e então clique no botão “Arquivo”, na área de seleção de fonte, no canto superior esquerdo. Navegue até o vídeo que você quer reduzir o tamanho, e selecione-o.

Para começar, vamos configurar o destino do nosso arquivo. É o local onde o arquivo vai acabar após esse processo de redução de tamanho. É possível editar essa localização ao clicar no botão “Browser”, no canto inferior direito da tela.

Selecione o lugar onde você quer que o video seja salvo, então acesse a aba “Dimensions”, onde você pode ajustar a resolução do video.

Avance para a próxima aba de vídeos, onde encontrará uma barra slider que permite mudar a qualidade geral do vídeo. Também é possível alterar o codec do clipe nesta configuração.

Você pode usar o botão Preview na barra na parte de cima do app para ver como será a saída do seu vídeo – assim é possível fazer qualquer mudança necessária antes de exportá-lo devidamente.

É possível voltar e ajustar as configurações até que o preview esteja ao seu gosto. Quando menor a qualidade do vídeo, menor será o tamanho do arquivo. Por isso, dê uma olhada em como está ficando até encontrar um equilíbrio entre qualidade e tamanho que te deixe feliz.

Para exportar o seu vídeo com as configurações escolhidas, clique no botão “Start Encode”, na parte superior da janela. Uma vez que o processo for finalizado, você encontrará o arquivo no destino selecionado anteriormente.

Fonte: IDGNow!

Pesquisador afirma: vídeos do You Tube podem contaminar smartphones

youtubeO YouTube conta com uma infinidade de vídeos, dos mais comuns aos mais estranhos. E, de acordo com um professor da Universidade Georgetown, nos Estados Unidos, até arquivos perigosos que podem acabar travando seu smartphone.

Segundo Micah Sheer, a possibilidade é recente e tem aumentado porque as pessoas estão começando a usar com mais frequência os softwares de voz. “Não funciona com todos ao mesmo tempo, mas é um jogo de números. Se 1 milhão de pessoas assistir um vídeo com uma mensagem secreta incorporada, 10 mil pessoas que estão por perto podem estar usando softwares do tipo nas proximidades. Se 5 mil dessas pessoas carregar um malware, eles estarão sob a posse de um criminoso”, explica o professor.

Isso funciona mais ou menos como uma ativação involuntária da Siri ou do Google Now quando o smartphone “ouve” algum som que se pareça com “Hey Siri” ou “Ok Google”.

Ainda não foram registrados casos do tipo, mas apesar de a possibilidade ser pequena, é importante prestar atenção.

Agradecemos ao Davi, colaborador do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Olhar Digital

Plugins de reprodução de vídeos: um risco à segurança

plugin_riskNos últimos dias, o Pirate Bay e o KickAss Torrents, duas das grandes plataformas de torrent do mundo, adotaram o novo plugin desenvolvido pela equipe do Popcorn Time chamado de Torrents Time. Com ele, é possível assistir a vídeos e consumir conteúdo diretamente do navegador via streaming. No entanto, uma série de críticas estão sendo feitas ao plugin, incluindo algumas relacionadas à segurança.

Andrew Sampson, desenvolvedor do aplicativo de streaming de músicas Aurous, analisou o Torrents Time e descobriu vários problemas que poderiam colocar a segurança dos usuários em risco. Um dos problemas mais preocupantes está relacionado ao CORS, que é o mecanismo que permite que os recursos de uma página da internet possam ser solicitados por um outro domínio. Este é um dos recursos mais importantes para o funcionamento do plugin, ao mesmo tempo que é utilizado por qualquer página em HTML5, o que abre uma brecha para usuários mal-intencionados.

Sampson conseguiu listar sete problemas graves e que podem ser explorados por hackers. Um dos mais graves permite que pessoas mal-intencionadas façam com que o usuário baixe um arquivo de torrent em segundo plano sem que ele saiba. Tudo isso pode ser feito ao se introduzir uma simples linha de código.

Além disso, qualquer pessoa com acesso ao JavaScript do site poderia descobrir o endereço IP do usuário, o país onde ele mora e até mesmo o navegador que ele está utilizando.

Resumindo, o Torrents Time possui sérios problemas de segurança e o recomendável é que os usuários não façam uso do serviço caso queiram se manter protegidos. No entanto, para aqueles que desejam utilizar o plugin, a boa notícia é que o software ainda está em fase beta e que, por isso, alguns (ou todos) os problemas de segurança encontrados poderão ser resolvidos em breve.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Canaltech

Facebook troca Flash por HTML5 como padrão para vídeos

Facebook Friendly MarketingO Facebook anunciou neste final de semana que a partir de agora usa HTML5 como padrão para todos os vídeos publicados na rede social.

A troca do sempre criticado Adobe Flash pelo HTML5 é válida para todos os navegadores e foi classificada pelo Facebook como uma mudança “que nos permite continuar inovando rapidamente e em alta escala, dado o grande tamanho e necessidades complexas do Facebook”.

Segundo a empresa de Mark Zuckerberg, o fato de navegadores antigos não se comportarem muito bem com o HTML5 foi um dos motivos que fez com que a alteração fosse liberada aos poucos. “É por isso que esperamos até hoje para liberar o player HTML5 para todos os navegadores por padrão, com exceção de um pequeno número deles”, afirmou o engenheiro da rede social, Daniel Baulig.

Ainda de acordo com Baulig, o uso de HTML5 torna a experiência de usar redes sociais melhor para todos. “As pessoas parecem estar passando mais tempo com os vídeos por conta disso. Os vídeos são uma maneira enriquecedora de se conectar com o mundo ao seu redor, e estamos felizes de poder melhorar a experiência de vídeos com o Facebook.”

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: IDG Now!

Conheça um jeito prático, simples e seguro de obter músicas em MP3

theyoump3Muitos já me questionaram sobre programas e sites seguros para download de músicas em MP3.

Sabemos que músicas são uma das grandes armadilhas, juntamente com os vídeos, que podem esconder arquivos de malware, e por isso todo cuidado que sempre devemos ter.

Recentemente descobri o “You MP3”, uma ferramenta relativamente nova na Internet que possibilita a conversão de qualquer vídeo do You Tube em um arquivo no formato MP3 disponibilizado prontamente para uso no seu PC, smartphone, ou qualquer outro dispositivo que reproduza músicas em MP3.

Para usar esse serviço é muito simples: basta copiar o link do vídeo do site do You Tube que você tem interesse e colá-lo no espaço reservado do You MP3 que a conversão se dará em poucos segundos, sendo logo em seguida lhe oferecido o link para download da música convertida no formato MP3.

Acredito que funcione em todos os navegadores mais atuais. Testei com o Chrome e não tive problema algum. É um serviço que na minha opinião reúne todas as melhores qualidades: simples, rápido, grátis e seguro.

Para acessar este novo serviço basta clicar aqui.

Espero que gostem da novidade!

Abraço a todos!

Como atualizar seu PC para o Windows 10

windows_10_updateEm tempos de atualização para o novo sistema operacional da Microsoft seguem dois ótimos tutoriais em vídeo que o pessoal do site Adrenaline disponibilizou na rede com dicas sobre a instalação do Windows 10:

Este primeiro vídeo demonstra como atualizar para o Windows 10 a partir de uma versão oficial do Windows 7/8/8.1:

Este segundo vídeo ilustra uma dúvida muito comum entre os internautas:

Meu destaque vai para a dica do autor da matéria de que a obtenção da chave de instalação do Windows 10 só pode ser obtida a partir da atualização feita a partir do seu Windows atual. Formatar o PC e partir para uma instalação limpa irá exigir uma chave do Windows 10 e aquelas do Windows 7/8/8.1 não irão servir.
Depois de atualizado o seu Windows você poderá saber qual é a sua chave do Windows 10 através da ferramenta que pode ser obtida nesta página.

Quem tiver problemas com o Windows 10 ou não se adaptar a ele, poderá retornar para o seu sistema operacional anterior digitando “voltar para…” no menu do botão iniciar do sistema operacional. A Microsoft garante o retorno seguro por 1 mês após a instalação.

Agradecemos ao Chrysthofer, amigo e colaborador do seu micro seguro, pela referência a esses tutoriais de vídeo.

Abraço a todos e um ótimo final de semana!

Malware multiplica visualizações de vídeos no You Tube

tubrosaO cibercrime está desenvolvendo novas técnicas de monetizar suas vítimas. O novo relatório da Symantec destrincha o malware Tubrosa, criado para forçar computadores infectados a visualizarem determinados vídeos no YouTube com o objetivo de coletar a receita de publicidade oferecida pelo site de vídeos do Google.

O vírus recebe uma lista de cerca de 1 mil links do YouTube, que são abertos no plano de fundo da máquina infectada. O software malicioso é inteligente o bastante para disfarçar a atividade, reduzindo o volume sonoro do computador. Se o usuário não tiver o Flash Player instalado, o malware o instala, permitindo a visualização dos vídeos.

A praga também é capaz de se disfarçar para fugir dos sistemas de segurança contra fraudes do Google utilizando dois scripts PHP, que fazem com que cada visita de uma mesma pessoa seja identificada pelos servidores do Google como usuários diferentes.

A infecção acontece por meio de phishing, com mensagens falsas que chegam por e-mail. Uma vez infectado, o computador da vítima começa a agir sob o comando do malware. Quando isso acontece, é possível notar uma queda acentuada de desempenho da máquina.

Segundo a Symantec, o ataque já rendeu pelo menos alguns milhares de dólares para os cibercriminosos, mas é difícil estimar o valor com precisão. Isso porque outras campanhas similares devem estar acontecendo simultaneamente sem conhecimento dos especialistas.

O malware começou a ser distribuído em agosto do ano passado, e ainda está circulando a web, afetando principalmente Coreia do Sul, Índia, México e Estados Unidos.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fontes: Olhar Digital e Security Affairs