Microsoft força a barra para que usuários façam upgrade para o Windows 10

Não é novidade que a Microsoft quer fazer com que mais consumidores estejam com seus sistemas operacionais atualizados — saindo de versões mais antigas e migrando para o Windows 10, no caso. E uma prática que já era esperada acaba de começar a ser utilizada.

De acordo com informações obtidas pelo ArsTechnica, a partir deste mês os sistemas Windows 7 e Windows 8.1 não vão mais ser compatíveis com processadores mais recentes. Ou seja: computadores com chips de gerações mais novas vão parar de receber atualizações no sistema operacional — não vão ficar inutilizados, mas terão menos suporte.

Ainda segundo a fonte já citada, isso vai acontecer em computadores com processadores AMD Ryzen e também Intel Core — todos os de sétima geração (Kaby Lake) e alguns modelos ainda não listados dos chips da sexta geração (Skylake).

Quando consumidores com hardware incompatível tentarem atualizar os PCs, vão receber alertas de que o chip instalado foi criado para a “última versão do Windows”, havendo o bloquei das atualizações logo em seguida.

Fonte: Tecmundo

Windows 10 contará com atualizações de menor tamanho

Baseado em um conceito de “evolução constante”, o Windows 10 tem irritado alguns usuários pelo tamanho grande de algumas de suas atualizações. Tentando compensar esse problema, a Microsoft adotou um novo sistema que só vai mudar arquivos que realmente passaram por algum tipo de mudança — até então, ela mandava todos os dados necessários para um update, mesmo aqueles que já estavam em seu computador.

Com a alteração, a companhia promete que as atualizações futuras vão ser de 35% a 65% menores do que as vistas até o momento. Os usuários mais beneficiados serão aqueles que participam do programa Windows Insider, que costumam receber atualizações menores e com mais frequência do que quem optou pelo sistema em sua versão mais estável.

A novidade, chamada de “Plataforma Unificada de Atualização” deve fazer sua estreia junto ao Creators Update, o que significa que os benefícios trazidos por ela não serão tão imediatos. A Microsoft também promete dar aos usuários um maior controle sobre o download e a instalação de novos recursos, bem como sobre a necessidade de seu computador reiniciar para aplicá-las corretamente.

“Sabemos que reiniciações inesperadas são desruptivas se acontecem no tempo errado”, afirma a companhia na justificativa para a mudança. Do ponto de vista do usuário do Windows 10, essas alterações devem resultar em uma experiência de uso mais confortável e controlada — algo com que usuários do PC já se acostumaram a conviver há bastante tempo.

Fonte: Tecmundo

Microsoft libera atualização cumulativa KB3216755 para o Windows 10

win10Disponível antes para os participantes do Windows Insider Program no canal de distribuição Release Preview, a atualização cumulativa KB3216755 para Windows 10 já está disponível para todos os usuários somente através do Catálogo do Microsoft Update.

Ela não será disponibilizada via Windows Update.

De acordo com o changelog publicado pela Microsoft no site Windows 10 Version 1607 and Windows Server 2016 Update History, a atualização traz “melhorias na qualidade do sistema operacional”.

Mais especificamente, a atualização traz correções para múltiplos bugs e melhorias na confiabilidade do Internet Explorer e de outros componentes do Windows 10.

Entre os bugs corrigidos pela atualização cumulativa KB3216755 estão um que causa “atrasos” na renderização de certos aplicativos (jogos) 3D em múltiplos monitores, um que impede a conversão de uma imagem 24 bits para 32 bits e um que faz com que o Windows Firewall perca suas regras após o upgrade da versão original do Windows 10 para a versão 1511 ou 1607.

A lista completa com todos os bugs corrigidos pode ser vista no link acima.

A atualização também altera o build do Windows 10 de 14393.693 para 14393.726.

Agradecemos ao Igor, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Baboo

Duas grandes atualizações para o Windows 10 estão programadas para 2017

windows 10A Microsoft já confirmou que para 2017 serão lançadas mais duas atualizações para o sistema operacional Windows 10. Assim, depois da gigante lançar o Anniversary Update para o Windows 10, surge agora a confirmação de que mais atualizações irão ser liberadas no ano que vem.

Durante os últimos meses de 2016 não será lançado mais nenhum update para o sistema operacional, será preciso portanto esperar até 2017 para que sejam lançados dois grandes updates para o Windows 10, intitulados de “Redstone 2” e “Redstone 3”.

Oficialmente a Microsoft declara: “O Windows 10, versão 1607, é o nosso terceiro grande update do Windows 10. Com base no feedback recebido de empresas que adotaram o Windows 10, este será o último grande update de 2016, com duas atualizações principais adicionais esperadas para 2017.”

Ainda não existem informações oficiais e detalhadas no que diz respeito às datas dos lançamentos futuros.

Agradecemos ao Davi, colaborador amigo fo seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: Tecnologia e ZDNet

Cuidado com o app ‘Windows Self-Healing Tool’ para Windows 10

windows_self-healing-toolComo já é do conhecimento da maioria, a atualização do Windows 10 trouxe muitas novidades aos seus usuários, mas também muitas dores de cabeça.

Lentidão no acesso à Internet, a falta de suporte que fez com que algumas Webcams deixassem de funcionar correctamente, são alguns dos problemas reportados pelos usuários.
Como sempre há quem procure “soluções milagrosas” para resolver os problemas, mas muita atenção ao que instalam!

Chama-se ‘Windows Self-Healing Tool’ e é um app que anda circulando na Internet e que supostamente resolve os problemas gerados pela atualização de Aniversário do Windows 10 mas que, na verdade, não faz nada.

De acordo com uma investigação em curso, descobriu-se que a ferramenta foi desenvolvida por uma pequena filial da Microsoft em 2015, mas nunca foi aprovada e oficializada pela empresa.

MarkMazzetti, um usuário que faz parte do programa insiders, revelou que este app resolve de fato alguns problemas mas cria outros também.

“There is a new issue that I believe is a result of this Selfhealing patch. There is now random FLASHING of the screen – the same kind of flash you see when you reload the entire OS either via Recover from the cloud or using a USB stick recovery image. The flash I describe shows the rectangle box that you see in an instant when you reload the OS. MS is aware of this. This had never happened before (random flashing like it is reloading the OS) until I applied the Selfhealing patch”.

Se você enfrenta atualmente problemas com o Windows 10, após a instalação da Actualização de Aniversário, aguarde pela liberação das futuras atualizações oficiais da Microsoft e não busque soluções alternativas que podem trazer mais problemas e dores de cabeça.

Agradecemos ao Paulo Sollo, colaborador amigo do seu micro seguro, pela referência a essa notícia.

Fonte: pplware

Hackers elogiam segurança do Windows 10

windows_10Desde que o Windows continue um alvo popular para ataques, pesquisadores de segurança e hackers continuarão analisando a plataforma para descobrir estratégias avanças contra as defesas do sistema da Microsoft.

Mas o nível de segurança do software está muito mais alto do que costumava ser, uma vez que a Microsoft adicionou várias mitigações avançadas no Windows 10 que acabam com categorias inteiras de ataques.

Apesar de os hackers da conferência Black Hat terem aparecido com técnicas de ataques sofisticadas, houve um reconhecimento geral durante o evento de que desenvolver uma técnica bem-sucedida ficou muito mais difícil com o Windows 10. Ou seja, invadir o sistema por meio de uma vulnerabilidade do software agora é bem mais complicado do que há alguns anos.

A Microsoft desenvolveu ferramentas de interface de escaneamento antimalware (AMSI) que conseguem pegar scripts maliciosos na memória. “AMSI é um grande passo para bloquear ataques baseados em script no Windows”, afirmou o consultor de segurança da NoSoSecure, Nikhal Mittal, durante a Black Hat.

Outra novidade de segurança do Windows 10 é a VBS (segurança baseada em virtualização), um conjunto de recursos de segurança “feita” diretamente no hypervisor. A superfície de ataques para a VBS é diferente de outras implementações de virtualização, afirmou o arquiteto chefe de segurança da Bromium, Rafal Wojtczuk.

“Apesar do seu alcance limitado, a VBS é útil – ela previne determinados ataques que seriam mais simples e diretos sem ela”, explica.

Os invasores, que incluem criminosos, pesquisadores e hackers interessados em ver o que podem fazer, estão engajados em uma dança elaborada com a Microsoft. Assim que descobrirem uma maneira de burlar as defesas do Windows, a Microsoft fecha essa brecha de segurança. Ao implementar tecnologia inovadora de segurança para tornar os ataques mais difíceis, a Microsoft força os invasores a cavarem mais fundo para conseguirem ter sucesso. O Windows 10 é o Windows mais seguro já lançado, graças aos novos recursos focados na área.

Os criminosos estão ocupados, e o volume de malware não mostra sinais de diminuir o ritmo, mas vale notar que a maioria dos ataques atuais são resultado de software sem patches, engenharia social, ou configurações erradas.

Nenhuma aplicação de software pode ser perfeitamente livre de bugs, mas quando as defesas embutidas tornam mais difícil explorar as defesas existentes, essa é uma vitória para quem está se defendendo. A Microsoft fez muita coisa nos últimos anos para bloquear ataques no sistema, e o Windows 10 é o beneficiário direto dessas alterações.

Considerando que a Microsoft melhorou suas tecnologias de isolamento no Update de Aniversário do Windows 10, a estrada para um ataque bem-sucedido em um sistema moderno do Windows parece ainda mais complicado.

Fonte: IDG Now!

Microsoft encurta prazo para desistência do Windows 10

downgradeA Microsoft escondeu uma nova política de downgrade dentro do Update de Aniversário do Windows 10. Após instalar o sistema, você terá apenas 10 dias para fazer o downgrade para uma versão ou build anterior, em vez dos 31 dias de prazo disponíveis até então.

Historicamente a Microsoft costuma dar um mês para os usuários retornarem de qualquer update, incluindo os upgrades para o Windows 10.

No entanto, o site especializado Supersite for Windows informou nesta semana que não conseguiu fazer o downgrade para uma build anterior após um limite de 10 dias expirar – apesar de não ter ficado exatamente claro sobre quais builds o limite se aplicava.

Perguntamos para a Microsoft sobre isso, e o negócio é o seguinte: aplicar o novo Update de Aniversário inicia a nova política da empresa. Segundo a companhia de Redmond, não importa se você tenha feito um upgrade do Windows 7/Windows 8 para o Windows 10, ou se simplesmente atualizou o seu computador de uma versão anterior do Windows 10. Uma vez que tiver instalado o Update de Aniversário, terá apenas 10 dias, e não 31 dias, antes que a interface de usuário torne-se permanente.

“Esse novo comportamento de 10 dias é para todos os upgrades e updates para o Update de Aniversário”, afirmou um representante da Microsoft.

Fonte: IDG Now!